junior-dalberto

[LUTO] Morre de Covid o dramaturgo Junior Dalberto

Sérgio Vilar27 de outubro de 2020Personagens do RN Image

O escritor, dramaturgo, encenador, poeta potiguar e policial federal aposentado Junior Dalberto faleceu na madrugada de hoje aos 60 anos. Faria 61 nesta sexta-feira não fosse a Covid-19.

Junior deixa vasto material publicado e encenado, mas principalmente a lembrança da gentileza e da generosidade. Sempre me presenteou com seus livros e com seu prestígio, seja como leitor deste blog, como plateia em mesas redondas ou com o mais valioso: com o respeito, que o dava de volta, ainda com o bônus da admiração pelo talenro e pela pessoa.

Tinha o espírito libertário, embora carregasse alguma timidez, alguma introspecção em seus gestos e palavras. Tudo despejado em forma de letras, em livros e peças teatrais.

É autor de 15 peças teatrais e dois roteiros musicais. Autor e encenador dos textos infantis “Um Robô no Mundo da Fantasia” no Rio de Janeiro, “Pinóquio e o Circo” e “A Trilha da Caveira que Ri”.

Se enveredou por outros ofícios. Foi formado em Ciências Contábeis pela UFRN e era policial federal aposentado. Mas a arte lhe puxou. Tenho comigo ainda os livros Pipa voada sobre bancas dunas (CJA, 2011), Cangaço e o carcará sanguinolento (CJA, 2013) e Blattodea (CJA, 2017). Mas publicou ainda Leveza Infinita (CJA, 2014), Reféns nos Andes (CJA, 2015), Titina e a fada dos sonhos (CJA, 2017), entre outros.

Junior Dalberto fez ainda a direção cênica da inauguração do Cine Teatro Parnamirim. Mais recentemente foi dramaturgo dos monólogos Boderline (com 6 anos em cartaz) e Inkubus.

O teatro e as letras potiguares têm um dia de luto. A senhora gentileza perde um soldado. E aos amigos, a certeza de uma alma boa entregue aos ventos, como uma pipa voada destas brancas dunas.


IMAGEM: Eva Potiguar

Sobre o autor

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

COMMENTS

Eva Potiguar

Meu amigo querido e inesquecível!
Essa foto fui eu que fiz em aquarelado para ele. Coloquei o mar e montanhas atrás, porque ela gostava de viajar e amava o mar. 😭😭

Luís Carlos Freire

Que perda! Um homem de mente privilegiada. Ser genial! Sem palavras…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *