A Fundação José Augusto divulgou (FJA) neste sábado (19) em seu site a lista final para pagamento do solicitantes ao Auxilio Emergencial no RN da Lei Aldir Blanc no Rio Grande do Norte.

O Comitê Gestor da Lei Aldir Blanc no RN, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), através do sistema Business Intelligence (BI) e de órgãos estaduais como Secretaria de Tributação, CAERN e DETRAN, além da Cosern, analisaram o perfil socioeconômico dos solicitantes ao recebimento do Auxilio Emergencial que tiveram suas atividades paralisadas durante a pandemia do coronavírus no RN.

Após um cuidadoso processamento de dados realizado nos cadastros enviados pelos solicitantes ao benefício, cerca de dois mil solicitantes não atenderam as exigências para o recebimento do benefício.

As restrições ao Auxilio Emergencial realizados pelo Comitê Gestor da Lei, MPF e Receita Federal (Dataprev) levou em conta a declaração de imposto de renda em 2018, o recebimento de outros benefícios (Auxilio Emergencial) e contratos de trabalho, entre outros.

A FJA informa que o tempo prolongado para a divulgação da lista final deveu-se a uma análise aprofundada dos dados de todos os requerentes, a fim de que não ocorressem pagamentos indevidos e a exclusão de solicitantes que tivessem o devido direito ao benefício que está sendo pago de uma única vez com valores de R$ 3 mil e R$ 6 mil (mãe titular de família monoparental).

SEGUEM ABAIXO AS LISTAS FINAIS E COMPLETAS DOS BENEFICIADOS AO AUXÍLIO EMERGENCIAL NO RN:
 

 

O Governo do Estado, através da Fundação José Augusto (FJA), realiza o pagamento do primeiro lote do Auxilio Emergencial da Lei Aldir Blanc nesta segunda-feira (23/11).

A meta é que sejam repassados R$ 3 mil e R$ 6 mil (mãe titular de família monoparental) para trabalhadores e trabalhadoras afetados durante a pandemia do coronavírus no RN.

Os demais solicitantes permanecem sob análise do sistema BI (Business Inteligence) do Ministério Público Federal, cujas informações estão sendo enviadas à Dataprev, órgão responsável por oferecer suporte ao Governo Federal na identificação dos solicitantes que serão atendidos pela renda emergencial.

Todos os dados referentes ao pagamento do benefício no RN passaram por uma criteriosa análise da equipe técnica da FJA para evitar pagamentos indevidos, além do cruzamento de dados realizados pela Dataprev.

Neste primeiro lote, dos 621 solicitantes com dados processados pela Dataprev, menos de 25% entregaram a documentação necessária para o recebimento do benefício no próximo dia 23 de novembro. Os demais, que não entregaram a documentação, terão até a próxima sexta-feira (20) para enviar os dados solicitados pela FJA.

Em caso contrário, somente serão incluídos no segundo lote com previsão de pagamento até o final de novembro.

A documentação necessária: copias do RG, CPF (ou CNH), comprovante de residência e termo de auto declaração devidamente  assinado e escaneado para envio (formulário disponível neste link AQUI.

Os documentos devem ser enviados para o email auxilioemergencial.fja@gmail.com ou pelo WhatsApp (84) 99191 5967.

Confira AQUI a listagem de pessoas que forneceram documentos e se encontram aptas ao recebimento do benefício no primeiro lote e das pessoas que ainda não enviaram a documentação necessária:

Listagem de pessoas que continuam em análise para o segundo lote, clique AQUI.

 

O Governo do RN, através Fundação José Augusto (FJA), abriu nesta segunda (16/11) as inscrições para o Edital Programa de Apoio Emergencial a Projetos Editoriais e Propostas de Aquisição de Livros, destinado à Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural.

Os interessados poderão participar até 23 novembro pelo e-mail edital.livros.fja@gmail.com, disponibilizado no site www.cultura.rn.gov.br. O resultado será divulgado no dia 9 de dezembro.

Mais informações podem ser obtidas através do endereço eletrônico duvidas.editais.fja@gmail.com.

O edital completo, publicado no site da FJA, irá selecionar 70 Projetos Editoriais, com destaque para novas produções literárias que foram prejudicadas pela pandemia e 300 propostas de aquisição de livros em lotes com a finalidade de retomar a comercialização de obras de autores e editores potiguares e de literatura em geral.

O investimento nesse setor cultural é de R$ 2 milhões.

Por meio de Chamada Pública, o Governo do Estado fomentará a cadeia produtiva do livro apoiando financeiramente projetos editoriais e a compra de estoques, por meio das categorias Projetos Literários, Aquisição de Livros de Autores Potiguares e Aquisição de Livros de Livrarias e Sebos.

Dez editais

São dez os editais lançados pelo Governo do Estado. Foram lançados: Prêmio Cultura Popular de Tradição; Projetos Culturais Integrados e Economia Criativa; Programa de Apoio a Microprojetos Culturais; Formação e Pesquisa – Troca de Saberes à Distância; e Prêmio Sabores, Saberes e Fazeres; Fomento à Cultura Potiguar, Auxílio à Publicação de Livros, Revistas e Reportagens Culturais; e Projetos Culturais Referentes à Diversidade Sócio-Humana; e Ecos de Elefante: Apoio Cultural aos Municípios Potiguares.

O edital completo está no site da FJA – Aba Editais/Editais Abertos

Maiores informações podem ser obtidas através do endereço eletrônico: duvidas.editais.fja@gmail.com

Atendendo apelos dos mais diversos segmentos da cultura potiguar e por determinação da governadora Fátima Bezerra, a Fundação José Augusto está prorrogando os prazos para inscrições de projetos de nove editais lançados até o próximo dia 18.

Segundo previsão do órgão, a oficialização do adiamento será publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (13).

E além desses nove editais, nesta segunda-feira (16) será lançada uma chamada pública para aquisição de livros, voltados a editores e sebistas. O prazo para inscrição seguirá até o dia 23.

A intenção do adiamento de prazo é que os recursos da Lei Aldir Blanc não voltem para Brasília, mas que fiquem completamente em nosso Estado, beneficiando cada artista, trabalhador e trabalhadora da Economia da Cultura prejudicados pela COVID-19.

Os 9 editais, são:

  1. Projetos Culturais Referentes à Diversidade Sócio Humana,
  2. Formação e Pesquisa – Troca de Saberes a Distância,
  3. Projetos Culturais Integrados,
  4. Programa de Apoio a Microprojetos Culturais,
  5. Prêmio Cultura Popular de Tradição,
  6. Saberes, Sabores e Fazeres,
  7. Fomento à Cultura Potiguar 2020,
  8. Auxílio à Publicação de Livros, Revistas e Reportagens Culturais,
  9. Ecos do Elefante: Apoio Cultural aos Municípios Potiguares que receberam menos de cem mil reais pela Lei Aldir Blanc.

Segundo o diretor-geral da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, a intenção é intensificar a mobilização de potenciais proponentes, a fim de garantir uma participação mais ampla e inclusiva nos editais.

“É preciso considerar a pouca familiaridade com as ferramentas da informática e com a linguagem de projetos por parte de significativo contingente de agentes culturais, além da necessidade de disponibilizar recursos humanos com perfil técnico para auxiliar alguns grupos específicos de proponentes a firmar em linguagem própria os seus projetos e a transmiti-los pelos meios eletrônicos exigidos nas cláusulas dos referidos editais”, considerou Crispiniano Neto.

Outro argumento apontado é dificuldade de alguns proponentes junto aos Órgãos da Administração Pública Municipal para solicitar e receber a certidão negativa de débitos tributários, cujo principal motivo apresentado pela municipalidade é em razão do pleito eleitoral que se desenvolve nos diversos Municípios deste Estado, cuja eleição dos candidatos aos cargos eletivos se dará no dia 15 de novembro próximo.

Está sendo dada, portanto, mais uma chance aos que ainda não conseguiram se inscrever até ontem às 23:59 minutos.

Todos os interessados devem continuar buscando as informações e os formulários de inscrição no site www.cultura.rn.gov.br.

As equipes técnicas de apoio aos artistas e mestres de cultura continuarão em atividade, com intervalo somente no domingo, com expediente presencial na sede da fundação José Augusto durante todo o dia de hoje e amanhã, sábado com atendimento virtual, com suspensão das atividades somente do domingo por ser dia de eleições municipais, voltando à ativa, de forma presencial da segunda feira até a quarta-feira vindoura, com recebimento de projetos até às 23;59 minutos.


FOTO: Agência de Notícias do Paraná

Estão prorrogadas até 12 de novembro as inscrições para cinco editais da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, lançados pelo Governo do RN, através da Fundação José Augusto (FJA).

Agora os interessados terão até a próxima quinta-feira (12/11) para inscrever seus projetos nos editais Prêmio Cultura Popular de Tradição; Projetos Culturais Integrados e Economia Criativa; Programa de Apoio a Microprojetos Culturais; Formação e Pesquisa – Troca de Saberes à Distância; e Prêmio Sabores, Saberes e Fazeres.

As Inscrições serão feitas através de um email criado para cada edital disponibilizados no site www.cultura.rn.gov.br . O resultado final será publicado em 7 de dezembro.

A prorrogação do prazo foi motivada pela necessidade de aumentar a mobilização dos potenciais proponentes, garantindo uma participação mais ampla e inclusiva dos segmentos artístico-culturais do RN.

Ao todo são dez editais lançados pelo Governo do RN para a Lei Aldir Blanc, totalizando a destinação de recursos no valor de R$ 18,871 milhões.

Também estão abertos até 12 de novembro os editais Diversidade Sócio-Humana; Fomento à Cultura Potiguar 2020 e Auxílio à Publicação de Livros, Revistas e Reportagens Culturais.

EDITAIS PRORROGADOS ATÉ 12 DE NOVEMBRO

Prêmio Cultura Popular de Tradição

Este edital irá selecionar 306 iniciativas, com valor total de R$ 3,01 milhões, ligadas à Cultura Popular de tradição que abrangem o patrimônio do RN, formado por expressões artísticas, brincadeiras, crenças, religiosidade, festas, história e outras manifestações.

O edital premiará artistas populares individuais, mestres e mestras de folguedos tradicionais e de capoeira, grupos folclóricos, quadrilhas juninas, blocos carnavalescos, benzedeiras, raizeiras e representantes da medicina popular.

Programa de Apoio a Microprojetos Culturais

O Edital irá selecionar 291 iniciativas com o foco no apoio a microprojetos culturais de diversos segmentos que integram a economia criativa da cultura do Rio Grande do Norte, com prêmios de Protagonismo Cultural e Empreendedorismo (Individual e Coletivo).

O Programa também beneficiará 100 bandas filarmônicas, 12 Pontos de Memória, 30 Pontos de Cultura e 19 circos de lona. Valor total de R$ 4,08 milhões.

Formação e Pesquisa

Troca de Saberes à Distância – Edital para seleção de 140 iniciativas que incentivam o ensino e aprendizagem nos diversos segmentos artísticos e culturais e que estimulem a produção intelectual de trabalhadores e trabalhadoras da cultura do Rio Grande do Norte, garantindo o acesso da população potiguar às iniciativas artísticas e culturais. O valor total é de R$ 1,05 milhão.

Projetos Culturais Integrados e Economia Criativa

Edital para seleção de 140 projetos artísticos e culturais concebidos como proposta integrada, destinados à difusão em redes sociais e meio digital com acesso gratuito. O valor total é de R$ 1,3 milhão.

Prêmio Sabores, Saberes e Fazeres

Edital voltado para a seleção de 140 iniciativas com foco na Gastronomia e no Artesanato Tradicional Potiguar, com base nos aspectos que identificam essas expressões como elementos importantes da identidade cultural do Rio Grande do Norte. O valor total de R$ 700 mil.

Maiores informações podem ser obtidas através do endereço eletrônico duvidas.editais.fja@gmail.com

 

 

Estão abertas, a partir desta sexta-feira (6) até 12 novembro, as inscrições para mais cinco editais da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, lançados pelo Governo do RN, através da Fundação José Augusto (FJA).

Os interessados poderão inscrever seus projetos para os editais Fomento à Cultura Potiguar; Auxílio à Publicação de Livros, Revistas e Reportagens Culturais; e Projetos Culturais Referentes à Diversidade Sócio-Humana.

As Inscrições poderão ser feitas por um e-mail criado para cada edital disponibilizados no site www.cultura.rn.gov.br . A publicação do resultado final será divulgada em 4 de dezembro.

Dez editais

Ao todo são dez editais lançados pelo Governo do RN para a Lei Aldir Blanc, totalizando a destinação de recursos no valor de R$ 20 milhões.

Foram lançados também os editais Prêmio Cultura Popular de Tradição; Projetos Culturais Integrados e Economia Criativa; Programa de Apoio a Microprojetos Culturais; Formação e Pesquisa – Troca de Saberes à Distância; e Prêmio Sabores, Saberes e Fazeres que terão suas inscrições abertas até a próxima segunda-feira (9/11).

Serão abertas as inscrições do edital Ecos do Elefante – Apoio Cultural ao Municípios Potiguares (9 a 16/11); e Projetos Editoriais; e a Chamada Pública para Projetos Editoriais e Aquisição de Livros (16 a 23/11) .

Maiores informações podem ser obtidas através do endereço eletrônico duvidas.editais.fja@gmail.com ou pelo WhatsApp  (84) 99191 5967.

EDITAIS COM INSCRIÇÕES ABERTAS NESTA SEXTA (6/11)

Fomento à Cultura Potiguar

Irá selecionar 216 iniciativas artísticas ou culturais dos segmentos da Música, Teatro, Circo, Dança, Artes Visuais, Audiovisual, Arte Urbana e Rádios Comunitárias.

Contemplará prêmios em forma de auxílios montagens, festivais de artes e circulação.

O objetivo é fomentar diversos segmentos da arte e promover o fortalecimento e valorização da cultura potiguar, garantindo o acesso da população à iniciativa. O valor é de R$ 3,21 milhões.

Auxílio à Publicação de Livros, Revistas e Reportagens Culturais

O edital selecionará 134 projetos com 14 prêmios nas categorias Conto,  Dramaturgia, Crônica, Romance, Literatura infanto-juvenil, História em Quadrinhos, Ensaio ou Coletânea de Artigos sobre Cultura e Literatura, Poesia, Literatura de Cordel, Temática Feminista, Igualdade Racial, Revista Cultural, Livro de Fotografia e  Jornalismo. O valor é R$ 916 mil.

Projetos Culturais Referentes à Diversidade Sócio-Humana

O Edital irá selecionar 294 iniciativas artísticas ou culturais ligadas aos Direitos Humanos de LGBT’s, das Mulheres, das Juventudes, das Pessoas com Deficiência e aos temas da Igualdade Racial.

O objetivo é a promoção do acesso de grupos sociais pouco assistidos às iniciativas culturais e artísticas fomentadas pelo poder público, contribuindo assim para a igualdade social, o desenvolvimento de uma política pública afirmativa dirigida a temas e segmentos da diversidade no RN. O valor é de R$ 1,47 milhão.

EDITAIS COM INSCRIÇÕES ATÉ SEGUNDA (9)

Prêmio Cultura Popular de Tradição

Este edital irá selecionar 306 iniciativas, com valor total de R$ 3,01 milhões, ligadas à Cultura Popular de tradição que abrangem o patrimônio do RN, formado por expressões artísticas, brincadeiras, crenças, religiosidade, festas, história e outras manifestações.

O edital premiará artistas populares individuais, mestres e mestras de folguedos tradicionais e de capoeira, grupos folclóricos, quadrilhas juninas, blocos carnavalescos, benzedeiras, raizeiras e representantes da medicina popular.

Programa de Apoio a Microprojetos Culturais

O Edital irá selecionar 291 iniciativas com o foco no apoio a microprojetos culturais de diversos segmentos que integram a economia criativa da cultura do Rio Grande do Norte, com prêmios de Protagonismo Cultural e Empreendedorismo (Individual e Coletivo).

O Programa também beneficiará 100 bandas filarmônicas, 12 Pontos de Memória, 30 Pontos de Cultura e 19 circos de lona. Valor total de R$ 4,08 milhões.

Formação e Pesquisa – Troca de Saberes à Distância

Edital para seleção de 140 iniciativas que incentivam o ensino e aprendizagem nos diversos segmentos artísticos e culturais e que estimulem a produção intelectual de trabalhadores e trabalhadoras da cultura do Rio Grande do Norte, garantindo o acesso da população potiguar às iniciativas artísticas e culturais. O valor total é de R$ 1,05 milhão.

Projetos Culturais Integrados e Economia Criativa

Edital para seleção de 140 projetos artísticos e culturais concebidos como proposta integrada, destinados à difusão em redes sociais e meio digital com acesso gratuito. O valor total é de R$ 1,3 milhão.

Prêmio Sabores, Saberes e Fazeres

Edital voltado para a seleção de 140 iniciativas com foco na Gastronomia e no Artesanato Tradicional Potiguar, com base nos aspectos que identificam essas expressões como elementos importantes da identidade cultural do Rio Grande do Norte. O valor total de R$ 700 mil.


FOTO: Lucas S. Paiva

O Governo do Estado do RN, através da Fundação José Augusto, estará promovendo durante três dias, um conjunto de Oficinas, através de Webinário pela internet. O intuito é divulgar e sensibilizar a participação de artistas, produtores e agentes culturais nos 10 Editais lançados através da Lei Aldir Blanc no RN.

Os Webinários acontecerão nos dias 28, 29 e 30 de outubro, de quarta a sexta-feira, sempre no horário de 14h30 às 17h, através da Plataforma Zoom e transmitidos através do Canal Youtube.

O público participante das Oficinas compreenderão Dirigentes e Gestores Culturais dos 167 Municípios potiguares, bem como os representantes das Câmaras Setoriais, Fóruns e agentes culturais dos mais diversos Segmentos artísticos culturais do RN.

Oficinas

-Webinário Oficina de Editais da Lei Aldir Blanc FJA 1
Dia 28 de Outubro de 2020, quarta-feira, das 14h30m às 17h
Plataforma Zoom e transmissão via Canal Youtube
Participação de Dirigentes e Gestores Municipais de Cultura

-Webinário Oficina de Editais da Lei Aldir Blanc FJA 2
Dia 29 de Outubro de 2020, quinta-feira, das 14h30m às 17h
Plataforma Zoom e transmissão via Canal Youtube
Participação de Dirigentes e Gestores Municipais de Cultura

-Webinário Oficina de Editais da Lei Aldir Blanc FJA 3
Dia 30 de Outubro de 2020, sexta-feira, das 14h30m às 17h
Plataforma Zoom e transmissão via Canal Youtube
Participação de Representantes das Câmaras Setoriais, Fóruns e agentes culturais de todos os Segmentos artísticos do RN

O coordenador de Projetos e Articulação Institucional da Fundação José Augusto, Aluízio Mathias esclareceu algumas dúvidas ao blog sobre pontos cruciais para o proponente poder concorrer aos recursos da Lei Federal Aldir Blanc, sob competência do Governo do Estado. Confira:

É preciso cadastro para concorrer aos editais da Lei Aldir Blanc geridos pelo Estado?

É importante que esteja cadastrado. Se for Pessoa Física, na aba Pessoa Física, desde que não tenha requerido Renda Emergencial. E se for Pessoa Jurídica, na aba Pessoa Jurídica.

É importante, mas não é exigência, não desabilita o projeto. É isso?

Não exclui, não elimina, mas o cadastro cria conexões de análises melhores de habilitação documental.

Servidores estaduais podem concorrer, desde que não estejam lotados na FJA ou tenham algum parentesco com algum funcionário de lá?

Sim, podem. O próprio Ministério do Turismo e a Secretaria de Cultura de Mário Frias não criaram barreiras para os editais. Mas para a Renda Emergencial da Cultura era vedada a participação de servidores estaduais. Para Espaços Culturais, também tinham restrições para representações com funcionários públicos. Mas editais, repito, está livre a participação desde que não seja vinculado à FJA ou a algum membro da comissão julgadora.

O cruzamento de dados obtido pela ferramenta usada pela FJA em parceria com o Ministério Público Federal detecta projetos aprovados na Lei Aldir Blanc pelo município? Se sim, esses proponentes também têm chances de serem aprovados no Estado?

Os editais da FJA permitem que o proponente possa participar de pelo menos três certames, sendo um das Prefeituras e dois da FJA, por exemplo. A Comissão de cruzamento é o Comitê Gestor Institucional, que tem inclusive procuradores do Estado.

 

A Fundação José Augusto recebeu, entre os dias 17 e 21 de setembro, através de Consulta Pública, mais de 60 contribuições individuais e coletivas, estas últimas encaminhadas por representantes de organizações culturais.

A grande maioria delas foi acolhida e implicou em mudanças, mais e menos profundas, no conjunto de editais. Conceitos foram melhorados, segmentos e categorias profissionais foram incluídos, valores e quantidades de prêmios foram aumentados.

Novos editais também foram criados: Ecos do Elefante: Apoio Cultural aos Municípios Potiguares e Aquisição de Livros. E um edital foi suprimido Projetos Culturais Voltados à Educação e Cidadania.

Segundo a FJA, somente não foram acolhidas aquelas contribuições que, após análise, significavam uma afronta a algum dos princípios do serviço público, as que nada acrescentavam à redação e à clareza das cláusulas ou as que, mostrando discordância de uma política da gestão da FJA, não chegavam a apresentar embasamentos mais consistentes para a crítica.

Singela discordância

Achei os editais bem abrangentes e propositivos. Até melhores que os da capital, embora também tenha achado interessante as propostas da Funcarte. Mas, no quesito projetos literários, a FJA poderia ter acatado as sugestões pertinentes do jornalista Tácito Costa.

Confiram o email enviado por Tácito à FJA:

Sobre o item “1.3. Para participação no presente pleito o(a)s proponentes devem ter atuação cultural comprovada há pelo menos 2 (dois) anos.”

Acho injusta esta exigência. Privilegia quem tem militância ou ativismo cultural e deixa de fora um jovem iniciante desconhecido, que ainda não tem atuação na área. Completamente sem sentido, para ser mais claro.

Considero discutível esta outra exigência: “A publicação deverá conter um conjunto de contos de um(a) único(a) autor(a), com número mínimo de 100 (cem) mil e máximo de 400 (quatrocentos) mil caracteres com espaço.”

Por este critério, o maior contista brasileiro, Dalton Trevisan, estaria de fora, uma vez que os contos dele são minimalistas. Outro eliminado seria Juan Rulfo, com seus 17 contos (reunidos no livro “Chão em chamas”), todos bem curtinhos. Não alcançariam os 400 mil caracteres com espaço exigidos pelo edital. Acho que estes critérios devem ser repensados. Jamais será o número de caracteres que ditará a qualidade literária de uma obra. Uma possível alternativa é pedir que seja apresentado um conjunto de textos, sem menção ao tamanho, deixando à comissão julgadora decidir se está diante de um livro de contos.

Mudanças recebidas pela consulta pública e acatadas pela FJA:

Projetos Culturais para a Diversidade

Neste edital, houve aumento do número de prêmios para alguns territórios, sobretudo na categoria Igualdade Racial, em razão da maior presença de alguns grupos sociais específicos em certos territórios.

Formação e Pesquisa – Troca de Saberes a Distância

Houve neste edital melhoria na definição de pesquisa artística e pesquisa cultural e foram incluídas 3 oficinas na área de Literatura (Poesia, Escrita Criativa e Leitura de Textos Literários).

Não houve acatamento da proposta de dar nova redação a várias cláusulas, porque a redação proposta não melhorava em nada a existente.

Também não houve acatamento à proposta de eliminação de todas as ementas. Razão: a proposta fere o bom senso de quem tem um mínimo de experiência em educação, onde a prática de traduzir previamente através de ementas o conteúdo dos componentes curriculares, para os alunos e outros interessados, é prática corrente e aceita como a mais racional. Por outro lado, o edital deixa claro que acata propostas de novas oficinas e também modificações nas ementas.

Apoio a Projetos Culturais Integrados

Neste edital, houve aumento no número e no valor do prêmio para proponente de caráter coletivo (de 12 para 15 mil reais)

Microprojetos Culturais

Este edital sofreu uma série de modificações. A primeira foi a inclusão de uma terceira linha de ação, chamada Apoio a Organizações Artístico-Culturais, que veio se somar às duas já existentes – Protagonismo Cultural e Empreendedorismo Cultural. A nova linha abrigou 4 categorias de organizações: Bandas Filarmônicas (com 100 prêmios de 15 mil reais), Pontos de Cultura (com 30 prêmios de 25 mil reais), Pontos de Memória (com 12 prêmios de 20 mil reais) e Circo de Lona (com 19 prêmios de 20 mil reais).

Outras modificações:

a) foi melhorada a redação do que se entende por empreendedorismo cultural, em suas categorias individual e coletiva;

b) a divisão dos prêmios por território seguiu outro critério, mais justo para o caso: o critério número de organizações existentes no território e não simplesmente o critério populacional e o percentual de participação em editais anteriores da FJA, adotado em outros editais. Guiou-nos nessa distribuição um mapeamento fornecido pelas entidades representativas dos setores: UNIBAN, Rede de Pontos de Memória, Rede de Pontos de Cultura e APOCIRCO;

c) foi incluído expressamente como empreendedor cultural coletivo os grupos de capoeira e como empreendedor cultural individual, artistas circenses independentes e profissionais das mídias sociais. Saberes, Sabores e Fazeres

Foi incluída neste edital a categoria Artesanato Potiguar, com 60 prêmios de 5 mil reais.

Publicações Literárias

As maiores mudanças neste edital foram em relação à redução da faixa mínima de toques para gêneros como Dramaturgia, Literatura Infanto-Juvenil e Poesia, sobretudo, com características singulares em relação a extensão do texto.

Três outras mudanças:

a) foi admitida a possibilidade de co-autoria nas categorias Literatura Infanto-Juvenil e História em Quadrinhos;

b) foi criada, na categoria Poesia, a sub-categoria Cordel, com 40 prêmios de 4 mil reais.

c) foi aberta a possibilidade de um editor representar até 3 autores.

Cultura Popular de Tradição

Neste edital, foi acrescentada a categoria Capoeira e criados 30 prêmios de 5 mil reais para seus mestres.

Mais algumas mudanças:

a) foram incluídos conceitos e exemplos de algumas manifestações populares tradicionais, a fim de dar mais precisão ao alcance do edital;

b) o critério Consciência artística tornou-se mais claro;

c) os artistas circenses de rua foram incluídos na categoria artistas populares independestes e o número de prêmios para esta categoria foi aumentado de 60 para 100;

d) também houve aumento na quantidade de prêmios para mestres de folguedos populares – passou de 18 para 26.

A live “Dialógos Culturais” traz nesta quinta (16/04) às 17h como convidado o ex-diretor da Funarte e ator, Sérgio Mamberti em uma conversa com o diretor geral da Fundação José Augusto (FJA), Crispinano Neto, que abordará temas voltados para as políticas públicas na área cultural. A Transmissão será feita pelo Youtube, através do canal Cultura RN da Fundação José Augusto.

A ação integra o projeto “Tô em Casa e Tô na Rede” que apresenta iniciativas de arte e cultura realizadas na internet, cujo objetivo principal é incentivar as pessoas a permanecerem em suas casas durante a quarentena preventiva contra o coronavírus.

Ator e gestor

Sérgio Mamberti, ator, produtor, autor, formado pela Escola de Artes Dramáticas de São Paulo, é há mais de cinco décadas um dos mais importantes dramaturgos brasileiros. Ocupou durante o governo Lula os cargos de Secretário de Música e Artes Cênicas, Secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, Presidente da Fundação Nacional de Artes (FUNARTE) e Secretário de Políticas Culturais, dentro do Ministério da Cultura (MinC).

Referência como ator, Mamberti representou inúmeros personagens de destaque na TV, cinema e teatro brasileiro. Entre os trabalhos mais importantes, destacam-se o culto copeiro Eugênio da novela “Vale Tudo”, o sábio Dr. Victor do programa infantil “Castelo Rá-Tim-Bum”, e o vilão Dionísio da novela “Flôr do Caribe”. Ao longo da carreira trabalhou em mais de 70 peças teatrais, 38 filmes e 26 novelas de televisão.

“Sérgio Mamberti tem uma das mais ricas biografias da cultura brasileira, com ampla e premiadíssima atuação no teatro e no cinema, foi também um importante gestor do Ministério da Cultura nos governos Lula, gestões de Gilberto Gil e Juca Ferreira, quando assumiu a presidência da FUNARTE e as secretarias da Diversidade Cultural, de Música e Artes Cênicas e de Políticas Culturais. Ninguém melhor para conversar conosco sobre o tempo em que o Brasil construiu uma Política Cultural ampla, cidadã, participativa e inclusiva, fazendo um contraponto com estes graves tempos de desmonte do Estado e das políticas públicas em geral”, declara o diretor geral da FJA, Crispiniano Neto.

Serviço

Live Diálogos Culturais
com Sérgio Mamberti
Data: Quinta-feira (16/04)
Horário:17h
YouTube – canal Cultura RN

O Governo do Estado, através da Fundação José Augusto, mantém a tradição potiguar de celebrar os versos e a literatura poética no 14 de Marco, Dia Nacional da Poesia, e preparou uma programação especial que contempla ações na capital e no interior do Estado.

A comemoração teve início em 7 de março na Casa de Cordel, localizado na Cidade de Alta em Natal, com o lançamento da coleção “Dez Mulheres Potiguares”, também alusiva ao Dia Internacional da mulher.

Nesta quinta (12) a partir das 18h na Livraria Manimbu haverá o lançamento “Temporalibus”, de Maria Gomes, além de uma apresentação do poeta Antônio Francisco.

Livraria Manimbu

No sábado, 14 de março, na Livraria Manimbu (Rua Açu), a partir das 8h tem a Alvorada Poética que terá apresentação de um duo da Banda da PM, integrado pelo sargento Walterklayson (teclado) e o subtenente Guedes (saxofone).

E ainda recitais poéticos e lançamentos de três livros: “Quintessência”, Shauara David, “Meu Canto de Amor é um Gemido de Blues”, Luíza Oliveira; e “Quem abriu a boca da pedra?”, de Jeovânia P., além da Folha Poética e a realização de shows musicais com Wescley Gama e da banda DEP, apresentando a obra de Belchior.

Memorial Câmara Cascudo e Feira Livre

Na tarde do sábado (14), a partir das 16h, a celebração se transfere para no Espaço Gumercindo Saraiva, localizado dentro do Memorial Câmara Cascudo, Cidade Alta, onde ocorrerão o Cortejo Poético Cultural, em parceria com a Samba.

O evento contará com a presença dos grupos Folia de Rua e Batuques de Mulheres de Gami, além das performances artísticas do grupo Insurgências Poéticas e das bandas Reconvexo e Gato Lúdico. O evento será apresentado pelo ator Rodrigo Bico.

O projeto 14 de Março na Feira Livre de Nova Natal, que será realizado no domingo (15) a partir das 8h, tem o apoio da FJA. A ação terá fanfarras, cortejo, recitais poéticos e shows musicais.

Casas de Cultura e Mossoró

As casas de Cultura Popular pertencentes ao Governo do Estado, também celebram a data com ações poéticas com participação de grupos e artistas nos municípios de Assu, Macaíba, Currais Novos, Martins e Florânia.

Em Mossoró no dia 14, a partir das 9h, a FJA apoia a ação Varal Poético com a distribuição de panfleto de poesias, lançamento do 3 Concurso de Poesia em Guardanapo de Papel e lançamento do Livro “Essencia do Meu Ser”, de Yáscara Aamara, além do recital dos poetas Genildo Costa e Geová Costa.

Haverá homenagens às memórias de Pedro Melo, Silvana Alves, Vingt-um Rosado e Clarice Lispector.

PROGRAMAÇÃO – DIA NACIONAL DA POESIA

Dia 12

Livraria Manimbu

18h – Lançamento do novo livro Temporalibus, de Maria Maria Gomes.
Apresentação do poeta Antônio Francisco

Dia 14

Livraria Manimbu

8h – Alvorada Poética
9h -Lançamento da Folha Poética
10h – Apresentação musical e poética de Wescley Gama
10h40 – Banda D E P, apresentação “Belchior Divino Andante”
11h – lançamento dos livros:
“Quintessência”, Shauara David
“Meu Canto de Amor é um Gemido de Blues’, Luíza Oliveira
“Quem abriu a boca da pedra?”, Jeovânia P.

Dia 14

Memorial Câmara Cascudo -Espaço Gumercindo Saraiva

16h – Encerramento Cortejo poético cultural com participação do Grupo Folia de Rua e Batuque de Mulheres do Gami – SAMBA
17h -Sarau poético livre com Rodrigo Bico
18h- Show da Banda Gato Lúdico
19h – Insurgências Poéticas
20h – Show da banda Reconvexo

Dia 14

Casa de Cultura Popular de Assu

20h -Comemoração do dia Nacional da Poesia no Anfiteatro Arcelino Costa Leitão com distribuição do terceiro Planfleto Poético criado pela Academia Assuense de Letras, Grupo Lagoa Viva, Grupo Celebra Poesia.

Casa de Cultura Popular de Martins

16h – Programação do Dia da Poesia da Casa de Cultura Cultura Popular de Martins com apresentação de poesias do martinense Maxsuel Marinho e participação de Cledina Rezende. Declamação de poesias das agentes Teté Paiva e Elisangela.

Casa de Cultura Popular de Macaíba

19h – Recital Poético – exposição de poesias e livros de poetas macaibenses.
12h30 – Shows musicais

Dia 15

14 de Março na Feira de Nova Natal

8h – Café da Manhã e transmissão da Rádio Insubmissa no alpendre
10h – Fanfarra e cortejo poético na feira
11h – Recital na feira com participação da Batalha do Vinho com transmissão da Rádio Insubmissa.
12h30 – Shows musicais


FOTO: Brunno Martins

A Fundação José Augusto divulgou nesta segunda-feira em seu site oficial, na secção Editais/Editais Culturais/Editais Abertos, o resultado dos contemplados ao Edital de Fomento à Cultura Potiguar 2019.

O Edital abrange projetos artísticosculturais nos segmentos de Música, Teatro, Circo, Artes Visuais, Audiovisual e Rádios Comunitárias.

As premiações no valor bruto totalizam R$ 994 mil, sendo 50% do valor das premiações destinado para Natal e Região Metropolitana e 50% do valor das premiações destinado ao interior do Estado. Foi dispensado ainda mais R$ 24 mil para cachê das comissões de seleção.

Foram selecionados 24 projetos para Auxílio Clipe Musical; 8 para Auxílio Curtas-Metragens em documentário ou ficção; 6 para auxílio montagem e 6 auxílio circulação em Teatro; 6 para auxílio montagem em Circo; e 10 para auxílio Rádios Comunitárias.

Os recursos à fase de seleção ocorrem entre os dias 2 a 4 de dezembro de 2019. A publicação final dos selecionados ocorre entre os dias 5 e 6 de dezembro no Diário Oficial do Estado (DOE).

EDITAL DE FOMENTO À CULTURA – CONTEMPLADOS

Música – Natal / Região Metropolitana

1°- Carrossel-E T – Produções Musicais
2º- O que é que tem? – Alan Persa – Alan de Melo Trindade
3°- Sacrário – Valéria Oliveira Produções
4º- Rendeiras da Vila – Antônia Rodrigues da Silva
5º- Achei Que Era um Homem – Vitória Gondim Real Nunes
6º- Videoclipe Para a Música: Carne Dos Rios – Terezinha De Meneses Cruz
7º- Nega Linda Abalaiada – Gilvan Aiquoc – Ponto Cultural Coco Juremado Rn As Flechas
8º- Clipe Musical Alphorria – Quilombola Sibaúma – Bethoven e Jubileu Ltda
9º- Flor de Lixo – Raquel de Lucena Vidigal
10º- Xanana – João Maria da Costa
11º- Passarinho – Manassés da Silva Campos
12º- 8ª Maravilha – Ana Karla Oliveira Lima
13º- Ana Fernandêz e a Roda De Mulheres Do Samba Potiguar – Ana Maria Fernandes
14º- Lençol de Renda – Nara Adriana de Morais da Costa Carvalho

Segmento Música – Interior

1°- Videoclipe – Visão da Morena – Mykaell Christyan Bandeira
2º- Com o Treque Eu Vou – Geová Costa e Silva
3°- Minha Comunidade Tem História – Francisco Lucinildo dos Santos
4º- Nova York do Sertão – Joselito Coringa Bezerra
5º- Gravação e Produção do Videoclip da Música Torrão de Poti – Francisco Antonio da Silva
6º- Hell lotus “svcker” – Leroy Cheridan da Silva Ramos
7º- Alguém Precisa – Misael da Costa Gurgem
8º- Maurílio Santos e Seus; Dias de Luta – Maurílio Fernandes dos Santos
9º- Florescer – Symara Tâmara Fernandes Carlos
10º- Eu Vim de Longe – Fernanda Bezerra de Azevedo

Segmento Teatro – Auxílio Montagem – Natal / Região Metropolitana

1°- Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare – O Homem ao Revés
2º- Rogério Ferraz Arruda – No Coração da Lua
3°- House Publicidade e Produções Culturais LTDA – Estrábica

Segmento Teatro – Auxílio Montagem – Interior

1°- Cia. A Máscara de Teatro – Desassossego
2º- Pé na Mala e Rua nas Costas – Circo, Teatro de Rua-Xefi’s
3°- T. C. Fernandes (Mapa) – Condenadxs

Segmento Teatro – Auxílio Circulação – Natal / Região Metropolitana

1°- Grupo de Teatro Carmim – A Invenção do Nordeste
2º- Paulo Sérgio Barros Gurgel – A Mulher Monstro
3°- Maria de Lourdes Vitor – Mulheres Invisíveis

Segmento Teatro – Auxílio Circulação – Interior

1°- Renata Soraya Leal da Silva – Viagem aos Pequenos Mundos
2º- Mykael Christyan Bandeira – Cia. Pão Doce – Pelo Médio Oeste
3°- Cia. Escarcéu de Teatro- Nos Confins do Horizonte

Segmento Circo – Natal / Região Metropolitana

1°- Renata Marques Pereira Ruiz – Varieté Itinerante
2º- Gabriel Herman Rodriguez – Ir(mãos à obra)
3°- Franklin Roosevelt de Medeiros – Os Fabuladores

Segmento Circo – Interior

1°- Pé na Mala e Rua nas Costas – Circo, Teatro de Rua – Pé na Bike e Rua nas Costas
2º- Plínio Dannillo Oliveira de Sá – O Circo Sem Barulho
3°- Cia. Bagana de Teatro – Mulheres à Vista

Segmento Artes Visuais – Natal / Região Metropolitana

1°- Sanzia Pinheiro Barbosa – Não Há Silêncio
2º- Novenil Barros – O Manto
3°- Erick Attos de Andrade – Fluxo Contínuo
4º- Ana Carolina Bezerra Teixeira – Poética Protética: Transignificações…
5º- Daniel Ferreira Torres – Pelo Pescoço

Segmento Artes Visuais – Interior

1°- Francisco de Assis Batista da Costa – Revisitando o Velho Seridó de Hoje
2º- Lucas Marciel dos Santos – A Estrada é Longa
3°- Josenildo Dantas de Medeiros – Versatilidades
4º- Sociedade dos Amigos da Pinacoteca Potiguar – V Salão Dorian Gray de Artes Visuais
5º- Edilaine Christine Paiva Gomes – Sábado é Dia de Feira

Segmento Audiovisual – Natal / Região Metropolitana

1°- Maria Tereza Pereira De Lima Duarte – Não Queria Ser O Que Fizeram De Mim
2º- Jana Bezerra De Sá Vasconcelos – Não Foi Acidente, Mataram Meu Pai
3°- Pedro Henrique Félix Barbosa – Womaneater
4º- Asas Do Tempo Filmes – Bege Euforia

Segmento Audiovisual – Interior

1°- Ribeiro Filmes E Produções Eireli – Vindouro
2º- Referência Comunicação – Cinema Instantâneo
3- Parêa Produções-Por Traz Dos Versos – Antônio Francisco
4º- Rodolfo Allen Teodósio Da Silva – Peque Em: O Cordel Dos Cinco Caboclos

Segmento Rádios Comunitárias – Natal / Região Metropolitana / Interior

1°- Associação Rádio Comunitária Santa Rita – XVI Jornada Cultural
2º- Associação Martinense de Comunicação – Festival de Cultura Martinensense
3°- Associação de Água e Comunicações de São José do Seridó – Programa Bonita ao Som da Viola
4°- Associação de Rádio Difusão Comunitária de Janduís – Conversação Sobre Mulher
5°- RC003-Associação Comunitária dos Trabalhadores de Boa Saúde – Conexão Cultural
6º- Associação Comunitária Cultural Dixseptiense-Semana de Cultura e Artes Esperança
7º- Associação Cultural Desportiva Rodolfense – Rádio Itinerante Ampliando Conhecimentos
8º- Fundação José Ribamar Luguinho de Desenvolvimento – Rádio Comunitária Metamorfose FM 104,9 de São Francisco do Oeste/RN
9º- ADCC – Programa Verso, Cultura e Viola
10°- Associação de Comunicação e Cultura Caicoense – Natal Cultural “Povo Feliz”


FOTO: Cia. Pão Doce, por George Vale

Uma importante parceria foi firmada na última quarta-feira (22) entre a Fundação José Augusto (FJA) e a UFRN, que permitirá um leque de cooperação ampla e mútua entre as duas instituições.

O termo, assinado pelo diretor da FJA Fábio Henrique Lima e a reitora Ângela Paiva permitirá a participação de professores, estudantes, servidores e artistas em projetos de extensão, ensino e pesquisa para o desenvolvimento das artes e da cultura potiguar.

A parceria propicia a criação de grupos de trabalhos para a elaboração e desenvolvimento conjunto de programas e projetos de cooperação como projetos sobre educação patrimonial, e memoria, Cinema e Audiovisual, Design, Artes Cênicas, Dança, Artes Visuais, Cultura Popular, e Diversidade Cultural.

Também deverão ser realizados eventos acadêmicos, científicos e culturais como oficinas, palestras, mostras, feiras e lançamento de livros, além de acesso aos equipamentos das duas instituições (teatros, Pinacoteca, casas de cultura, editoras, gráficas e espaços de exibição audiovisual).

“Essa parceria é de fundamental importância para as duas instituições que têm várias ações culturais com intercessão. Ela abre grandes perspectivas de projetos na área de tecnologia, ciência e arte que poderão ser estendidos à comunidade”, frisou o diretor Fábio Henrique.

A Fundação José Augusto (FJA) disponibilizou em seu canal oficial na internet a publicação mensal Circuladô – Agenda Cultural da Fundação José Augusto, mais um meio que pretende divulgar os eventos ligados à cultura, diversão e arte do Estado, não só os oficiais, como também aqueles produzidos pela iniciativa privada e que queiram constar nessa agenda que pretende circular por todo o Estado.

“O nome Circuladô partiu de uma conversa entre mim, Mirabô e Babau, muitos anos atrás. E remete à uma música de Caetano Veloso e nos alude à ideia de ‘circulação’. Já tivemos o Circuladô em outra gestão minha e agora retomamos esse projeto porque queremos que o turista que aqui chega, e também o nativo, veja o que está acontecendo em termos de diversão e de produção de eventos artísticos. O Rio Grande do Norte tem muito a oferecer e queremos que as pessoas tenham mais um veículo que dê acesso a essas informações”, disse o diretor geral, Crispiniano Neto.

O Circuladô – Agenda Cultural da Fundação José Augusto tem nessa primeira edição oito páginas, nas quais se destacam as atividades da FJA e também constam algumas atividades não oficiais. O projeto gráfico foi uma criação da diagramadora Nathalie Alves.

De acordo com a editora responsável, a jornalista Sheyla de Azevedo, a ideia é que, gradativamente, ele aumente seu número de páginas e se transforme num guia do que está acontecendo de arte e cultura no Estado, com a devida colaboração dos realizadores. “Para que isso aconteça, basta as pessoas nos enviarem através do e-mail circuladofja@gmail.com sua agenda cultural. Como a publicação deve sempre sair nos primeiros dias de cada mês, o prazo de envio é até dia 25 do mês anterior, para que possamos ter tempo hábil para diagramação, edição e publicação”, explicou ela.

Quem quiser acessar o Circuladô – Agenda Cultural da Fundação José Augusto, basta clicar AQUI onde tem o link na versão em pdf.


Já acessou nosso instagram?

O Dia da Poesia 2019, nessa quinta-feira, 14 de março, terá um momento especial na Fundação José Augusto. A partir das 8h haverá o lançamento da Folha Poética, jornal contendo a produção de diversos poetas e o Sarau Poético com microfone aberto, no pátio do Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), anexo à FJA, com a participação dos Coletivos: Folha Poética; Insurgências Poéticas; SPVA; Casa do Cordel; UBE/RN. Será uma celebração a céu aberto de uma das datas que há mais de 30 anos é lembrada e celebrada na capital potiguar.

No dia 17 de março, as comemorações pelo Dia da Poesia permanecem, dessa vez na Zona Norte de Natal, na Casa de Mídia, na Feira de Nova Natal. A partir das 8h, haverá o projeto “Viva, cante e ria, na Feira é lugar de poesia”, com mesa de frutas, cortejo por entre as bancas da feira e pintura de painel. Às 9h, haverá o início do recital e ao meio dia, começa a feijoada com apresentações musicais e durante todo o evento terá roda de peteca.

Seguindo com a série de lançamentos de livros no estande da Fundação José Augusto (FJA) durante a FIART 2019, nessa sexta-feira (1° de fevereiro), a partir das 17h, será lançado o livro Antologia Literária Em Cantos Escritos, organizado pelas professoras Carla Alves e Cristiane Tomaz, no qual contém a produção literária de alunos do 6° ao 9° ano da Escola Estadual Almirante Newton Braga de Faria.

O livro foi feito com recursos provenientes do Edital de Cultura e Arte nas Escolas, da Secretaria Estadual de Educação. Ao todo são sessenta textos, escritos pelos alunos, divididos nos gêneros poesia, conto, memória e crônica.

Além do livro físico, o projeto prevê uma edição em e-book e áudio-livro, a ser lançado no mês de março desse ano. A primeira tiragem de 100 exemplares, pagos com os recursos do edital mencionado, foram doados aos alunos, equipe da escola, e demais pessoas, incluindo escritores potiguares e personalidades ligadas à área da educação; além de um número para compor o acervo da biblioteca da própria escola.

A tiragem extra com mais 100 exemplares, está sendo vendida, cada exemplar ao preço de R$ 20 e toda a arrecadação será destinada aos projetos de incentivo à leitura e escrita na Escola Estadual Almirante Newton Braga de Faria. No lançamento previsto para ocorrer nessa sexta-feira, participarão, além das professoras organizadoras, alguns alunos autores da obra.

A governadora eleita Fátima Bezerra apresenta na manhã desta segunda-feira a equipe de transição ao governador Robinson Faria. Segundo ela, já nesta terça-feira tem início o trabalho de mudança de governo. Alguns indícios de quem ocupará as pastas do governo poderão estar nessa equipe, como o nome que assumirá a Fundação José Augusto – FJA.

Para a pasta de cultura, três nomes já são especulados. O do poeta cordelista Crispiniano Neto já era esperado, não só pela extensa militância no Partido dos Trabalhadores, como pela experiência administrativa no cargo, quando esteve por duas gestões. Seria uma segurança para um setor tão escasso de nomes disponíveis e com tino administrativo para tal. Crispiniano também conta com empatia dos próprios servidores, muito em razão da implantação do Plano de Cargos durante sua administração.

Outro bom nome cotado é o do professor e ex-diretor do IFRN Cidade Alta, Lerson Maia (FOTO). O IF tem uma ligação, que eu diria, química, com o partidarismo de esquerda. Além disso, o trabalho realizado pelo IF Cidade Alta nos últimos anos modificou a rotina do Centro Histórico de Natal com atividades culturais e apoio a diversas iniciativas de arte e cultura. Apesar de sua formação em Educação Física, Lerson mostrou competência à frente desta instituição. Seria interessante vê-lo à frente da FJA.

E o terceiro nome especulado é o do atual diretor geral do órgão, o produtor Amaury Junior. Apesar de ocupar o cargo há pouco tempo e a partir de uma cota política do governador Robinson Faria para acomodar o apoio do vereador Raniere Barbosa, Amaury tem se articulado para se manter no cargo. Tem como aliado a continuidade do trabalho desenvolvido na gestão e também o apoio do próprio Raniere à candidatura de Fátima no segundo turno do pleito eleitoral.

Independentemente de quem assuma, se algum desses três ou outro, o novo gestor precisa se debruçar com certa urgência sobre questões como a atualização da Lei Câmara Cascudo, a efetivação do Fundo Estadual de Cultura e reabertura de equipamentos fundamentais pra vida cultural do Estado, como o Teatro Alberto Maranhão (hoje está com 6% das obras concluídas e em pleno andamento) e a Biblioteca Câmara Cascudo.

O Governo do Estado premiará 70 quadrilhas nordestinas do RN nesse mês de junho abrindo espaço para um das mais tradicionais manifestações da cultura regional.

A Fundação José Augusto lançou nesta sexta (8) o Edital Prêmio RN Junino 2018 para a a seleção de propostas e concessão de prêmios a 70 grupos culturais relacionados ao ciclo junino voltado para as tradições potiguares.

O edital, aberto até 19 de junho, está disponibilizado no site www.cultura.rn.gov.br, na secção “Editais”, contendo ficha de inscrição e todas as demais informações aos interessados.

Publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, premiará os festejos que mantêm vivas as tradições juninas no Rio Grande do Norte, apoiando a categoria de Quadrilhas Juninas. Os recursos, no valor de R$ 145 mil são oriundos da Fundo Estadual de Cultura/FJA.

O prêmio será dividido em duas etapas: a primeira, com habilitação jurídica com caráter eliminatório, e a segunda fase quando será realizada a seleção classificatória direcionada aos candidatos habilitados na etapa anterior.

Objetivo

O objetivo do Prêmio RN Junino 2018 é formular e supervisionar a execução da política estadual de cultura e incentivar a criação artística em todas as suas formas de expressão, a pesquisa de novas linguagens, a formação e o aprimoramento da celebração popular mais difundida no país.

A divulgação do resultado da etapa de habilitação será feita no dia 20 de junho. O resultado final do prêmio será publicado no Diário Oficial do Estado em 3 de julho.


FOTO: Ivanízio Ramos