Para amanhecer poesia de Artur Guimarães

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

ANTES ESPELHO, AGORA IPHONE

De frente ao nosso reflexo,

Somos escravos do vidro.

Aparência acovardada:

dignidade só estragada.

 

Aparência não é vivência

sem nenhum gás de essência.

 

Espelhos de horas verticais,

outras: luzes horizontais.

 

Fractais de bits artificiais.

Sempre Moore e consumo demais,

escravos de vícios digitais.

(Artur Guimarães)

Redação

Redação

Obrigado pela visita!

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *