Banda canta as raízes do Seridó e do Sertão potiguar nesta quinta na Cidade Alta

Depois de uma temporada de shows, incluindo o Antigo Clube Municipal de Florânia, o TCP da Fundação José Augusto, o Porão das Artes, o Bar Acabou Chorare e o Bardallos, o Show Opereta das Flôres volta aos palcos, desta vez no auditório do Sindicato dos Bancários/RN (avenida Deodoro da Fonseca, Cidade Alta), nesta quinta feira às 19h, com entrada gratuita, fazendo parte do Projeto Quinta Cultural.

A banda Opereta das Flôres traz a participação das cantoras Terezinha de Jesus e Odaíres Cruz, Gildo Cruz no violão, guitarra, gaita e vocais, Claudinho na sanfona e teclados, Franklin Toscano no contrabaixo e vocais, Raniere na bateria, Júnior Galdino nos vocais e percurssão, Joelson e Dudú nos vocais.

Lançado em outubro de 2017, em Florânia e Natal, o CD Opereta das Flôres trouxe uma proposta inédita para a música potiguar, caracterizando um verdadeiro resgate cultural dos valores e belezas de Florânia, Seridó e Sertão. As músicas do CD referem-se a estes temas e, desde as composições, gravações e finalização, todas as etapas do disco foram realizadas por artistas floranienses.

Mesmo sem ter nenhum apoio da mídia tradicional, com exceção da TV e FM Universitária, o CD Opereta das Flôres caiu no gosto do público e os números alcançados nesses cinco meses surpreenderam: As vendas do CD atingiram 700 unidades e os vídeos clipes das músicas Flores do Seridó, Seresteiros de Florânia e Ilusão Sertaneja ultrapassaram 20.000 visualizações no Youtube e Facebook.

Para este novo show, a banda lançará o quarto vídeo clipe do CD, com a música ‘A caatinga virou carvão’. Composta por Gildo Cruz e interpretada por Rodrigo Castro, A caatinga virou carvão é um grito de alerta ecológico sobre a devastação da mata da caatinga e a consequente pré-desertificação que atinge hoje, especialmente, toda a região do Seridó Potiguar.

A caatinga virou carvão

Letra e Música: Gildo Cruz

De cima dessa serra eu olho o sertão
Vejo a terra nua tanta desolação
Onde estão os bichos asa branca se mandou
Até mesmo a chuva já rareou

Catingueira cadê o seu mel?
Craibreira onde está sua flor?
Aroeira, maniçoba, o angico morreu
A caatinga virou carvão

Jatobá, juazeiro, pereiro e cumarú
Oiticica, pau d’arco, mororó, mulungú
O sol está mais quente, o deserto vai chegar
Onde estão as sombras prá me refrescar?

Catingueira cadê o seu mel?
Craibreira onde está sua flor?
Aroeira, maniçoba, o angico morreu
A caatinga virou carvão
Replantar a caatinga é a solução

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *