Para amanhecer poesia de Paula Belmino

PIX: 007.486.114-01

Colabore com o jornalismo independente

SER MULHER

És força, és luta,

O colo que ampara,

As mãos que afagam

Os seios que alimentam.

 

Mas és também livre

Aceitas, ou te fartas.

Resistência e valor,

És mãos calejadas.

 

Útero que aninha

Ou apenas sangra

Nas tuas luas, emancipada

No voo de tuas asas.

 

És anseio, sonho, escolha

O direito de ir, de ser, de querer, não querer.

Corpo e alma abertos para guardar,

E revelar segredos que te fazem mulher.

(Paula Belmino)

 

 

Redação

Redação

Obrigado pela visita!

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

1 Comment

  • Reinaldo

    Lindo. Parabéns todos os dias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos do mês