A Umbanda Sagrada na Umbanda

Rubens Saraceni

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Coluna Okê Umbanda! #04

Depois de apresentarmos as principais vertentes da Umbanda, chegamos à linha que norteará todas as nossas discussões a cerca de temas onde se mostre a visão umbandista inserida no contexto.

Umbanda Sagrada ou Umbanda Natural, é uma das várias vertentes existentes na Umbanda. Foi fundamentada pelos guias espirituais Pai Benedito de Aruanda e pelo Ogum Sete Espadas da Lei e da Vida, Mestre Seiman Hamser Yê, e difundida a partir de 1996 pelo médium e escritor Rubens Saraceni (1951 – 2015) em São Paulo / SP com a criação do curso de teologia de Umbanda.

Essa linha umbandista procura ser independente das doutrinas africanistas, espíritas, católicas e esotéricas, pois considera que a Umbanda possui fundamentos próprios e independentes dessas tradições, embora reconheça as influências de tais doutrinas na religião.

Essa vertente é pautada pelo estudo e acredita em uma cosmogonia e teogonia próprias que supririam a Umbanda e fariam que a mesma não dependa de outras religiões para se  fundamentar.

Principais focos de divulgação dessa vertente:

  • Colégio de Umbanda Sagrada Pai Benedito de Aruanda (1999);
  • Instituto Cultural Colégio Tradição de Magia Divina (2001);
  • AUEESP – Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo (2004);
  • Livros escritos por Rubens Saraceni;
  • JUS – Jornal de Umbanda Sagrada editado por Alexandre Cumino e Rodrigo Queiroz;
  • Programa radiofônico Magia da Vida;
  • Colégios e templos criados por seus discípulos.

Além disso, Rubens Saraceni é considerado o maior escritor da Umbanda (em número de publicações). São mais de 50 títulos publicados divididos em romances, doutrinários e de magias.

Na Umbanda Sagrada se cultua um Deus único (Olorum), o Divino Criador e seus adeptos podem realizar o culto aos santos católicos de maneira sincrética com os Orixás que são entendidos como qualidades e manifestações de Olorum na natureza, sendo reinterpretadas de maneira totalmente distinta das tradições africanas, não havendo nenhuma vinculação dos mesmos com elas.

Saraceni preconiza a existência de 14 Orixás agrupados em pares (energia masculina e energia feminina) em 7 tronos divinos que compõem as 7 linhas de Umbanda.  Esses tronos são qualidades divinas essenciais para o processo referente à evolução nos diversos planos da vida.

  • Trono da Fé (Cristalino) – Oxalá e Logunan / Oya – Tempo;
  • Trono do Amor (Mineral) – Oxum e Oxumaré;
  • Trono do Conhecimento (Vegetal) – Oxóssi e Obá;
  • Trono da Justiça (Ígneo) – Xangô e Egunitá / Oroiná;
  • Trono da Lei (Eólico) – Ogum e Iansã;
  • Trono da Evolução (Telúrico) – Obaluaiê e Nanã Buruquê;
  • Trono da Geração (Aquático) – Iemanjá e Omulu.

Os 7 primeiros de cada par são chamados Orixás Universais (polaridade positiva), responsáveis pela sustentação das ações retas e harmônicas, e os outros 7, são chamados de Orixás Cósmicos (polaridade negativa), responsáveis pela atuação corretiva sobre as ações desarmônicas e invertidas, com o objetivo de reequilibrar os seres.

Além dos 14 Orixás, a Umbanda Sagrada também cultua e manifesta o Orixá Exú, Orixá Pombagira e Orixá Exu Mirim.

As linhas de trabalho de guias espirituais atuantes à direita são: Caboclo(a)s, Crianças, Preto(a)s Velho(a)s, Boiadero(a)s, Marinheiro(a)s, Povos do Mar, Baiano(a)s, Malandro(a)s, Cigano(a)s e Povos do Oriente.  Enquanto as linhas à esquerda contam com Exus, Pombagiras, Exus-Mirins e Pombagira-Mirins.

Quanto à vestimenta, a roupa branca é utilizada pelos médiuns durante as giras, acompanhada de filá (chapéu masculino) e torço (lenço feminino). Também se usa elementos magísticos das entidades, guias, fumo, defumadores, velas, bebidas, atabaques, pedras, ervas, imagens, pontos riscados e cantados nos trabalhos.

Base doutrinária

A Umbanda Sagrada usa como base doutrinária e de fundamentação religiosa todos os livros escritos e publicados por Rubens Saraceni, não pratica o sacro ofício animal, se utiliza da magia divina e de oferendas na natureza que são os legítimos pontos de força dos sagrados Orixás.

A vertente difundida por Saraceni chega há 25 anos respeitada por muitos, por vezes mal interpretada por outros, porém sua abertura inclusiva a outras vertentes, culturas e formas de práticas religiosas, além da aceitação de práticas holísticas faz da Umbanda Sagrada um caldeirão de diversidade cultural religiosa.

Saravá Umbanda Sagrada, salve o Mago do Arco-Íris Sagrado!

Saravá, Axé e Mojubá!


Fonte.: Registro de Umbanda, Renato Guimarães.

Fabio DeSilva

Fabio DeSilva

Médium de Umbanda.

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

13 Comments

  • Guilherme Serdeira

    Concordo nr, gênero e grau com a “MONIQUE
    27/03/2023 13:35” já passou da hora dos Umbandistas se unificarem em uma só religião que é a Umbanda. O filho de Santo fica perdido com tantas denominações. O conceito tem que ser unificado, suas ramificações são secundárias e aceitáveis, mas a religião é única. O objetivo é único, as ramificações podem estar contidas nas características, desta forma não haveria dúvidas, muito menos confrontos de ideais o que torna toda e qualquer colocação mera especulação para o leitor o qual chegou confuso e saiu mais ainda. Seria interessante vasculhar este imenso Brasil a fora e achar todos os templos, terreiros, tendas, barracões e até confederações assim intituladas, afim de unificar de vez a titularidade RELIGIÃO DE UMBANDA. Sei das dificuldades financeiras para se organizar um congresso nacional, mas em plena era da internet, não justifica a ausência da interação e união de todos. Em tempo, se vc procurar por uma confederação vai achar várias, o que nos torna um mar de ideias, fundamentos, conceitos e características, nos deixando vulneráveis á intolerância religiosa.

  • Jefferson

    Qual a explicação do uso da pemba , do ponto riscado , do ponto cantado, dos usos de fumo, bebidas, brajas e contas de guia, das velas porque usar fita, linha e cordões, o que é assentamento , firmeza , oferenda , quais os tipos oferendas , qual importância da pimenta ,das frutas e das flores em uma oferenda ,o que é mediunidade dentro da umbanda e quais os tipos de mediunidade … o que é irradiação e vibração …os que são as cores dos Orixás …o que são os arquétipos de umbanda … Quem sao Orixás … quem é erê, exu mirim e pombagira mirim … esses são alguns ensinamentos da umbanda sagrada ( aliás Pai Rubens sempre disse que todas as umbandas são sagradas)… dizer que na umbanda sagrada não existe fundamento e humildade é uma opinião baseada no vazio! Procure sabe o que a umbanda se transformou na década de 80 e 90 e porque o Pai Rubens querendo ou não foi importante para lutar contra o racismo e o preconceito que nossa religião sofria , uma época em a IURD propagava massivamente pelos meios de comunicação uma verdadeira guerra santa contra a Umbanda … deixe o coração livre para o respeito e a tolerância , ninguém é obrigado a concordar com o Rubens mais respeito sempre é bom …afinal são quase 30 anos de existência dessa doutrina.Eu já fui da umbanda Olomoco, tenho grandes irmãos no Candomblé de Angola e sempre me ensinaram que a maior virtude de um ser humano é o respeito !

  • Gislane

    Achei de extrema relevância a matéria citada acima sobre a Umbanda Sagrada. Sou Dirigente de uma casa Umbandista aqui em Itupeva – SP, e mesmo tendo como origem uma Umbanda traçado com o Nagô, trago para os filhos da casa esse conhecimento na qual acredito e confio sobre a Umbanda Sagrada. Acredito muito em uma Umbanda Universalista na qual o Sagrado deve ser sempre respeitado e deve estar em primeiro lugar. Uma vez que eu agrego esse conhecimento na qual acredito, acredito eu que só temos a ganhar, portanto não deveríamos perder tempo em criticar, julgar e muito menos condenar. Achei pertinente a sua critica FABRICIUS BARIANI, mas não deixaria de citar que Rubens Saraceni trouxe muito mais recheio para o que já existe, não precisamos endeusar Rubens mas devemos sim considerar a sua contribuição eloquente significativa para a nossa Umbanda. Axé e um Abraço fraterno a todos os irmãos umbandistas!!!

  • Alex Gouveia

    A umbanda sagrada é linda e maravilhosa, pois estimula seus médiuns estudarem, a busca de conhecimento é fator preponderante, a construção de um bom médium está diretamente ligado ao crescimento, moral e religioso. Considero um trabalho excepcional muito a frente e evoluído, tudo e todos evoluímos, principalmente as religiões, um axé fraterno a todos os irmãos umbandistas das diversas vertentes.

  • José Carlos

    Sou Umbandista, aprendi dentro da lei da umbanda a respeitar todas as religiões.
    Para mim não existe uma Umbanda original, existe sim uma umbanda que foi fundada em 15/11/1908 pela entidade Caboclo das Sete Encruzilhada através do médium Sr. Zélio Fernandino de Morais. Em 115 anos de existência, a Umbanda evoluiu muito e se dividiu em várias vertentes que são:
    UMBANDA TRADICIONAL, MESA BRANCA, MIRIM, POPULAR, OMOLOCÔ, ALMAS E ANGOLA E UMBANDOMBLÉ.
    Lembrando que, quem escolhe o caminho não somos nós e sim as entidades que nos acompanham.
    Axe!!!!!

  • Monique

    Se nem os próprios umbandistas se apoiam e se defendem… fica difícil lutar contra a intolerância religiosa! Ngm sabe quem ta certo e quem ta errado, existem mil doutrinas diferentes… quem quer estudar está perdido! Digo por mim… é uma pena, tinha tudo pra ser a mais linda de todas as religiões, mas não tem união!

    • Gislane

      É fácil minha irmã, é só trazermos palavras de mansidão e doçura que conseguiremos quebrar as ideias contrárias à união dos nossos irmãos. Não é necessário provar a minha verdade basta que possamos conversar, discutir de uma forma respeitosa sem que eu ofenda ao meu irmão querendo provar que a minha verdade é mais verdadeira que dele. Um abraço fraterno querida!!!

  • Angelo Polizzi Filho

    Primeiro, saúdo todos(as) irmãos(as) de Umbanda!
    Estou em pleno exercício de aprendizado dos fundamentos da Umbanda, a partir dos relatos da trajetória de Zélio Fernandino de Moraes, com os quais me idenfiquei. E, gostaria sobremaneira, da indicação de um Templo / Terreiro / Casa / Tenda, na Baixada Santista, preferencialmente, em São Vicente, Santos ou Praia Grande.
    Desde já agradeço.
    Axé

    • Simone M Martins

      Bom dia Angelo! já ouviu falar de Pai Adérito Simões? Me identifico e tenho aprendido muito com ele em seus vários canais. Ele tem um templo em Praia Grande. Dá uma pesquisada e sente se seu coração se identifica tb. Axé

  • Bom eu sou da umbanda sagrada, UMBANDA Saraceni como deseja chamar… Não sei onde tirou a ideia qe não fazemos caridade, amor ao próximo e não temos humildade 🤔🤔🤔 Filho vc deveria frequenta mais as nossas casas então 😕 única umbandas qe eu vi passei até hoje onde um Exu é verdadeiro, uma Pomba gira e verdadeira, onde ninguém te trata mal por não ter dinheiro pra pagar os trabalhos Banhos tal matanças foi lá.
    É lá qe vi humildade, respeito, e ajuda quando precisei..
    Vc com certeza e mais um qe se acha o melhor qe seu irmão né??
    Um UMBANDISTA não trata uma casa irmã um dirigente como foi pai Rubens Assim… Infelizmente seu preconceito e sua intolerância religiosa e só mais um a perseguir nossa UMBANDA.. se não vê verdade guarde pra vc, vá visitar outras casa e aprenda a verdadeira doutrina da umbanda sagrada 🙏

  • Ana Paula Menezes

    Fabricius Bariani concordo com vc, também acho que não tem nada ver com a umbanda de Zelio de Moraes.

  • Fabricius Bariani

    Saúdo o autor neste texto, através de quem saúdo todos(as) irmãos(as) de Umbanda.
    Não considero a Umbanda de Saraceni, como Umbanda, está mais para Saracenismo, por isso chamo de Umbanda de Saraceni, pois inventou, associado ao Espiritual, uma religião/doutrina/seita e chamou de umbanda.

    Discordo também de intitular de Umbanda Sagrada ou Natural, estes “títulos” pertencem à Umbanda materializada pelo Caboclo Sete Encruzilhadas, através da mediunidade de Zélio Fernandino de Moraes.

    É egoísta, e até, invejosa, a crítica à Umbanda de Zélio ao a ritularem de “embranquecedora”, pois de cara, na primeira reunião de um corpo mediúnico formado por médiuns Espíritas trabalhadores na Federação Espírita Brasileira de Niterói/RJ, aqueles médiuns incorporaram simultaneamente, e sem qualquer ligação com Zélio, Espíritos de caboclos (índios) e escravos africanos (Presos(as) Velhos (as)).

    Inclusive, Zélio no primeiro dia de trabalho, atendendo ao público, incorporou o Preto-Velho Pai Antônio.

    Claro que tudo muda e evolui, ao ponto de não existir dois Terreiros/Centros de Umbanda com a mesma ritualística, porém, Saraceni fez sua própria leitura extremamente mística da Umbanda “original” e até da influência do Candomblé, e fundou, melhor, codificou sua própria Umbanda.

    Que é complexa e rica de misticismo, magias, magos, ocultismo, etc.

    Respeito totalmente a essa religião, mas, insisto em não considerá-la Umbanda, e muitas pessoas estão seguindo o Saracenismo como se fosse Umbanda, a original, o que não é.

    A Umbanda mais raíz possível e ideal, é simples, humilde, voltada para a Caridade e o Amor ao Próximo, é de tradição oral, e baseada nalguns Orixás “principais”, e, principalmente nas Linha dos Pretos(as)-Velhos(as), Caboclos(as), Boiadeiros(as), Baianos(as), crianças, Marinheiros/Marujos, Exus e Pomba-Giras, com uma dilação aceitável de linha Cigano e Oriental.

    Fabricius Bariani
    Jornalista, Advogado, Espírita e Umbandista.

    • Ryan Pinheiro

      Boa noite meu querido amigo, belíssima colocação, entretanto, apenas uma informação que não é para corrigir, mas sim despertar a curiosidade da busca pela informação.
      Os Exús e pombogiras, Marujos, Marinheiros e baianos, não advém da umbanda original.
      Até esse passo a umbanda original somente possuía os 9 orixás da cultura Edo do Benim, mais tarde da cultura Axum.
      São os 9 orixás primeiros:
      1 – Ogum
      2 – Oxóssi
      3 – Omolu
      4 – Iansa
      5 – Oxum
      6 – Xangô
      7 – Nanã
      8 – Iemanjá
      9 – Oxalá

      Além dos 9 primeiros, somente as linhas das Crianças, Caboclos (guerreiros, flecheiros, curandeiros) e Pretos Velhos estavam presentes na matriz da umbanda original.

      A primeira “incorporação” de exú conhecida DE FATO foi um exú chamado gira, em 1917, em um culto de Quimbanda (na época ainda Santeria, pois era ministrada por cubanos no Brasil)um exú chamado Gererê se intitulou líder da Santeria Nagô, que mais tarde viraria uma das linhas de Quimbanda.

      No mais, seu texto é extremamente coeso e correto. Parabéns.
      Grande abraço e axé!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *