mulherio das letras nísia floresta

Coletivo Feminista Mulherio das Letras é formado no RN

Sérgio Vilar10 de julho de 2019Literatura, Image

O Mulherio das Letras, um coletivo feminista literário de âmbito nacional e formado por mulheres interessadas na expressão pela palavra escrita ou oral, tem organizado um braço importante do movimento no Rio Grande do Norte, precisamente em Nísia Floresta. E o grupo, hoje formado por mais de 20 mulheres, já tem programado um encontro nacional em Natal, na Cidade da Criança, ainda em novembro, com apoio do Governo do Estado e aberto a outras parcerias. O evento tem a expectativa de receber mais de 400 mulheres da área de literatura, jornalismo, cultura, economia criativa, artesanato e outros coletivos de todo Brasil.

O Coletivo Mulherio das Letras foi criado em 2017 em João Pessoa. Na Feira Literária de Paraty, edição de 2016, foram plantadas as primeiras sementes do debate sobre a ausência de mulheres na programação de festivais literários e no mercado editorial e outros meios de comunicação cultural. Ainda sem nome definido, tinha apenas com o objetivo de mapear e identificar mulheres da escrita: escritoras, dramaturgas, designers, de todos os campos possíveis. O formato foi provocado pela idealizadora do movimento, a escritora Maria Valéria Rezende, vencedora do Prêmio Jabuti.

FILOSOFIA GERAL DO MOVIMENTO

O Coletivo é apartidário, porém não é apolítico. A união é pela participação ativa da mulher na literatura nacional, levando em conta os momentos socioculturais, literários e a inserção política na sociedade. Atua via troca de experiências, de informações e discussões feitas de maneira saudável, no grupo nacional e, também, nos encontros presenciais em diversas cidades brasileiras e no Exterior.

O I Encontro Nacional do Mulherio das Letras ocorreu em João Pessoa, reunindo mais de 500 mulheres de todo Brasil. No entanto, por ser um movimento de natureza voluntária e colaborativa, o grande diferencial para sua permanência é o processo constante de articulação de eventos locais e regionais, além da afinidade do grupo sobre as causas que fortalecem e ampliam o movimento.

Na sequência, houve o Mulherio das Letras Regional em Recife. E o II Encontro Nacional do Mulherio das Letras de Guarujá/SP em novembro de 2018. Para comprovar rapidez do crescimento do Movimento, no início de março de 2019, ocorreu o I Mulherio de Letras de Portugal acolhido no espaço da Universidade Nova Lisboa, articulado pela potiguar Beth Olegário e a editora do In-Finita, Adriana Mayrinck. Em Natal será a terceira edição do evento nacional.

MULHERIO DAS LETRAS DE NÍSIA FLORESTA

No RN coube à poeta, ensaísta e produtora cultural, Rejane de Souza ser o canal de circulação do Mulherio. Em setembro de 2017, Rejane criou o Coletivo com um grupo de 20 mulheres, inaugurando, assim, o Mulherio das Letras Nísia Floresta. Nessa trilha, um grupo feminino da literatura potiguar vem participando de forma ativa das edições.

No RN, o Coletivo é formado por: Rejane de Souza, Gilvania Machado, Eliete Marry, Rizolete Fernandes, Jeanne Araújo e Claudete Roseno.

O RN foi escolhido para sediar o III Encontro, sob a coordenação de Rejane Souza junto à equipe de articulação local das escritoras e poetas potiguares Gilvânia Machado, Eliete Marry, Carla Alves, Neriane, Jucileide Santana, Ivanete, Ana Moura, Ana Eneida. No entanto, essa articulação conta, ainda, com a colaboração da equipe Mulherio Nacional de outros Estados.

Contatos do Mulherio das Letras Nísia Floresta

Facebook

Rejane Souza: 9 8180-2875

Sobre o autor

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *