Foi Lampião quem compôs “Olê mulé rendêra, olê mulé rendá” (?)

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Lampião e seu bando costumavam invadir as cidades cantando a música Mulher Rendeira, na qual um dos seus versos é: “Lampião subiu a serra, foi dançá  em Cajazeiras / Encontrou Maria Bonita, que virou “mulé” rendeira. Cantando esse refrão, Lampião tentou invadir Mossoró, no dia 13 de junho de 1927. Depois de várias ameaças que não intimidaram o prefeito Rodolfo Fernandes, o cangaceiro resolveu entrar na cidade. Mas o bando não sabia que os moradores, sob a liderança do prefeito, tinham uma estratégia:  deixariam o bando entrar na cidade para recebê-los a bala.

Antes da tentativa do ataque a Mossoró, houve uma negociação entre o prefeito e Lampião; este exigia a quantia de quatrocentos contos para não atacar a cidade, o que não foi aceito pelo prefeito Rodolfo Fernandes, que enviou uma carta a Virgulino, afirmando: “Não é possível satisfazer-lhe a remessa dos quatrocentos contos. Estamos dispostos a recebê-los na altura em que desejarem. Nossa situação oferece absoluta confiança e inteira segurança”.

Lampião não levou a sério o recado do prefeito e resolveu atacar. O ataque foi um fiasco:  o prefeito tinha retirado de Mossoró – de trem – mulheres e crianças, permanecendo na cidade uma resistência armada dos homens que estavam dispostos a lutar. Na luta, Lampião perdeu dois homens: Colchete, morto em combate e Jararaca, ferido e feito prisioneiro. Na cadeia, o cangaceiro virou atração pública e depois de uma negociação entre o prefeito Rodolfo Fernandes e o governador Juvenal Lamartine, ficou combinado que Jararaca deveria ser transportado para Natal. Entretanto, antes de sair da cidade, o cangaceiro foi executado pelos policiais.

A música Mulher Rendeira, que Lampião e seu bando cantavam quando invadiam as cidades, tem origem nebulosa e não se sabe ao certo quando foi composta.  O Padre Frederico Bezerra Maciel, biógrafo de Virgulino Ferreira da Silva (Lampião) afirma que o próprio cangaceiro era o autor da música; o mestre Câmara Cascudo concorda com o padre, acrescentando que Lampião teria escrito a letra em homenagem a sua avó.

Em 1953, por sugestão da escritora Rachel de Queiróz, a música foi gravada por Zé do Norte, da cidade de Cajazeiras (citada na música Mulher Rendeira) para o filme O Cangaceiro, escrito e dirigido por Lima Barreto. O filme, que tinha no elenco Alberto Ruschel, Vanja Orico, Marisa Prado e Milton Ribeiro, foi exibido no Festival de Cannes, tornando Zé do Norte conhecido internacionalmente.

Zé do Norte, que nos anos 40 passou por várias emissoras de rádio no Rio de Janeiro trabalhando como animador, cantor e declamador, lançou em um dos seus programas, Luiz Gonzaga, “O Rei do Baião”. O paraibano, cujo nome de batismo é Alfredo Ricardo do Nascimento, ficou conhecido como o autor da música, mas até hoje existem controvérsias. Alguns historiadores afirmam que Zé do Norte aprendeu a música ouvindo sua mãe cantá-la e que talvez tenha feito alguma modificação acrescentando alguns versos à letra, mas isto ninguém pode afirmar com segurança. O jornalista José Neumanne Pinto, que foi amigo de Zé do Norte afirmou que o seu conterrâneo nunca compôs nenhuma música. Controvérsias à parte, uma coisa é certa: a tentativa de invasão frustrada a Mossoró deixou Lampião abalado e a partir daquele dia, o “reinado” do cangaceiro mais temido do Nordeste começou a declinar.

Fernando Luiz

Fernando Luiz

Cantor, compositor, produtor cultural e apresentador do programa Talento Potiguar, que é exibido aos sábados, às 8 horas pela TV Ponta Negra, afiliada do SBT no RN.

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *