Antologia reunirá escritores de um dos menores municípios do RN

jundiá

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Um dos menores municípios do Estado, Jundiá terá, em breve, uma antologia com os escritores locais. A ação da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desportos da cidade visa estimular e incentivar a prática da leitura e escrita, além de reunir por meio da antologia, textos autorais de escritores jundiaenses (poesias, poemas, cordéis entre outros).

A obra recebeu o título “Escritos jundiaenses” e tem coordenação e organização do coordenador de Ensino e Cultura do munícipio, Antenor Mario da Silva. “Existia uma lacuna na cultura jundiaense e uma dívida com nossos escritores, mas acredito que será preenchida com esta obra. Este livro é fruto de muito trabalho, sonhos, humildade, dedicação, criatividade e persistência do poeta e escritor jundiaense Antenor Mario. Valeu a pena”, frisou o prefeito José Arnor da Silva.

“Esta antologia propiciará, não somente aos nossos munícipes, mas a todos que a tiverem em mãos, a possibilidade de conhecer e reconhecer os artistas locais, dente os quais, alguns andavam meio esquecidos; além de trazer à tona, abrindo-lhes as portas, aqueles que desabrocharam o talento da escrita mais recentemente”, ressaltou a secretária de Educação, Cultura e Desportos do município, Ana Lúcia Moreira da Silva.

O organizador da obra, Antenor Mário, destaca que o poder inserido nas memórias dos escritos originais dos criadores retrata distintas expressões poéticas, que possuem vivências e inspirações, e a aventura da vida construída pela conjugação das letras, mostrando a força da arte literária.

Artistas participantes da antologia “Escritos jundiaenses”:

Aline Régis

Aline Régis de Lima, mais conhecida como Aline Régis, natural de Natal, concluiu o ensino médio na Escola Estadual João Bernardo (Jundiá/RN) e está graduanda em Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú (UVA). Nasceu em 18 de janeiro de 1987. É apaixonada por poesias, poemas e cordéis. Aprendeu a gostar de cordéis com o incentivo do seu avô, José Régis da Costa (in memoriam), que mesmo sem ser alfabetizado, amava ouvir os cordéis.

Antenor Mario

Antenor Mario é ator e escritor. Norte-rio-grandense, residente no município de Jundiá/RN, nasceu em 18 de maio de 1998. É autor dos livros, “A imagem da arte: poemas da minha vida”, “As confissões de Alexander: Escrevendo o diário”, “O senhor e a confusão dos bichos”, “Olha a cidade!”, “Pequenas gotas de poesias” e “Para cada dia incrível do ano”.

Sua estreia no teatro foi através da “Encenação da Paixão de Cristo” realizado em sua comunidade residente, Santa Fé. Também participou da peça, “Um zé qualquer”, realizada para Mostra Cultural da Escola Estadual João Bernardo.

É Sócio Efetivo da Academia de Letras e Artes do Agreste Potiguar – ALAAP/ RN, titular da Cadeira nº 23, tendo como Patrona, Brasilina Augusta de Freitas, primeira professora de Jundiá. Faz parte da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do Rio Grande do Norte (SPVA-RN) e é membro da Academia Internacional de Literatura Brasileira (AILB), tendo sua sede na cidade de Nova York (Estados Unidos).

Antônio Miada

Antônio Emídio Cordeiro, agricultor, poeta popular, mais conhecido como Antônio Miada. Nasceu em 10 de novembro de 1942, natural de Várzea/RN. Sua influência no mundo das artes foi através de seu pai que era cantor e repentista. Antônio Miada, serviu ao Exército Brasileiro, exerceu funções públicas na Prefeitura Municipal de Várzea/RN e na Prefeitura Municipal de Jundiá/RN. Foi vereador no município de Várzea/RN, nos anos de 1972 e 1976, tendo dois mandatos consecutivos. No dia 16 de dezembro de 2017, recebeu o título da Câmara Municipal de Vereadores de Jundiá/RN como “Personalidade Jundiaense”

Arnaldo Barros

Arnaldo Elias Barros, pedagogo, professor, palestrante, mais conhecido como Arnaldo Elias. É graduado em Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú (UVA), 2003. É especialista em Formação Continuada PCN’s (MEC/SEEC-2004); Especialista em Educação Ambiental (ISEP/IESP-2013) e Mestre em Ciências da Educação (ISEL/DF-2016). Nasceu em 04 de julho de 1974, natural de Natal.

Geová Bezerra

Geová Bezerra Guimarães busca ser um sujeito da experiência. Nasceu em 31 de maio de 1984, natural de Brejinho/RN. Iniciou seu contato com linguagem por entremeios: amigo da escola, colaborador na Escola Isolada Odilon Barbalho (Santa Fé, Jundiá/RN) e na Escola Estadual João Bernardo (Jundiá/RN); professor contratado na Escola Municipal Menino Jesus (Santa Fé, Jundiá/RN).

A educação sempre foi a base para a constituição de um sujeito em vários outros sujeitos. Licenciado em Letras (2009) pela Universidade Potiguar (UnP). Especialista em Linguística e Ensino de Língua Portuguesa (2012), Mestre em Letras (2016) e Doutoramento em Estudos da Linguagem (PPgEL) na UFRN.

Atualmente, pesquisa os efeitos de sentido(s) decorridos do(s) discurso(s) sobre o ensino e a aprendizagem da leitura e da escrita na educação básica. Analista de Discurso em formação. Integrante do Grupo de Pesquisa Estudos do Texto e do Discurso (GETED/UFRN). Membro do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Ciências do Ambiente (GIPECAM/IFAM/CTB). Vice-líder do Grupo de Pesquisa em Educação na Fronteira Amazônica (GPEFAM). Professor EBTT no IFAM, campus Tabatinga/AM.

Irani Saraiva

Irani Saraiva do Nascimento, professora, natural de Várzea/RN, concluiu o ensino médio na Escola Estadual José Lúcio Ribeiro (Brejinho/RN), sendo também graduada em Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú (UVA), 2005. É especialista em “Práticas em Alfabetização e Letramento” pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), 2009 e “Meio Ambiente” pelo Instituto Superior de Educação de Pesqueira (ISEP), 2013. Nasceu em 9 de dezembro de 1970. Reside atualmente em Santa Fé, Jundiá.

Lucas dos Pires

Luis Cosme das Chagas, nasceu em 10 de novembro de 1955, natural de Várzea/RN. Poeta popular, músico e esportista. É mais conhecido como Lucas dos Pires, e foi vereador de 1989-1992 do município de Várzea/RN e de 2017-2020 do município de Jundiá. Faz parte da Associação dos Quilombolas de Arisco dos Pires, Rego de Pedra, Família Mascena e Família Quitéria, onde foi eleito Presidente em julho/2021 para o biênio 2021-2023, residente na comunidade quilombola de Arisco dos Pires, Jundiá.

Miguel Penha

Miguel Penha da Silva nasceu em Touros/RN em 28 de setembro de 1939, estudou até a 4ª série primária. Aos 18 anos de idade saiu de sua cidade em cima de um caminhão de pedras com destino a Natal para se alistar no exército. Enquanto aguardava o chamado para servir, trabalhava como sapateiro. Incorporou em 21/06/1960 ao Exército Brasileiro. Dispensado pouco tempo depois, trabalhou no hospital Dr. João Machado, em seguida em uma sapataria no centro de Natal e depois montou um pequeno comércio em sua moradia na Zona Norte de Natal, no ramo de medicamentos e serviços ambulatórios, já bastante conhecido nas redondezas por Miguel da Farmácia, o socorrista dos menos favorecidos. Após 30 anos, já separado de sua família, vendeu sua propriedade e passou a residir no Distrito de Santa Fé, em Jundiá. Durante o tempo em que viveu em Santa Fé dedicou-se a várias ações comunitárias e criou uma farmácia.

Doutor Miguel, como era chamado carinhosamente pelas pessoas, criou durante o tempo que viveu inúmeros textos poéticos, entre eles cordéis e poemas os quais alguns deles foram escritos em paredes de prédios públicos, a vista de toda a população, Os textos mais conhecidos dele são: “O Padre Armando” e “A Santa Fé”. Faleceu na cidade de Parnamirim, em 20/11/2020 aos 81 anos, na residência de sua filha, após desenvolver a doença de Alzheimer e sequelas de um acidente vascular cerebral-AVC.

Nilda Ricarla

Maria Josenilda dos Santos Cordeiro, mulher, brasileira, professora, poetisa e cordelista, mais conhecida como Nilda Ricarla, natural de Santo Antônio/RN, concluiu o ensino médio na Escola Estadual João Bernardo (Jundiá/RN), sendo também graduada em Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú (UVA), 2017. Nasceu em 20 de dezembro de 1982. Reside atualmente em Sitio Cipoal, Jundiá.

Oswaldo Cândido

Oswaldo Cândido Félix, 30 anos, pedagogo e matemático. Potiguar, nascido em Natal. Residente do município de Jundiá, nasceu em 27 de novembro de 1990. Aos 16 concluiu a etapa do ensino básico e aos 21 anos iniciou sua vida acadêmica no curso de pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA. Foi neste curso que começou sua paixão pela literatura de cordel. Aos 27 anos iniciou o curso que tanto almejava: a licenciatura em matemática pela UFRN. Desde aos 19 que leciona no município de Jundiá e atualmente faz especialização em matemática para o ensino médio pelo Instituto Federal do Rio Grande do Norte.

 

Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

2 Comments

  • Antenor Mario

    Projeto maravilhoso! ❤️

  • Oswaldo Candido

    Honra em participar de tal projeto. Que seja o início para novos escritores/leitores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *