Ditadura argentina inspira espetáculo com estreia nesta quinta em Natal

Em novembro de 1976, na cidade de La Plata, Argentina, uma casa que funcionava como imprensa clandestina foi fortemente atacada em uma operação liderada por forças militares, resultando na morte de todos os presentes, com a exceção de uma menina de três meses, sequestrada na ocasião.

A peça Instruções para Abraçar o Ar, que estreia nesta quinta-feira, 6 de dezembro, no Teatro do CEU Mestre Manoel Marinheiro, foi escrita pelo dramaturgo argentino Arístides Vargas tendo como base esses acontecimentos, narrados a ele pela própria avó da menina desaparecida, Chicha Mariani. Chicha foi também uma das fundadoras do movimento social Avós da Praça de Maio, que até os dias de hoje segue buscando encontrar meninos e meninas desaparecidas em situações similares à do caso em questão.

Segundo Diogo Spinelli, que assina a direção do espetáculo, foi a partir da necessidade de manter viva a memória deste acontecimento e de alertar para os horrores provenientes de um estado ditatorial que surgiu o desejo de encenar a obra.

INSTRUÇÕES PARA ABRAÇAR O AR

Em Instruções para Abraçar o Ar acompanhamos três narrativas em paralelo, que, cada qual a sua maneira, tentam recontar a história do ataque à casa e do subsequente sequestro da menina. Na montagem, Camille Carvalho e Diogo Spinelli revezam-se nos seis personagens da obra, ressaltando a ideia de que se trata de uma história única, tecida pelas lembranças e fantasias do casal de idosos que guiam a dramaturgia do espetáculo.

Mesmo ocupando diferentes posições em relação ao ocorrido, aos poucos o entrecruzamento das três narrativas começa a formar um único mosaico no qual distintos tempos e lugares se atravessam e se contaminam, numa mescla entre memória, nostalgia e invenção.

Ainda que tenha como ponto de partida temas e situações adversas, a dramaturgia de Vargas comumente realiza uma abordagem que mistura aspectos líricos, cômicos e político-sociais, e com Instruções para Abraçar o Ar não é diferente. Assim, o espetáculo também transita entre essas diferentes linguagens, apesar da forte carga trágica dos acontecimentos que o originaram.

DITADURA REAL

A montagem da obra – inédita no Brasil até então – lança luzes sobre o nefasto contexto da violência inerente a um estado sob o regime de uma ditadura militar, num momento em que impensáveis ideias pró-ditadura são naturalizadas ou até mesmo desejadas por parte da população brasileira como possibilidade de solução frente à situação política atual.

Através da poesia e da subversão do texto de Vargas, o espetáculo surge como uma oportunidade de relembrar que, assim como na Argentina, também no Brasil muitos foram aqueles que ficaram até hoje sujeitos a abraçar somente o ar.

NOVE APRESENTAÇÕES EM NATAL

Instruções para abraçar o ar fará nove apresentações em dezembro, todas com entrada gratuita, em diferentes teatros da cidade. A obra será apresentada nos dias 06, 07, 08, 12, 13 e 14 de dezembro no Teatro do CEU Mestre Manoel (Felipe Camarão), no dia 09/12 na Casa da Ribeira (Ribeira), e nos dias 18 e 19/12 no Teatro Laboratório Jesiel Figueiredo/ DEART-UFRN (Lagoa Nova).

A entrada será gratuita, e as senhas poderão ser retiradas a partir de 30 minutos antes de cada sessão (na sessão realizada na Casa da Ribeira os ingressos serão distribuídos com 1h de antecedência). Este espetáculo foi realizado graças ao Edital Cena Processo, do Programa Natal em Cena 2018, da Funcarte/ Secult/Prefeitura do Natal, e possui o patrocínio da Prefeitura do Natal.

Serviço:

Temporada de estreia de “Instruções para abraçar o ar”

Dias 06, 07, 08, 12, 13 e 14 dezembro de 2018.
19h00 (com exceção do dia 08, cuja sessão será às 16h).
Teatro do CEU Mestre Manoel Marinheiro – R. São José s/n, Filipe Camarão, Natal/RN
Entrada Gratuita. Retirada de senhas a partir de 30 minutos antes de cada sessão.

Dia 09 de dezembro
19h00
Casa da Ribeira – R. Frei Miguelinho, 52 – Ribeira, Natal/RN
Entrada Gratuita. Retirada de senhas a partir de 60 minutos antes da sessão.

Dias 18 e 19 de dezembro
19h00
Teatro Laboratório Jesiel Figueiredo – Av. Sen. Salgado Filho, 3000 – Lagoa Nova, Natal/RN
Entrada Gratuita. Retirada de senhas a partir de 30 minutos antes de cada sessão.

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *