Livro analisa um dos grandes romances da literatura potiguar

A professora Aparecida Rêgo lança nesta sexta, no Palácio da Cultura (Pinacoteca do Estado), o livro ‘Entre salinas e maledicências: uma leitura do romance Macau em contexto de ensino’. Será a partir das 18h30 e contará com shows musicais de Yrahn Barreto e Jamilly Mendonça.

Sobre o livro, comenta abaixo o também professor e imortal da Academia Norte-riograndense de Letras, Humberto Hermenegildo, que recentemente lançou o romance Rastejo:

Por Humberto Hermenegildo

Entre salinas e maledicências: uma leitura do romance Macau em contexto de ensino é o título do livro que analisa as configurações da linguagem em Macau, romance de Aurélio Pinheiro, publicado em 1934. O feitio do romance revela conflitos determinados por tensões decorrentes de processos modernizadores que se manifestam em Macau, cidade interiorana potiguar, contextualizada no início do século XX. Verifica-se, na leitura, um diálogo intertextual com o chamado “Romance de 30”.

Além da análise literária, este livro traz uma importante contribuição para o ensino de literatura: o relato da leitura de Macau em situação de ensino, em sala de aula. Destina-se, portanto, a uma parcela de leitores que refletem sobre a aplicabilidade dos conhecimentos literários no contexto educacional e que se inserem em um movimento cada vez mais crescente na universidade brasileira (o movimento que reforça o princípio da leitura a partir do texto literário, sem desconsiderar os vínculos da forma artística com a sociedade que a produziu e que lhe dá sentido pela recepção).

No trabalho desenvolvido por Aparecida, aparecem frutos de pelo menos duas instâncias da UFRN: o Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-Rio-Grandenses, no seu incentivo ao estudo da literatura local; o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, com a sua área de concentração em Literatura Comparada, cuja linha de pesquisa “Leitura do Texto Literário e Ensino” se integra ao movimento nacional referido, de ampla repercussão social.

Oportuna publicação, para que se dê continuidade à construção de um conhecimento crítico sobre a literatura local na contracena de movimentos amplos, nacionais, como aquele já clássico “Romance de 30” que ajudou a consolidar o movimento modernista brasileiro.

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *