Gonzaga Neto lança seu segundo livro, Urgência de Amar, que traz 12 cartas mergulhadas em um amor que não cabe em 140 caracteres.

“Escrevo porque não sei chorar”, é desta forma que o escritor potiguar Gonzaga Neto inicia seu mais novo livro. Uma frase que resume bem a busca do autor por compreender a sua enorme dificuldade de demonstrar afeto aos seus.

Cinco anos após sua primeira publicação, o livro de poemas Hipérbole, Gonzaga traz um livro com uma escrita diferente do que estamos acostumados a ver em suas declamações pelos saraus pela cidade. Ao investir nas cartas, que facilmente podem ser enxergadas também como crônicas, o autor muda de estilo sem jamais perder sua essência poética.

As cartas, escritas de 2017 a 2020, constroem uma narrativa de vida e crescem a medida em que a saudade aumenta. Afinal, muitas delas foram escritas 7.500 km longe da família, enquanto o autor morava em Moçambique.

Urgência de Amar se propõe a criar uma ligação afetiva com o leitor e tenta resgatar nuances da vida a partir de uma perspectiva saudosista da infância, da família e dos amores, trazendo um olhar poético sobre as vivências afetivas, busca por compreender o tempo, a vida e a morte. Imagens tão claras durante a prosa, que levam o leitor a partilhar das cenas e lembrar de suas próprias vivências.

Em um ano em que, provavelmente, a palavra saudade foi uma das mais utilizadas nas mensagens de textos, postagens em redes sociais e vídeo-chamadas, “Urgência de Amar” evoca sentimentos de forma leve para tempos não tão leves assim, mostrando que o seu amor não cabe em apenas 140 caracteres.

Pré-venda

O livro custa R$30 e já está em pré-venda, podendo ser adquirido através das redes sociais do autor, @gonzaganneto. A live de lançamento, onde Gonzaga Neto lerá algumas cartas e comentará sobre o livro, ocorrerá na segunda-feira, 15 de fevereiro, às 21h, no Instagram.

Confira o vídeo de lançamento do livro:

Lançamento Urgência de Amar

Data:15/02/2021
Hora: 21h
Local: Instagram – @gonzaganneto

Este livro foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do RN, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *