Milkshake IPA

IPA: Decifra-me ou te devoro

Salve, lupulista!

Conta a teologia grega que a Esfinge foi criada pelos deuses Hera e Hades como punição pelos crimes cometidos pela cidade de Tebas. Posicionada às portas da cidade, ela lançava um enigma para todos os viajantes que ali passavam. Com a premissa “Decifra-me ou te devoro”, todos aqueles que não conseguiam matar a charada eram esmagados ou estrangulados para servirem de desjejum do monstro. Em contrapartida, quem acertasse a resposta se tornava livre para desbravar o restante de sua jornada.

E quando falamos do universo cervejeiro, o estilo que melhor simboliza a Esfinge é a famosa India Pale Ale, mais conhecida como IPA. Seu aroma frutado, textura resinosa e gole amargo, para muitos serve como o divisor entre o como-posso-ter-passado-tanto-tempo-sem-conhecer-essa-maravilha e o deus-me-livre-nunca-mais-quero-ver-isso-na-minha-frente.

Wood Aged IPA

Wood Aged IPA

Ou, pelo menos, servia. Hoje em dia, assim como a teologia grega, atribuir essas características como a definição de uma IPA ficou para a antiguidade.

Desde a popularização das cervejas ditas especiais, muitos subestilos foram lançados no mercado. É certo que ainda podemos encontrar por aí exemplos clássicos de IPAs americanas e inglesas, mas elas parecem rarear diante as suculentas New England, que também já ganharam seu público cativo, até outras variações como a India Black Ale, Belgian IPA, Brett IPA, White IPA, ou mesmo algo extravagante como Wood Aged, Milk Shake ou Mountain IPA.

Mountain IPA

Mountain IPA

É certo que, na atualidade, falar que aprecia a IPA é tão pouco específico quanto dizer que gosta de Rock. Vão existir os entusiastas dos estilos de raiz, e que torcem a cara para cada novidade que surge; vão existir aqueles ávidos pelo próximo elemento inusitado que será adicionado; e também aqueles que estão nessa só pela diversão. E ninguém está certo ou errado, obviamente. Nem aqueles que não têm a mínima vontade de se aventurar pelas portas de Tebas.

E você, caro confrade? É um apreciador de IPAs? Prefere as receitas mais clássicas ou se apaixonou por algu(ns) dos demais subestilos? Conhecia todas essas variações que falamos aqui? Olha que eu tentei resumir, porque ainda existem outras tantas. Comenta aqui embaixo e vamos continuar essa conversa. Bater um papo com uma boa cerveja já é incrível, e quando a própria cerveja é o assunto, melhor ainda!

Fique em casa. Se precisar sair não esquece da máscara… e Beba la revolución!

Sobre o autor

Breno Machado

Sangue com altíssimo IBU. Potiguar, mas disseram que eu voltei pernambucanizado. Zitólogo, sommelier de cervejas certificado pela World Beer Academy, técnico cervejeiro certificado pela Escola Superior de Cerveja e Malte, psicólogo e nerd. MUITO nerd. Membro da ACervA Pernambuco.

COMMENTS

Marcos Nascimento

Cabra bom … que leitura deliciosa igual as IPAS. Parabéns amigo. Abs.

Carlos hebron

Show. Como sempre
Vc manda muita com as palavras !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *