Mais bandas da Umbanda

bandas-da-umbanda

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Coluna Okê Umbanda! #03

Dando continuidade a nossos esclarecimentos sobre a Umbanda e suas vertentes, veremos aqui algumas das práticas mais conhecidas dessa religião e suas principais características.

Esperamos que esse despretensioso texto possa auxiliar no starter para pesquisas mais aprofundadas sobre o tema, criando assim um encontro de afinidade com a vertente que mais se adequa às mais variadas buscas em torno dessa apaixonante religião.

Seguimos com outras tantas várias variáveis de uma religião plural e genuinamente brasileira, a Umbanda.

Umbanda Eclética Maior

Vertente fundamentada por Oceano de Sá (23/02/1911 – 21/04/1985), conhecido como mestre Yokaanam. Surgiu no Rio de Janeiro em 1946.

Se caracteriza por ter um forte sincretismo entre os Orixás e os santos católicos, porém reinterpretados de forma totalmente distinta das tradições africanas.

Faz uso doutrinário dos seguintes livros: Evangelho de Umbanda, Manual do instrutor eclético universal, Yokaanam fala a posteridade e Princípios fundamentais da doutrina eclética.

Aumbhandã (Umbanda Esotérica ou Umbanda de Pai Guiné)

Foi fundamentada por Pai Guiné de Angola a partir do seu médium Woodrow Wilson da Matta e Silva, também conhecido como mestre Yapacani ou Matta e Silva (28/06/1917 – 17/04/1988).

Vertente surgida no Rio de Janeiro em 1956, com a publicação do livro: A Umbanda de todos nós.

Existe uma grande influencia da Teosofia, Astrologia, Cabala e por outras escolas ocultistas mundiais.

Essa linha é baseada no Arqueômetro, instrumento esotérico criado por Joseph Alexandre Saint-Yves D´Alveydre (26/03/1846 – 05/02/1909) e que acredita existir uma linguagem oculta universal relacionando a Astrologia, Numerologia, Cabala e o uso das cores.

Umbanda Guaracyana

Surgida em São Paulo em 1973 com a fundação do Templo Guaracy do Brasil pelo Caboclo Guaracy através do médium Sebastião Gomes de Souza (1950), conhecido como Carlos Buby.

A divulgação é através dos diversos templos Guaracys do Brasil e do Exterior. Não existe culto a santos católicos e os Orixás são reinterpretados em relação as tradições africanas.

Umbanda dos Sete Raios

Foi fundamentada por Ney Nery dos Reis (1929), conhecido como Omolubá e Israel Cysneiros no Rio de Janeiro em 1978 com a publicação do livro: Fundamentos de Umbanda – Revelação Religiosa.

Os principais focos de divulgação são os livros escritos por Omolubá e as tendas criadas por seus discípulos.  Nessa vertente 12 Orixás são divididos e agrupados em sete raios.

Aumpram (Aumbandhã)

Foi fundamentada por Pai Tomé, Babajiananda, através do médium Roger Feraudy (1923 – 2006) no Rio de Janeiro em 1986 com o livro: Umbanda, essa desconhecida.

Essa vertente é uma derivação da Aumbandã que se distanciou dela por adotar a prática da apometria e por desenvolver a teoria da origem da Umbanda, na qual a mesma surgiu a 700.000 anos em dois continentes míticos perdidos, Lemúria e Atlântida.

Nestes continentes os terráqueos teriam convivido com extraterrestres, que teriam ensinado sobre o Aumpram, a verdadeira lei divina.

Ombhandhum (Umbanda Iniciática ou Proto Síntese Cósmica)

Vertente fundamentada por Rivas Neto (1950), também conhecido como Arhapiagha em São Paulo (1989) com a publicação do livro, Umbanda: a proto-síntese cósmica.

Esta vertente é uma derivação da Umbanda Esotérica, porém foi se distanciando da sua matriz por desenvolver em sua doutrina um movimento chamado de convergência, pois busca um ponto convergente entre as várias vertentes da Umbanda.

Existe também grande influência oriental, com termos de mantras indianos e utilização do sânscrito e assim como a Aumpram, há a crença que a origem da Umbanda se encontra nos míticos continentes perdidos: Lemúria e Atlântida.

Outras vertentes…

A Umbanda é uma religião nova e dinâmica.  Além das vertentes descritas anteriormente, existem outras tantas mais novas como: UmbanDaime, Umbandamastê e et caetera.

Não podemos deixar de falar a respeito da Umbanda Sagrada ou Natural. Porém, referida linha será assunto para todo um texto, pois a vertente difundida pelo Mago do Arco-íris Sagrado, Rubens Saraceni nos servirá como guia e suporte para todas as nossas discussões acerca da Umbanda.

Salve a Umbanda e todas as suas bandas!

Saravá, Axé e Mojubá!


Fonte.: Registro de Umbanda, Renato Guimarães.


FOTO: Henrique Esteves

Fabio DeSilva

Fabio DeSilva

Médium de Umbanda.

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *