Para o dia amanhecer poesia de Eliano

Redação28 de fevereiro de 2019Poesia, Image

ESTRANGULAMENTO

Mucamas na festa
No Extra, estrangulamento.
Um Trono para os convidados
No jeitinho colonial.
E ninguém segura o segurança
Descontrolado
Que estrangula, ninguém segura?
Saudades da escravidão?
flagelos em plena luz do dia.
Vocês têm medo de Exu
Porque Sabem o que fazem com seus filhos.
Já pensaram se os papéis se invertem?
Eu não, porque tortura gratuita é coisa de cristão.
Ninguém segura o segurança
Descontrolado que estrangula
Ninguém segura?
Outrora capitão do mato
Agora
Usa farda e atira com autorização
Do estado.
Atira nas pernas!
Atira no ombro!
Atira no peito preto ladrão!
Enquanto no baile de gala da casa grande,
A elite goza a nostalgia da escravidão.
Vocês têm medo de Exu
Porquê sabem que o jornal noticia a morte de seus filhos
Também temem que na bancada do jornal tenha sempre uma Maju.
Vocês têm medo de Exu
Porque Exu é preto
E no dia em que o povo preto resolver se vingar.
AíAí vocês verão que Exu não é demônio
Mas seus filhos revoltados
farão disso aqui um inferno.

(Eliano)

Eliano é artista multimídia do interior do Rio Grande do Norte. Escreve contos, poemas e principalmente, letras de músicas. Lançou em 2015 o álbum Ecdemomania, que lhe rendeu destaque no cenário artístico potiguar. Faz mestrado em Literatura e prepara para 2019 um novo disco intitulado Bicho da seda.

Sobre o autor

Redação

Obrigado pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *