Exposição sobre memórias e como nos construímos com elas está aberta à visitação

A exposição Eu Queria Ver e Tentei, de Sofia Bauchwitz (RJ, 1988) está aberta à visitação no Bólide1050, um espaço cultural autônomo, ligado às artes visuais e situado no bairro do Tirol. A exposição é um ensaio visual que fala dos abismos, do desconhecido, do que apenas pode-se ver, do instante do quase. É uma mostra sobre memórias e como nos construímos com elas.

Na mostra são recorrentes as imagens aquáticas, a baleia e outros animais carregados de simbolismos, fortemente relacionados ao imaginário feminino, e o livro como dispositivo narrativo e inventivo.

A mostra é composta por dois núcleos. Um espaço de leitura, com documentos antigos e traduções visuais, e duas instalações escultóricas. Ambas as peças recuperam o imaginário da pesca e do mar, entrelaçando fragmentos de histórias e mal-entendidos.

A mostra fica aberta ao público até o dia 3 de agosto. Visitas devem ser agendadas através de telefone (84) 994238098 ou redes sociais do Bólide1050.

Sobre Sofia Bauchwitz

Sofia Bauchwitz é formada em artes visuais (UFRN, 2012), mestra em Criação Artística e investigação (Universidad Complutense de Madrid, 2013) e doutora em Belas Artes (Universidad Complutense de Madrid, 2017). Sua tese, El artista errante y el discurso como cartografia, gira em torno de problemáticas do corpo sem forma e a não identidade nas práticas artísticas contemporâneas.

Desde 2014, realiza o projeto Fronteiras e Estados de Sítio, projeto itinerante de cartografia de discursos artísticos que já conta com três edições (Pinacoteca do Estado do RN, 2014; Casa do Brasil em Madrid, 2016; Centro de Arte Complutense, 2016).

É membro da comissão editorial da Revista Barahúnda, revista espanhola de arte e pensamento. Sua obra visita diversos meios e formatos, tendo sido exposta recentemente em: Arnhem Museum (Holanda), Sala de Arte Joven de Madrid (Espanha), Centro de Arte Complutense (Madrid, Espanha), MAK Center (Los Angeles, EUA), e Estação das Artes (João Pessoa).

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *