Para amanhecer poesia de Alex Nascimento

16 de março de 2021Poesia, , Image

RIBEIRA: BAIRRO CANGULEIRO

A gente era menino-homem-bobo
Lá longe, uma igreja proibida
Porque seu deus era a mulher da vida
E a própria vida, Chapeuzim sem globo.
Cada madona seminua, um lobo,
Na verdade, uma ovelha a ser comida,
Só pra gente dizer para a torcida,
A minha foi melhor, a tua um roubo.
Poucas luzes, escadas, maquiagens,
Zona é sério, nobreza é ritual,
Lindas putas, pinturas e paisagens,
Ó Ribeira, inda guardo o teu postal.

(Alex Nascimento)

COMMENTS

Diulinda garcia

Com ou sem postal,uma instigante vivência poética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *