Tributo a Raul Seixas em Ceará-Mirim define data e atrações

tributo a raul seixas em ceará-mirim

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Em agosto se comemora a data de nascimento de um dos mais emblemáticos anarquistas do rock brasileiro. E porque não enaltecer a expressão folclórica “toca, Raul!”? O dia apropriado para gritar o dito mais famoso e alongado da história rocker nacional se aproxima. Para você se programar, o Blog do Sergio Vilar traz as novidades da 35ª edição do Tributo a Raul Seixas “Maluquez Revisitada”, em Ceará-Mirim – o mais antigo e um dos três maiores do país.

O evento ocorrerá em 17 de agosto. E se Ceará-Mirim empossou recentemente mais imortais da Academia de Letras, a cidade vive agora a expectativa para receber puros mortais alternativos e sem batas; uma legião de fãs do Raulzito empolgados com a proximidade da data-tributo ao compositor do cavanhaque mais famoso do mundo. Serão mais de mil “malucos beleza” chegando de carro, de ônibus, a pé ou, principalmente, de trem para curtir as atrações que também já foram definidas.

O idealizador e produtor do evento, Erivan Lima, adiantou para nosso blog o set list de apresentações que subirá ao palco do Centro Cultural de Ceará-Mirim. Para iniciar os trabalhos, a banda cearense Canceriano Sem Lar. Na sequência, o próprio Erivan Lima e Banda, seguido dos decanos do Moby Dick. Depois, o Engenheiros do Vale (e convidados), a Banda Raulzitos, e para finalizar, a Sociedade da Grã-ordem Kavernista. E ainda como atração, a exposição do acervo riquíssimo de artigos do Raulzito.

E quem já foi em alguma edição, já sabe. O início da tarde é previsto: quando o trem das 12h se aproxima, os vales verdes cearamirinenses assistem a chegada das primeiras camisas pretas. É o primeiro da estação. Longe do cenário deslumbrante, vagando por “detrás das montanhas azuis”, “trazendo os cinzas do velho neón”, o trem da CBTU vem apinhado de gente. Boa parte dos frequentadores do Tributo vem mesmo de Natal, embora o evento tenha conquistado a cidade também.

“Afora a homenagem a Raul, dos maiores feitos do evento foi despertar a simpatia do cearamirinense para o tributo. A cada ano cresce o número de frequentadores locais. E o evento, antes mal visto, já é fonte de renda da população e notícia na mídia nacional”, se orgulha Erivan. De fato. A primeira trupe de malucos desembarca na estação direto para o Mercado da cidade e bares próximos. É o início da “birita” já no início da tarde.

Os portões do Centro Cultural de Ceará-Mirim abrem às 15h. No horário, os bares e quiosques do Mercado parecem mais atrativos. São os acordes da primeira banda o “chama” da galera. O ingresso será vendido a partir do início de julho.

————

Crédito da Foto: Fábio Pinheiro/Folha de SP

Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *