Forte dos Reis Magos terá cobrança de entrada para se autossustentar

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

A Secretária Extraordinária da Cultura e a Fundação José Augusto informam que, a partir de 16 de janeiro será cobrada a entrada para a visitação ao Forte dos Reis Magos no valor de R$ 5,00 (inteira) e R$ 2,50 (meia). Crianças até sete anos de idade e idosos a partir dos 60 anos de idade estarão isentos da cobrança. As formas de pagamento serão via pix, cartão de débito e em dinheiro que serão efetuadas em uma bilheteria localizada na área do estacionamento do Forte.

As escolas públicas da rede estadual e municipal terão gratuidade para as visitas ao equipamento, desde que previamente agendadas junto à Fundação José Augusto. As agências de turismo que realizam passeios para a fortificação deverão adquirir os ingressos previamente na sede da FJA.

A receita do ingresso, segundo a Secult, será destinada para oferecer auto sustentabilidade com aquisição de insumos, manutenção da estrutura e oferta de serviços que inclui a programação de exposições permanentes e itinerantes do Forte dos Reis Magos.

Agora será autossustentável?

Seria interessante a Secult/FJA informar a quantidade média de visitantes mensais no equipamento. Isso para a sociedade ter ideia de valores embolsados pelo órgão para a tal manutenção. É sabido por muitos que durante anos essa verba de acesso ao Forte foi motivo de controvérsia. Com esse dado poderíamos ser vigilantes mais atentos a aportes milionários para futuras obras de manutenção, já que a partir de 16 de janeiro, a ideia é que o Forte seja autosssustentável.

Exposição

Para festejar o nascimento da fortificação construída em 25 de dezembro de 1599, a Fundação José Augusto, por meio da Coordenação das Casas de Cultura Popular, está realizando até 30 de janeiro a exposição “Barquinho dos Santos Reis, Folguedos, Alfenins”, que apresenta os folguedos populares do ciclo natalino. São representações de personagens como Boi de Reis, Galante Mestre, Mateus, Burrinha, Jaraguá, Diana, Anjo, Cigana e a Borboleta, confeccionadas pelo artista visual João Natal.

 História

A edificação militar histórica foi o marco inicial de Natal, fundada em 25 de dezembro de 1599, ao lado direito da barra do Rio Potengi – hoje próximo à Ponte Newton Navarro. Recebeu este nome em função da data de início da sua construção, 6 de janeiro de 1598, dia de Reis pelo calendário católico. Tombado em 1949, o Forte esteve sob administração da FJA até 2013, quando passou para o IPHAN.

Em maio de 2017, o Forte retornou à gestão do Governo com uma cessão inicial de 20 anos, após quatro anos sob a administração do IPHAN. A condição em que o prédio foi entregue obrigou o início do processo de restauração.

Marco da fundação da Cidade do Natal, o Forte dos Reis Magos, foi fechado em novembro de 2018 e totalmente restaurado e reaberto em dezembro de 2021.  O investimento na edificação histórica somou R$ 4,3 milhões em recursos estaduais, viabilizados pelo Projeto Governo Cidadão junto ao empréstimo com o Banco Mundial, em parceria com a Secretaria Estadual de Turismo (Setur) e a FJA. A fiscalização foi feita pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Obras

Durante a restauração foram realizadas obras nas paredes e coberturas, pintura, corrimões nas escadarias, instalações elétricas e sanitárias, assoalhos, piso e teto novos, acessibilidade para pessoas com deficiência, sistema de prevenção e combate a incêndio, readequação da passarela de acesso e das salas de exposição. Além disso, a fortificação dispõe de uma estação compacta para tratar água e esgoto dos banheiros.

Serviço

Forte dos Reis Magos
Funcionamento: Terça a domingo
Horários: 8h às 16h
Ingresso: R$ 5,00 (inteira) e R$ 2,50 (meia)
————
CRÉDITO DA FOTO: Sandro Menezes
Redação

Redação

Obrigado pela visita!

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *