daniel valente

Jovem poeta potiguar integra Antologia Luso Brasileira de poesia livre

Redação19 de agosto de 2019Poesia, , , Image

Organizado pela editora portuguesa, chiado Editora, o I Volume da Antologia Luso Brasileira da Poesia Livre, intitulado “Liberdade”, reúne nesses tempos difíceis o que os poetas brasileiros contemporâneos têm a dizer sobre o tema. Entre os textos selecionados está o poema “Liberdade Cassada”, de autoria do poeta potiguar, Daniel Valente.

“Do que vale a liberdade do pássaro se as suas asas estão cortadas?”, foram essas, as palavras que causaram o espanto necessário para que Daniel escrevesse o texto que nos provoca a refletir a falsa ideia de liberdade em um sistema que nos faz livres — mas dentro de suas gaiolas.

Morando em Natal desde 2012, Daniel tem construído seu espaço no cenário da literatura. Ele publicou em novembro de 2016 o poema “Um desejo” na Revista virtual, Revista de Ouro; em maio do mesmo ano o poema “Dentro de vo(ser)” na Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea Além da Terra Além do Céu; em julho de 2017 o poema “Lágrimas Secas” na revista virtual, Revista de Ouro; no ano seguinte, o poema “João, eu só queria ver os pássaros” no livro Meio Dia do poeta Thiago Medeiros.

“Liberdade Cassada”, presente na Antologia de Poesia Luso Brasileira “Liberdade”, é a sua mais recente publicação. O livro encontra-se à venda tanto no Brasil quanto em Portugal, nas livrarias e no site da Chiado Editora.

Atualmente, Daniel Valente trabalha para a publicação do seu livro de estreia. É estudante de Letras da Universidade Potiguar, membro do PET (Programa de Educação Tutorial) de Letras do Rio Grande do Norte e integra o Sarau Insurgências Poéticas, contemplado pelo Edital Centro Histórico 2019 e considerado recentemente pelo Jornal Tribuna do Norte como sendo o principal palco da poesia natalense.

Abaixo, leia na íntegra o poema “Liberdade Cassada”.

Liberdade cassada

Do que vale a liberdade do pássaro
se as suas asas estão cortadas?
Do que vale a liberdade do pássaro
se a luz do seu céu está apagada?
Do que vale a liberdade do pássaro
se os seus pés estão cansados?
Do que vale a liberdade do pássaro
se ele já foi caçado?
Do que vale a liberdade do pássaro
se ela já foi embora?
Do que vale a liberdade do pássaro
se ele está na gaiola?
Do que vale a liberdade do pássaro
se não sabe onde ele mora?
Do que vale a liberdade do pássaro
Se voou e não foi embora?
Do que vale a liberdade do pássaro
no passado da memória?


FOTO: Maria de Quadros

Sobre o autor

Redação

Obrigado pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *