travessa pax

Espaço K-Ximbinho ou Travessa Pax retomará atividades culturais em breve

Sérgio Vilar13 de outubro de 2019Turismo, Image

As atividades culturais na Travessa Pax, hoje também Espaço Cultural K-Ximbinho, serão em breve retomadas.

Ainda está em curso um processo de revitalização, restauração e urbanização da Travessa Pax, após todos os trâmites exigidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (iphan).

Houve um primeiro momento com a interdição do espaço para passagem de veículos, limpeza do terreno e a consequente fixação das pedras de acordo com as indicações dos técnicos do Iphan.

Depois com a iluminação, bancos de granito e painel de grafitti dos artistas potiguares Miguel Carcará e Flávio Freitas.

Homenagem e revitalização

A travessa Pax homenageia o potiguar K-Ximbinho e abrigou em 2018 e 2019 projetos de Choro, Samba e ensaios de agremiações carnavalescas.

Antes deste processo de revitalização – que está em curso – a Travessa era parte integrante da chamada Cracolândia do Centro. Dependentes químicos consumiam drogas e dormiam por ali, além do intenso transito de veículos que provocou danos ao histórico calçamento.

O projeto de jardinagem também está aprovado pelo Iphan (que fiscaliza a obra de forma permanente). Os bancos fixados são de granito e foram confeccionados pelo escultor Emanoel Câmara, que atualmente trabalha na estátua de Iemanjá e confeccionou também as estátuas dos Reis Magos que estão no Memorial Natal (Parque D. Nivaldo Monte).

O projeto, de autoria da arquiteta Sofia Mota e do engenheiro Carlos Augusto, foi uma doação à cidade dentro do processo de revitalização do Centro Histórico de Natal.

Desde seu nascedouro, a revitalização teve participação das Secretarias de Trânsito (interdição), Urbana (limpeza) e Obras (fixação das novas pedras).

Para o processo de dignificação do espaço falta ainda o paisagismo, a colocação de um pequeno palco de acordo com o aprovado pelo Iphan e também lixeiras, além da restauração do grafitti (processo normal de arte urbana exposta às condições climatológicas e de estado daquela parede).

Todos os cuidados foram tomados de acordo com as recomendações dos especialistas (Historiadores, Pesquisadores e Museólogos). Desde a utilização em sua restauração das pedras ferruginosas originais para manter o padrão, instalação dos bancos, iluminação e limpeza.

O processo está em andamento para conclusão para a retomada da agenda cultural dentro do processo de revitalização do Centro Histórico.


Foto: Diego Campelo

Sobre o autor

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *