Para amanhecer poesia de Paula Belmino

25 de março de 2021Poesia, Image

LASCÍVIA

A língua vibra,

Morde-se entre os lábios

A lembrar teu corpo

Tua boca, teus olhos,

Tua voz.

 

Busca  achar-te

Entre  estrelas,

No céu da boca

Lambe,

Teu nome…

Luz.

 

É lívido, embora  ainda,

O leve  gosto  de tua  língua

A misturar-se ao doce,

Ao fel,

O que era nós.

 

Na língua saliva o desejo,

Lascívia,

Língua solta a te beijar.

Lampejo

Lembrança de nós dois,

Entre os lençóis a se amar.

(Paula Belmino)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *