Para amanhecer poesia de Junior Damasceno

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

DELATÓRIO

Descrevo sentimentos que antes

Eu não sabia existentes.

Esqueço amigos de infância,

Velo os inimigos de hoje.

Revelo amores antigos,

Publico segredos de polichinelo.

Planto tempestades.

Ponho-me, me exponho, me oponho.

Atropelo o ritmo,

Brigo com a métrica.

Da rima, me intrigo.

Nas palavras busco abrigo

E me traio.

A poesia é a delatora do poeta!

(Junior Damasceno)

Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *