Está aberta até 3 de março a nova temporada online do documentário “Quando as nuvens eram nossas – Recortes da vida e obra de Oriano de Almeida”, do cineasta Carito Cavalcanti.

A obra integra as ações desenvolvidas pelo Projeto Isadora Rezende, que promoveu ainda uma etapa de residência artística e o recital “Isadora e Oriano”, realizados no ano de 2019 através de patrocínio da Lei Djalma Maranhão e Cei Romualdo Galvão.

O documentário pode ser visto no canal do YouTube da pianista Isadora Rezende e no neste canal da Praieira Filmes, de Carito Cavalcanti.

O projeto fomentou a preservação da memória do grande pianista Oriano de Almeida, personagem fundamental na história da música instrumental brasileira e do desenvolvimento do pianismo no estado.

O documentário é conduzido pela pianista Isadora Rezende, cuja história se entrelaça com a de Oriano através de suas aulas de piano, sugerindo a delicadeza e a força das relações construídas pela arte, através de gerações.

As histórias da vida do pianista são desveladas pelos afetos e memórias de pessoas que com ele conviveram.

QUANDO AS NUVENS ERAM NOSSAS

“Quando As Nuvens Eram Nossas – Recortes da vida e obra de Oriano de Almeida” é um documentário sobre o pianista Oriano de Almeida, com direção, roteiro e fotografia de Carito Cavalcanti (Praieira Filmes).

O filme é um curta-metragem (23 minutos) que traz recortes da vida e obra do artista, através de depoimentos de pessoas relacionadas a ele, como o historiador Claudio Galvão que escreveu um livro sobre Oriano intitulado “O Céu Era o Limite”.

O documentário faz um resgate da memória biográfica de Oriano e busca transcender ao que está escrito em livros, valorizando a tradição oral, trazendo também muitas imagens de arquivo.

Além do historiador Claudio Galvão, o filme tem ainda a participação de Diógenes da Cunha Lima (advogado, poeta e presidente da Academia Norte Rio-Grandense de Letras), Marluze Romano (pianista e aluna de Oriano), Luiza Maria Dantas (pianista e aluna de Oriano), Danilo Guanais (músico, compositor e professor da EMUFRN), Guilherme Rodrigues (pianista e professor da EMUFRN), e a participação especial da jovem pianista Isadora Rezende que conduz as entrevistas.

O filme também faz um paralelo entre Oriano e Isadora. Durante vários meses o cineasta Carito Cavalcanti acompanhou Isadora Rezende nessa busca sobre a história de Oriano de Almeida, cuja pesquisa foi coordenada por Fernanda Ferreira – mãe de Isadora e produtora do “Projeto Isadora Rezende”.

Ficha Técnica do Documentário:

Direção, Roteiro, Fotografia e Som Direto: Carito Cavalcanti

Edição: Carito Cavalcanti e Levi Herrera

Finalização: Levi Herrera

Texto e Narração Final: Isadora Rezende

Mixagem de Áudio: Fernando Suassuna

Imagens de Arquivo: Acervo Oriano de Almeida da EMUFRN, Acervo Pessoal de Cláudio Galvão e Programa Memória Viva da TVU-RN

Elenco: Isadora Rezende, Fernanda Ferreira, Daniel Rezende, Diógenes da Cunha Lima, Marluze Romano, Luiza Maria Dantas, Cláudio Galvão, Danilo Guanais e Guilherme Rodrigues

Produtora do Projeto Isadora Rezende: Fernanda Ferreira

Patrocínio: Prefeitura Natal, Programa Djalma Maranhão e CEI Romualdo Galvão Apoio: Escola de Música da UFRN e UFRN; P&C Natal e Sesc RN.

Esta temporada é realizada a partir da Lei Aldir Blanc, Fundação José Augusto, Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

 

A partir das 19h desta segunda-feira, 15 de junho, até às 23h59 do dia 30 do mesmo mês, estará aberta a temporada online do documentário “Quando as nuvens eram nossas”, do cineasta Carito Cavalcanti.

A obra integra as ações desenvolvidas pelo Projeto Isadora Rezende, que promoveu ainda uma etapa de Residência artística e o recital “Isadora e Oriano”, realizados no ano de 2019 através de patrocínio da Lei Djalma Maranhão e Cei Romualdo Galvão.

O projeto fomentou a preservação da memória do grande pianista Oriano de Almeida, personagem fundamental na história da música instrumental brasileira e do desenvolvimento do pianismo no estado do RN.

O documentário é conduzido pela pianista Isadora Rezende, cuja história se entrelaça com a de Oriano através de suas aulas de piano, sugerindo a delicadeza e a força das relações construídas pela arte, através de gerações. As histórias da vida do pianista são desveladas pelos afetos e memórias de pessoas que com ele conviveram.

Serviço

De 15 a 30 de junho de 2020
Nas plataformas/canais:

Isadora Rezende:

Sinopse:

O filme é um curta-metragem (23 minutos) que traz recortes da vida e obra do artista, através de depoimentos de pessoas relacionadas a ele, como o historiador Claudio Galvão que escreveu um livro sobre Oriano intitulado “O Céu Era o Limite”.

O documentário faz um resgate da memória biográfica de Oriano e busca transcender ao que está escrito em livros, valorizando a tradição oral, trazendo também muitas imagens de arquivo.

Além do historiador Claudio Galvão e de Isadora Rezende, o filme tem ainda a participação de Diógenes da Cunha Lima (advogado, poeta e presidente da Academia Norte Rio-Grandense de Letras), Marluze Romano (pianista e aluna de Oriano), Luiza Maria Dantas (pianista e aluna de Oriano), Danilo Guanais (músico, compositor e professor da EMUFRN), Guilherme Rodrigues (pianista e professor da EMUFRN).

O filme também faz um paralelo entre Oriano e Isadora. Durante vários meses o cineasta Carito Cavalcanti acompanhou Isadora Rezende nessa busca sobre a história de Oriano de Almeida, cuja pesquisa foi coordenada por Fernanda Ferreira – mãe de Isadora e produtora do “Projeto Isadora Rezende”.

Ficha Técnica:

Direção, Roteiro, Fotografia e Som Direto: Carito Cavalcanti
Edição: Carito Cavalcanti e Levi Herrera
Finalização: Levi Herrera
Texto e Narração Final: Isadora Rezende
Mixagem de Áudio: Fernando Suassuna
Imagens de Arquivo: Acervo Oriano de Almeida da EMUFRN, Acervo Pessoal de Cláudio Galvão e Programa Memória Viva da TVU-RN
Elenco: Isadora Rezende, Fernanda Ferreira, Daniel Rezende, Diógenes da Cunha Lima, Marluze Romano, Luiza Maria Dantas, Cláudio Galvão, Danilo Guanais e Guilherme Rodrigues
Produtora do Projeto Isadora Rezende: Fernanda Ferreira
Patrocínio: Prefeitura Natal, Programa Djalma Maranhão e CEI Romualdo Galvão
Apoio: Escola de Música da UFRN e UFRN; P&C Natal e Sesc RN.

A Escola de Música da UFRN recebe, nos dias 18 e 19 de dezembro, a partir das 19h, o Recital Isadora & Oriano, com a pianista Isadora Rezende. Na ocasião também terá o lançamento do documentário “Quando as Nuvens Eram Nossas”, de autoria do cineasta Carito Cavalcanti.

Serão duas noites em homenagem ao pianista Oriano de Almeida, que prometem emocionar o público. A entrada é gratuita. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes do início de cada apresentação.

Oriano de Almeida

O pianista Oriano de Almeida nasceu em Belém, mas veio ainda criança pra Natal em 1930, quando começou a estudar piano com seu tio, o maestro Waldemar de Almeida. Desde cedo demonstrou sua destreza ao instrumento.

Foi um pianista que ficou conhecido em todo o Brasil. Tocou em alguns dos maiores palcos do mundo, e ganhou muitos prêmios fazendo o que mais amava: tocar piano.

Além de pianista, Oriano também foi compositor, que cantou suas memórias e seus afetos, em obra que reflete sua memória afetiva, suas alegrias e sua terra.

Ao longo dos anos, tornou-se figura importante no desenvolvimento da música e das atividades artísticas e culturais do Rio Grande do Norte.

A jovem pianista Isadora descobriu e se apaixonou pelo feito de Oriano quando ainda tinha 10 anos de idade.

Lançamento do documentário “Quando as Nuvens Eram Nossas”

“Quando As Nuvens Eram Nossas” é um documentário sobre o pianista Oriano de Almeida, com direção, roteiro e fotografia de Carito Cavalcanti (Praieira Filmes).

O filme é um curta-metragem (23 minutos) que traz recortes da vida e obra do artista. Traz depoimentos de pessoas relacionadas a ele, como do historiador Claudio Galvão, que escreveu um livro sobre Oriano intitulado “O Céu Era o Limite”.

O documentário resgata a memória biográfica de Oriano e busca transcender ao que está escrito em livros, valorizando a tradição oral, trazendo também muitas imagens de arquivo.

Além de Claudio Galvão, o filme tem ainda participação de Diógenes da Cunha Lima (presidente da Academia Norte Rio-Grandense de Letras), Marluze Romano e Luiza Maria Dantas (pianistas e alunas de Oriano), Danilo Guanais (músico, compositor e professor da EMUFRN), Guilherme Rodrigues (pianista e professor da EMUFRN), e de Isadora Rezende, que conduz as entrevistas.

O filme também faz um paralelo entre Oriano e Isadora. Durante vários meses Carito Cavalcanti acompanhou Isadora Rezende nessa busca sobre a história de Oriano de Almeida, cuja pesquisa foi coordenada por Fernanda Ferreira – mãe de Isadora e produtora do “Projeto Isadora Rezende”.

O filme é mais uma ação do “Projeto Isadora Rezende” que também promove o recital “Isadora e Oriano”.

Isadora Rezende

A pianista iniciou na música através do Curso de iniciação Artística na UFRN. Aos seis anos passou a estudar piano com a professora Regiane Yamaguchi. Fez seu primeiro recital solo aos sete anos.

Em 2015 foi convidada pelo professor Miguel Proença para se apresentar no Espaço BNDES, no Rio de Janeiro, no concerto Jovens Talentos. Em 2016 alcançou a primeira colocação em sua categoria no concurso Steinway-Caio Pagano, realizado pela USP – Ribeirão Preto.

Isadora também participou de aulas com os professores Miguel Proença, Lúcia Barrenechea, Michael Uhde, David Korevaar, Mauricy Martin, Markus Stange, Guigla Katsarava, Eduardo Monteiro, entre outros.

Foi aluna de Percepção e solfejo do maestro André Muniz, da professora Maria Clara Gonzaga, e de Danilo Guanais.

Em 2018 obteve a primeira colocação em sua categoria no concurso Souza Lima (SP).

Em 2019, foi solista do concerto “Com amor, Mozart”, executando o exigente concerto em ré menor de Mozart. E foi solista convidada no segundo concerto da temporada oficial da Filarmônica UFRN, executando o mesmo concerto.

Neste mesmo ano, foi selecionada como bolsista do prestigioso Festival Orford Musique, em Montreal, Canadá, e foi selecionada como bolsista da FEMUSC, Festival de Música de Santa Catarina, um dos mais importantes da América Latina.

Integrando o grupo de finalistas do Concurso Jovens Talentos Mansueto Barbosa 2019, em Fortaleza/CE, alcançou a segunda colocação.

Hoje é aluna da classe de piano do professor Guilherme Rodrigues, na UFRN.

O Projeto Isadora Rezende conta com o patrocínio do Programa Djalma Maranhão e do CEI Romualdo Galvão.

Serviço

Recital Isadora & Oriano e Lançamento do Documentário
Quando: 18 e 19 de dezembro
Horário: 19h
Onde: Escola de Música da UFRN
Entrada Gratuita (retirada dos ingressos a partir das 18h)
Endereço: R. Cel. João Medeiros – Lagoa Nova, Campus da UFRN – Natal – RN
Classificação livre
Cada apresentação terá duração de 1h e 10 minutos.

Após o anúncio da renúncia fiscal para viabilizar o Programa Djalma Maranhão, a lei municipal de incentivo à cultura de Natal, o primeiro projeto do ano foi aprovado. E o Oscar vai para… Isadora Rezende, a pianista prodígio que há poucas semanas foi solista num dos concertos da Filarmônica UFRN.

A aprovação do projeto ‘Isadora Rezende’, cujo proponente é Fernanda Cristina da Costa Ferreira, foi publicado hoje no Diário Oficial de Natal junto com o pedido de prorrogação por mais seis meses de outros três projetos: ‘Nas terras de bem viver’, ‘Rota Musical’, e ‘Entre Nós Coletivo de Criação’.

Principal motor de impulsionamento da cultura de Natal, a Lei Djalma Maranhão abriu seu período de inscrição no último 25 de abril. O prazo vai até 25 de outubro e as informações e formulários podem ser obtidos no 3232-4956 ou na sede da Funcarte. O valor da renúncia este ano é de R$ 9.577.720,00.

O segundo concerto da temporada 2019 da Filarmônica UFRN acontece neste sábado em duas sessões: às 18h e às 20h. As apresentações acontecem no Auditório Onofre Lopes da Escola de Música da UFRN (EMUFRN). Os concertos integram a programação de celebrações aos 10 anos da Orquestra e são gratuitos e abertos ao público geral, da comunidade acadêmica ou não.

A retirada de ingressos tem início a partir desta quinta-feira na Coordenação de Eventos da EMUFRN. São permitidos dois ingressos por pessoa no local. Não é necessário documentação, apenas nome e e-mail. E uma recomendação: os ingressos acabam rápido, portanto é melhor retirar os ingressos já na manhã da quinta.

Assim como no primeiro concerto, quando convidaram um violinista de apenas 13 anos como solista de uma das peças, esta segunda apresentação terá outro prodígio musical. É a pianista Isadora Rezende, solista destaque da noite que executará uma peça complexa: Piano Concerto Nº 20 em ré menor, K.466 (1785) de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791).

Além de Mozart, também constam no programa a peça Appalachian Spring (1943-44), versão para orquestra completa de Aaron Copland (1900-1990), obra composta como Balé e ganhadora do prêmio Pulitzer. E ainda Danse Bacchanale (1877) de Camille Saint-Saëns (1835-1921), que faz parte da Ópera Sansão e Dalila. Saint-Saëns enche sua dança comemorativa com linhas melódicas sinuosas e toques de “exotismo oriental”, bem como a seção de percussão particularmente exuberante.

FILARMÔNICA UFRN

A Filarmônica UFRN é formada por estudantes da Escola de Música e atua sob a regência do professor e Maestro André Muniz. Reconhecida pelo apuro técnico e compromisso com a qualidade musical, o grupo possui no seu histórico mais de 100 apresentações, uma turnê pela Alemanha (2015) e apresentação no Vaticano para o Papa (2018).

SERVIÇO

II CONCERTO FILARMÔNICA UFRN
Data: 13/04/2019
Local: Escola de Música da UFRN – Auditório Onofre Lopes
Horário: 18h e 20h
Entrada gratuita


Já segue nosso instagram?