5 filmes imperdíveis sobre ícones do rock para você assistir na Netflix

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Aos fãs de documentários sobre música há um universo convidativo de filmes no catálogo da Netflix, e relativamente novos. Tenho explorado alguns de uns dias para cá, com resultado satisfatório. Pretendo assistir ainda os da banda Chicago, Greateful Dead e da Nina Simeone, pelo menos. Sim, todos “dazantiga”, mas há também aos adeptos dos anos 90, como Oasis. Aos do rock, a trajetória do Foo Figheters, do Metallica. E aos mais moderninhos, a Lady Gaga. Enfim, opções variadas para quem gosta do universo dos bastidores da música e antes explorava a gôndola de biografias na videolocadora.

HARRISON X RICHARDS

Nesse duelo de guitarristas das duas maiores bandas do pop-rock mundial, quem leva de goleada é Keith Richards. Pelo menos nos dois documentários que vi sobre eles. E olha que o do caçula dos Beatles foi dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese. Chama-se ‘George Harrison: Living in the Material World’ (2011). E traz personagens e depoimentos interessantes, curiosos, mas sem apuro estético, sem inovação e, para um beatlemaníaco, sem tantas novidades.

Já o ‘Under The Influence’ (2015), dirigido por um tal Morgan Neville, desmistifica pelo menos dois mitos sobre o guitarrista e compositor dos Rolling Stones: o de que ele é um porra louca e o de que é um guitarrista simplório. O doc mostra um cara centrado, mesmo com copo de whisky e cigarro na mesma mão, e um puta músico multi-instrumentista. Vale dar uma sacada nos dois docs, mas se escolher um, mergulha na figura mais underground dos Stones.

BOWIE, SEMPRE

‘Bowie: The Man Who Changed the World’ (2016), de Sonia Anderson, vai além de guitarras e composições. Deixa essa disputa para os dois acima. Aqui falemos de estética, de arte e cultura e… tudo bem, de música, claro. Me serviu demais para dimensionar ainda mais a importância e, sobretudo, a influência desse cara para a música e o comportamento de um jovem rocker ao longo de décadas.

Na construção técnica e criativa de um documentário, ainda prefiro o Under The Influence, mas a figura icônica e multifacetada de David Bowie ajuda a tornar qualquer filme interessante. Alguns podem sentir falta de mais detalhes na construção dos álbuns, na cronologia dos fatos e outras informações comuns em docs sobre figuras da música. Mas Bowie vai além disso e o filme também quebra esses paradigmas.

AOS BEATLEMANÍACOS

Com o pomposo nome de ‘It Was Fifty Years Ago Today! The Beatles: Sgt Pepper And Beyond’, este doc lançado ano passado celebra os 50 anos do maior álbum pop da história. E sim, mesmo aos beatlemaníacos já extasiados de tanta bibliografia da banda, vale assistir. Muita gente curiosa entre os entrevistados, como a irmã de Lennon e alguns dos principais jornalistas e biógrafos do quarteto, afora muitas entrevistas pouco exibidas da banda.

Não sei se proposital, mas o doc começa exatamente no período posterior ao último filme lançado sobre os Beatles: ‘Eight Days a Week’, dirigido por Ron Howard e que compreende os primeiros anos da banda, até 1966, quando finalizaram as turnês. Então, ‘It Was Fifty Years Ago…’, dirigido por Alan Parker, funciona com uma espécie de continuação. O filme começa no segundo semestre de 1966 e termina em 1967 com o sucesso de Sgt. Peppers. Seria massa outro doc que encerrasse o ciclo, até 1970.

EAGLES, COM ESFORÇO

O clássico Hotel California me puxou a assistir ‘History of the Eagles’. Nunca fui fã da banda, mas adoro Hotel Califórnia e ansiava por alguma história bacana ou um doc bem acabado sobre a história por trás da música. Mas resisti estoicamente a duas das mais de três horas do filme e não há nada além daqueles cinco caras de calças jeans tocando canções country-pop legaizinhas com um baterista de voz rouca e muito massa e um documentário bonzinho. O Eagles é aquele aluno que, com muito esforço, passa por média na escola.

Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *