Rosa-de-Aroeira-Credito-Monica-Mac-Dowell

Curta-metragem potiguar é premiado em Los Angeles

Sérgio Vilar26 de outubro de 2020Audiovisual, Image

O curta-metragem potiguar Rosa de Aroeira foi um dos premiados na Mostra Competitiva BWIE (Brazilian Women in Entertainment), no Los Angeles Brazilian Film Festival (LABRFF), considerado hoje o maior festival de cinema Brasileiro nos Estados Unidos.

O Festival teve sua 13ª edição realizada na última semana, em formato online devido a pandemia, e anunciou na noite de ontem os filmes vencedores.

Rosa de Aroeira é um documentário com vinte minutos de duração, roteirizado e dirigido por Mônica Mac Dowell. O filme é o primeiro trabalho audiovisual da realizadora, que de posse de uma câmera de celular registrou a vida e o cotidiano de um grupo de quatro mulheres residentes na comunidade do Reduto, localizada no município de São Miguel do Gostoso.

Mônica, celebra a premiação e ressalta a força das mulheres:

“Ser premiada no LABRFF foi uma grata surpresa em razão do “Rosa de Aroeira” ser meu primeiro filme, iniciado de maneira espontânea e feito com celular. Fiquei imensamente feliz e muito estimulada a continuar fazendo filmes. Mas fiquei ainda mais contente por ter sido premiada numa categoria de mulheres realizadoras porque o filme é uma homenagem as mulheres da comunidade do Reduto, em São Miguel do Gostoso, por quem tenho imensa admiração”.

Ainda segundo Mônica, o filme contou ainda com “a montagem sensível de Larinha Dantas e a trilha sonora de Valéria Oliveira feita especialmente para o filme que me ajudou a costurar o roteiro.”

Fim do festival

A cerimônia de premiação foi marcada também pelo anúncio do fim do festival comunicada por sua fundadora Meire Fernandes que desde 2008 foi responsável por conectar os mercados americano e brasileiro, e por gerar negócios entre os dois países abrindo as portas da capital do cinema mundial para os talentos brasileiros apresentarem o que de melhor vinha sendo feito no cinema brasileiro.

Em seu discurso na cerimônia de encerramento, a fundadora do LABRFF afirmou que a decisão vinha sendo pensada há anos:

“Para chegarmos neste momento, a diretoria do Festival vem discutindo muito o assunto nos últimos anos. Nós contamos nos dedos os apoiadores do festival, e quero registrar a nossa gratidão a cada um deles, mas o suporte recebido não é suficiente. Ano após ano, temos colocado dinheiro dos nossos bolsos por acreditar nos resultados positivos do LABRFF”.

Filmes premiados

Outros filmes nordestinos também foram premiados: O longa pernambucano King Kong en Asunción, de Camilo Cavalcante, foi consagrado com o prêmio de melhor filme de ficção desta edição; o protagonista Andrade Júnior, que faleceu em maio do ano passado, recebeu a honraria de melhor ator in memorian. Além disso, o filme também foi premiado na categoria de melhor direção.

E os pernambucanos Piedade, de Cláudio Assis, e Acqua Movie, de Lírio Ferreira, também se destacaram na cerimônia com cinco prêmios cada um. Matheus Nachtergaele, Bruno Gagliasso, Fernanda Montenegro, Alessandra Negrini, Cauã Reymond, Augusto Madeira e Mariana Ruggiero foram consagrados por suas atuações.

FICHA TÉCNICA ROSA DE AROEIRA 

Roteiro, Direção, Produção e Fotografia: Mônica MacDowell

Montagem e Finalização: Larinha R. Dantas

Trilha Sonora Original: Valéria Oliveira

Mixagem e Edição de Som: Gabriel Souto e Eduardo Pinheiro

Colorgrading: Gabriel Souto

Design de Logotipo e Cartaz: Atena Marketing

 

MULHERES ENTREVISTADAS NO REDUTO

Dona Neuza: Neuza Felício Marques

Dona Deuzuite: Francisca Soares da Silva

Dona Gracinha: Maria das Graças Miranda Martins

Robéria: Robéria Menezes de Lima

Sobre o autor

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

COMMENTS

Heloisa

Onde eu posso assistir?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *