Três nomes são especulados para assumir a FJA na gestão Fátima Bezerra

A governadora eleita Fátima Bezerra apresenta na manhã desta segunda-feira a equipe de transição ao governador Robinson Faria. Segundo ela, já nesta terça-feira tem início o trabalho de mudança de governo. Alguns indícios de quem ocupará as pastas do governo poderão estar nessa equipe, como o nome que assumirá a Fundação José Augusto – FJA.

Para a pasta de cultura, três nomes já são especulados. O do poeta cordelista Crispiniano Neto já era esperado, não só pela extensa militância no Partido dos Trabalhadores, como pela experiência administrativa no cargo, quando esteve por duas gestões. Seria uma segurança para um setor tão escasso de nomes disponíveis e com tino administrativo para tal. Crispiniano também conta com empatia dos próprios servidores, muito em razão da implantação do Plano de Cargos durante sua administração.

Outro bom nome cotado é o do professor e ex-diretor do IFRN Cidade Alta, Lerson Maia (FOTO). O IF tem uma ligação, que eu diria, química, com o partidarismo de esquerda. Além disso, o trabalho realizado pelo IF Cidade Alta nos últimos anos modificou a rotina do Centro Histórico de Natal com atividades culturais e apoio a diversas iniciativas de arte e cultura. Apesar de sua formação em Educação Física, Lerson mostrou competência à frente desta instituição. Seria interessante vê-lo à frente da FJA.

E o terceiro nome especulado é o do atual diretor geral do órgão, o produtor Amaury Junior. Apesar de ocupar o cargo há pouco tempo e a partir de uma cota política do governador Robinson Faria para acomodar o apoio do vereador Raniere Barbosa, Amaury tem se articulado para se manter no cargo. Tem como aliado a continuidade do trabalho desenvolvido na gestão e também o apoio do próprio Raniere à candidatura de Fátima no segundo turno do pleito eleitoral.

Independentemente de quem assuma, se algum desses três ou outro, o novo gestor precisa se debruçar com certa urgência sobre questões como a atualização da Lei Câmara Cascudo, a efetivação do Fundo Estadual de Cultura e reabertura de equipamentos fundamentais pra vida cultural do Estado, como o Teatro Alberto Maranhão (hoje está com 6% das obras concluídas e em pleno andamento) e a Biblioteca Câmara Cascudo.

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

  • Reply João Marcelino

    Os Funcionários da FJA e artistas têm motivos de sobra para apoiar o nome do poeta Crispiniano Neto para a pasta da cultura potiguar. Endosso a opinião do papocultura.com.br

  • Reply Eliane

    Crispiniano com certeza!!!

  • Reply Carlos Tourinho

    Sem dúvida que o Crispiniano Neto vai dar continuidade ao seu bom desempenho à frente da Fundação José Augusto.
    Muito ,ainda, tem que se resolvido como as casas de culturas que estão abandonadas, os pontos de cultura um dos melhores programas do Lula na área da cultura, que estão esquecidos, ou seja, o que ele deixou em ordem está precisando de um administrador que tenha capacidade administrativa e penetração política para ser a voz dos que fazem cultura no Rio Grande do Norte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *