Inscrições para mostras do Goiamum Audiovisual vão até dia 15

Com quase 500 produções audiovisuais inscritas até agora, de todos os estados do Brasil e em diversos gêneros, linguagens e temáticas, o festival Goiamum Audiovisual retornou com grande fôlego ao calendário dos festivais nacionais. A 9ª edição acontece de 6 a 10 de junho, em Natal e terá como tema a “Acessibilidade”.

Até dia 15 de abril, prosseguem abertas as inscrições para as mostras Curta Goiamum – Mostra Competitiva de Curtas – Programa Nacional e Estadual. Para os curtas do RN, concorrem as produções finalizadas a partir de 2015 (em qualquer gênero e temática). Já o Nacional participam filmes realizados a partir de 2017.

Também estão abertas as inscrições para a Mostra Desentoca – não competitiva, que abrange produções audiovisuais do Rio Grande do Norte com menos acesso aos canais exibidores, em exibições contínuas. O festival também lançou o edital “Goiamum Abraça”, voltado para agentes formadores na área do audiovisual. O edital elege um projeto de coletivo ou agente para uma atividade no R$ 2 mil em uma comunidade ou região desassistida de ações culturais.

A edição 2018 do Goiamum Audiovisual é viabilizada com recursos da Secretaria do Audiovisual (SAV) do Ministério da Cultura / Governo Federal, através de edital para festivais de cinema, no qual obteve nota máxima. Sua realização é uma parceria da Casa de Produção e ONG Olhares, tendo a consultoria do produtor William Hinestrosa. A Direção Geral é de Keila Sena e Produção Executiva de Daniele Brito.

TEMÁTICA: ACESSIBILIDADE

Reforçando o perfil temático de suas edições, o Goiamum Audiovisual elegeu o tema Acessibilidade para trabalhar em 2018, promovendo a inclusão, formação e memória. A programação contará com exibições, experiências, oficinas, encontros e debates.

Uma das atividades de abertura será o “Seminário de Acessibilidade”, idealizado pela pesquisadora Andreia Gurgel em parceria com o Goiamum. O debate vai trabalhar a acessibilidade no audiovisual, direcionando o tema para a inclusão visual e trazendo à luz práticas de inclusão no cinema, desde a criação audiovisual acessível até a impressão de impressos em braile e audiodescrição para filmes.

O Seminário terá palestras sobre “A Audiodescrição no Cinema” com Bell Machado (Campinas), “Políticas Públicas para a acessibilidade no Audiovisual”, na qual participarão várias instituições, ”Iniciativas de Acessibilidade no Audiovisual” com Andreza Nóbrega (PE) e Jefferson Fernandes (RN) e “Formações e Pesquisas sobre a Acessibilidade no Audiovisual”, com Patrícia Dornellas (RJ) e Vera Santiago (CE).

Como o objetivo é trazer também essa parcela de público quase sempre excluído das agendas culturais, em razão da condição física, o festival contará com algumas mostras especiais. A intervenção “De Olhos Bem Fechados”, uma ação surpresa programada para a abertura do festival. E “Cine às Escuras/ Mostra Erótica de Cinema Acessível”, idealizada por Andreza Nóbrega.

HOMENAGENS E FILMES INÉDITOS

Como festival exibidor, o Goiamum Audiovisual mira suas antenas na Mostra Competitiva de Curtas – Nacional e Estadual e a mostra contínua Desentoca. O Goiamum está trazendo uma mostra inédita “Panorama do Audiovisual Baiano”, sob a curadoria de Lula Oliveira (BA). Serão três sessões, com exibições de curtas e longas produzidos em um dos principais cenários de cinema do Nordeste.

Ao completar 40 anos de sua realização, o icônico longa-metragem potiguar “Boi de Prata” (FOTO), do diretor Augusto Ribeiro Junior com fotografia de Walter Carvalho, será homenageado no “Seminário Boi de Prata- 40 anos pensando o Brasil a partir do sertão do RN”. Após o encontro, haverá exibição do raríssimo filme que nunca chegou as telas comerciais. O seminário terá falas da pesquisadora Flávia Assaf, que coordena o encontro e do diretor Augusto Luiz Andrade Gomes.

Outro filme convidado é o longa-metragem de fantasia “Tropykaos”, do diretor Daniel Lisboa. O festival também abre espaço para a Oficina “Cinema de Um Homem Só” ministrada pelo diretor Gustavo Spolidoro (RS), e o Encontro dos Realizadores Potiguares, que contará com participação de Wiliam Hinestrosa (SP), Keila Sena (RN), das instituições públicas culturais, como Fundação Capitania das Artes, Fundação José Augusto, representantes da Ancine e SAV e entidades do audiovisual potiguar.

Sobre o Goiamum

Em 2007, a cena audiovisual potiguar começava a ter um lugar de protagonista na cadeia produtiva da cultura. O segmento sentiu a necessidade de integrar diferentes entidades e produtores independentes em prol do fortalecimento da prática cinematográfica com seu eixo central, através do tripé exibição, formação e discussões propositivas. Uniram-se a ABDeC/RN, o Cineclube Natal, ITEC (e o Projeto de Intercâmbio Brasil/Cuba, através do ICAIC) e a ZooN Fotografia para realizar a primeira edição do Festival.

A partir de 2008, o Cineclube Natal e a Galeria ZooN de Fotografia assumiram a missão de pensar diversas atividades na área do audiovisual, já com o apoio da Prefeitura do Natal. Desde então foram realizadas sete edições do festival, com apoio e parcerias de a Prefeitura do Natal, Secretaria Municipal de Educação de Natal, Governo do Estado do RN, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Agência Nacional do Cinema, IFRN, UFRN, BNDES, Banco do Nordeste, Embaixada da França, Embaixada da Espanha, SESC, SEBRAE, LaboCine (RJ), FAAP (SP), entre muitos outros.

Ao longo das sete edições do Festival Goiamum Audiovisual foram realizadas 38 oficinas, 26 encontros e palestras, exibição de mais de 800 filmes em cerca de 46 mostras, dentre as quais, seis competitivas (4 nacionais e 2 potiguares) e 8 itinerantes, de circulação por regiões da cidade do Natal. Com a saída de parceiros em 2016, o festival não aconteceu. Em 2017, o festival apostou em ações pontuais chamadas de drops, associadas a encontros, oficinas e seminários abordando o audiovisual em questões da sociedade.

Sobre a SAV/ Ministério da Cultura

A Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), então Secretaria para o Desenvolvimento Audiovisual, foi criada pela Lei nº 8.490, de 19 de novembro de 1992, como parte do ressurgimento do Ministério da Cultura, que, em 1990, havia sido transformado em Secretaria da Cultura, diretamente vinculada à Presidência da República. A SAv/MinC tem como competências a formação, produção inclusiva, regionalização, difusão não-comercial, democratização do acesso e preservação dos conteúdos audiovisuais brasileiros, respeitadas as diretrizes da política nacional do cinema e do audiovisual e do Plano Nacional de Cultura.

PROGRAMAÇÃO 2018

QUARTA, 06/06/18

19h – Abertura do Festival Goiamum Audiovisual 2018
19h30 – Intervenção “De olhos bem Fechados”
20h30 –Coquetel de abertura

QUINTA, 07/06/18

10h-13h – Seminário de Acessibilidade
Palestra “A Audiodescrição no Cinema” com Bell Machado (Campinas)
Mesa 1 | Políticas Públicas para a acessibilidade no Audiovisual
Participantes: Representantes de Instituições Públicas
Mediação: Teotônio Roque (RN)

14h
Exibição da Mostra Desentoca
14h – 16h – Seminário de Acessibilidade
Mesa 2 |” Iniciativas de Acessibilidade no Audiovisual” com Andreza Nóbrega (PE) e Jefferson Fernandes (RN)
Mediação: Andréa Gurgel (RN)
16h – 18h – Seminário de Acessibilidade
Mesa 3 | “Formações e Pesquisas sobre a Acessibilidade no Audiovisual” Patrícia Dornellas (RJ) e Vera Santiago (CE),
Mediação: Henrique José [RN]

18h-20h
Encontro com os Realizadores Potiguares
São convidados todos os realizadores da cidade, Wiliam Hinestrosa (SP), Keila Sena (RN), da Fundação Capitania das Artes, Fundação José Augusto e ainda, instituições culturais locais. Se tivermos representantes da Ancine e SAV presentes no evento, ambos serão convidados a participarem do Encontro que será coordenado e mediado pela ABDeC RN e Associação Brasileira de Documentarista e Curtametragistas do RN.

19h30 – Exibição da Mostra “Cine às Escuras/ Mostra Erótica de Cinema Acessível”
Com a presença da organizadora da mostra Andreza Nóbrega (PE).
21h – Exibição da Mostra “Panorama do Audiovisual Baiano”
Com a presença do curador Lula Oliveira (BA).

SEXTA, 08/06/18

14h – Exibição da Mostra Desentoca
14h – 18h
Oficina Cinema de Um Homem Só, com Gustavo Spolidoro (RS)
Com duração de 12h/a. o curso pretende entender o processo de vários realizadores e instigar de um tipo de realização específica e seja documental, ficcional ou livre de gêneros.

16:30h – Exibição da Mostra “Panorama do Audiovisual Baiano”
18:30h Mostra competitiva Curta Goiamum – Programa Nacional 1
20h – Exibição “Tropykaos”
21:30h – Mostra competitiva Curta Goiamum – Programa Estadual 1

SÁBADO – 09/06/18

10h – 13h
Debate com realizadores das Mostras Competitivas
Debates sobre os filmes exibidos na noite anterior
14h – Exibição Mostra Desentoca – exibição contínua

14h – 18h
Oficina Cinema de Um Homem Só com Gustavo Spolidoro (RS)
18:30h – Mostra competitiva Curta Goiamum – Programa Estadual 2
20h – Mostra competitiva Curta Goiamum – Programa Nacional 2
21:30h – Mostra competitiva Curta Goiamum – Programa Estadual 3

DOMINGO – 10/06/18

10h – 13h
Debate com realizadores das Mostras Competitivas
Debates sobre os filmes exibidos na noite anterior
14h – Exibição Mostra Desentoca – exibição contínua

14h – 18h
Oficina Cinema de Um Homem Só com Gustavo Spolidoro (RS)
15h -19h – “Seminário Boi de Prata- 40 anos pensando o Brasil a partir do serão do RN”
Com Flávia Assaf (RN), Augusto Luiz Andrade Gomes (RN)
Mediador: Fábio DeSilva (RN)

19h – Exibição do resultado da Oficina Goiamum Abraça
A oficina promovida através do edital de agentes formadores “Goiamum Abraça” deverá ser concluída com a exibição do filme produzido na tela principal do Festival e com a presença dos alunos ou parte deles. Na ocasião, o coletivo que ganhar edital vai falar da experiência, assim como os alunos.

20h – Exibição do Filme “Boi de Prata”
Exibição do longa-metragem mais importante do Rio Grande do Norte, do diretor Augusto Ribeiro Junior e fotografia de Walter Carvalho, que assina pela primeira vez a fotografia de um longa-metragem.
Sinopse: Em uma cidade do interior do Rio Grande do Norte, o rico fazendeiro Elói Dantas (Álvaro Guimarães) decide aumentar ainda mais seu patrimônio, explorando minérios. Para isso, tenta se apropriar do pequeno sítio de Antônio Vaqueiro (José Marinho). Desesperado, Antônio corre em auxílio da curandeira cigana Maria dos Remédios (Luiza Maranhão) e do fazedor de poemas e sonhador Tião Poeta (Lenício Queiroga) para enfrentar a ganância de Elói.

21h30 – Resultado da Mostra Competitiva entrega dos Troféus e Prêmios

About The Author: Redação

Redação

Obrigado pela visita!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *