#FicaDica – Série ‘Bolívar’ escancara a falta de heróis no Brasil

PIX: 007.486.114-04

Colabore com o jornalismo independente

Posso recorrer em erro brutal já no título. Não sou historiador, mas tampouco uma ilha isolada do senso comum. E se perguntar a qualquer transeunte na Venezuela, Colômbia, Bolívia, Equador (talvez Peru, não sei), eles têm um herói em comum na ponta da língua: Simón Bolívar. A Argentina, libertada por San Martin, tem lá seu Che, sua Evita Peron. E o Brasil?

Bolívar não foi um ídolo, como Ayrton Senna e outros mais confundidos com heróis (ultimamente também na seara política). Mas um herói de fato, repleto de conquistas, feitos e atos dignos do status. Bolívar libertou nada menos que seis nações do domínio espanhol em nossa América: Venezuela, Colômbia, Bolívia, Equador, Peru e Panamá.

A recente série Bolívar, da Netflix, retrata toda a sua saga em 60 capítulos de quase uma hora. Digna de maratona! Uma verdadeira novela biográfica de um filho de família abastada, órfão muito cedo e que desde jovem se capacitou para um futuro de glória e também desprezo, já nos últimos dias de vida (um spoiler que não prejudica em nada a andar da série).

A série também narra, em segundo plano, a trajetória de Manuela Saenz, equatoriana amante de Bolívar, conhecida como “Libertadora do Libertador”, de um feminismo pioneiro e responsável por outros atos dignos de heroismo. A série nem conta, mas “Manuelita”, após a morte de Bolívar, foi ainda mais renegada pela sociedade, mas sua história ganhou o mundo e ela mereceu visita de ilustres, como o escritor Helman Melville, autor de Moby Dick.

estátua simon bolivar
Estátua de Simón Bolivar no RJ

“Bolívar” mostra ainda um exército corajoso, idealista, que ajudou “O Libertador” em sua empreitada. E eu pensava: afora a epopeia do comandante Luiz Carlos Prestes, totalmente desconhecido do “povão” brazuca, quem mais poderemos comparar com a saga de Bolívar e seu “Exército Patriótico”? Ninguém. Não à toa existe estátua de Bolívar no Rio de Janeiro, sem ele nunca sequer ter pisado aqui!

Nossos livros de história nos conta, sim, a vida de alguns heróis: um Zumbi dos Palmares, um Tiradentes, um Antônio Conselheiro (Prestes sequer é lembrado nos livros!)… Mas são histórias, no âmbito geral e prático, de insucesso, por mais que tenham servido de exemplo. O Quilombo dos Palmares, Canudos, a Coluna Prestes, foram derrotados. E o Brasil foi “descolonizado” a partir de uma quartelada safada, é preciso que se diga!

A série Bolívar conta muito da história da nossa América, de um herói vitorioso, idealista, e também dos efeitos e custos de uma guerra. Como pano de fundo, a corrupção que permeia nosso continente desde o começo das repúblicas latino-americanas, além, como já citado, da fantástica história da heroína Manuela Saens.

Vale a maratona!


Já segue o instagram do Papo Cultura?
Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

3 Comments

  • Compartilho sua opinião (tomei a liberdade de citar sua pagina na postagem que fiz no blog espero que não se importe) Assisti a serie e como uma pessoa apaixonada por leitura e historia, sai em busca de mais informações sobre Manuela Saenz, infelizmente não encontrei livros (no Brasil/português) que informasse mais sobre essa mulher a frente do seu tempo, mas encontrei livros em espanhol (creio que ira acrescentar ao meu vocabulário…) Vi em minhas pesquisas que havia uma estatua no Rio de Bolívar e de imediato pensei alguém em algum momento reconheceu a importância dele (e não digo que ele era perfeito, mas tem sua importância no processo de liberdade) na historia da America do Sul, mas com certeza muitos que passam por la sequer sabem quem ele foi e o que fez… Outra coisa que também me chamou muito a atenção na serie foi a clareza com que mostra o quanto a corrupção por essas bandas e antiga e cronica aqueles que sobem ao poder…

  • Myriam Bernadete Gonçalves

    Fatastica! Estou maravilhada com a produção!

  • Rosi do Amaral

    Estou assistindo com muita vontade de aprender sobre os outros países de nossa América. Claro que tudo romanceado,porém feito com status de “Holywood”.Seu artigo nos relembra a nossa heroína catarinense, pouco conhecida, Anita Garibaldi , nascida na Laguna em 30.08.1821. “O que Anita Garibaldi fez de importante?
    Anita Garibaldi (1821-1849) foi a “Heroína dos Dois Mundos”. Recebeu esse título por ter participado no Brasil e na Itália, ao lado de seu marido Giuseppe Garibaldi, de diversas batalhas. Lutou na Revolução Farroupilha (Guerra dos Farrapos), na Batalha dos Curitibanos e na Batalha de Gianicolo, na Itália. (22 de jul. de 2019).”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *