Câmara Cascudo é tema de projeto literário e debate nesta sexta em Natal

O projeto “Literatura e Direito”, realizado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), promove a edição especial “120 anos de Câmara Cascudo” nesta sexta-feira (28), das 9h às 12h, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça. O debate terá como ponto de partida a obra “Canto de Muro”, romance publicado pelo folclorista.

A obra é uma descrição minuciosa das relações entre as diversas espécies que habitam um espaço mínimo que se estende ao longo de um canto de muro. Todos os conflitos e embates que envolvem essa convivência demonstram que, mesmo com tantas naturezas diferentes, elas podem coabitar de forma harmônica; evidenciando que cada uma tem sua função naquele ecossistema e que, dentro dos possíveis desequilíbrios, elas se equilibram.

A reflexão sobre a condição humana é inevitável ao se traçar um paralelo com a obra, o que pode acabar por transformar a história numa grande metáfora social.

Além de “Canto de Muro”, a mesa redonda vai abordar o ícone Câmara Cascudo como referência mundial de uma cultura e identidade nacional, trazendo para o cenário a discussão ética sobre o direito à cultura.

Essa edição especial vai contar com participações do presidente da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, Diógenes da Cunha Lima; da presidente do Ludovicus – Instituto Câmara Cascudo, Daliana Cascudo Roberti Leite; e da vice-presidente do Instituto, Camilla Cascudo Barreto Maurício. Além deles, vão enriquecer o debate, os promotores de Justiça Morton Luiz Faria de Medeiros, Manoel Onofre de Souza Neto e Marcus Aurélio de Freitas Barros.

Para a Assessora Técnica de Editoração do CEAF, Nouraide Fernandes Rocha de Queiroz, que é uma das idealizadoras do projeto: “Câmara Cascudo é, reconhecidamente, pesquisador fundamental da cultura brasileira, que nos presenteia com vasto acervo de obras publicadas, as quais traduzem com muita propriedade a nossa história, o nosso sentido cultural. Câmara Cascudo representa um dos pilares da nossa construção identitária, deixou-nos imenso legado sociocultural e leva o encantamento e a riqueza do Brasil mundo afora. É ícone potiguar de relevância mundial e o conhecimento da obra cascudiana é indispensável para melhor compreensão de quem somos.

Sobre Luís da Câmara Cascudo:

Luís da Câmara Cascudo nasceu em Natal, no dia 30 de dezembro de 1898. Foi um historiador, antropólogo, advogado e jornalista. Câmara Cascudo passou toda a sua vida em Natal e dedicou-se ao estudo da cultura brasileira. Foi professor da Faculdade de Direito de Natal, hoje Curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), cujo Instituto de Antropologia leva seu nome. Faleceu em 30 de julho de 1986, aos 87 anos, e deixou um dos mais ricos legados para a cultura brasileira.

Apaixonado pela sua terra, se autointitulando um provinciano incurável, Câmara Cascudo reconhecia que “o melhor produto do Brasil ainda é o brasileiro”.

About The Author: Redação

Redação

Obrigado pela visita!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *