Exposição de arte surrealista aborda, nesta quinta, o humano em si mesmo

Uma das revelações das artes visuais potiguares abre sua segunda exposição individual nesta quinta-feira, 11 de outubro, mais uma vez no espaço cultural Bardallos Comida e Arte.

Renata Lisieux conquistou o público visitante durante sua primeira exposição, intitulada Empatia, com telas que misturavam pop e surrealismo. Desta vez, a exposição Microcosmos retrata “o pequeno” em macro, o ciclo da vida, o ser humano como seu próprio universo; a natureza em sua forma mais simples.

Claro, as interpretações são subjetivas, mas o estilo de Renata Lisieux está lá, em qualquer tela que faça. Um traço marcante, personalizado de uma artista ainda jovem, mas de proposta consolidada, com forte influência do surrealismo e da arte pop.

Clique AQUI e confira uma breve entrevista com Renata Lisieux

Microcosmos apresentará 17 obras, sendo 15 da artista e mais duas obras de dois outros artistas convidados: Diego Germano e Lavoisier Cunha. A expo terá vernissagem a partir das 19h desta quinta, com discotecagem do DJ Samir, e segue em cartaz até 11 de novembro, no Bardallos.

“A intenção, independentemente do tema abordado, é despertar empatia (que inclusive foi o título da minha 1ª mostra individual), visto que o propósito principal é fazer com que o observador interaja de maneira intensa e única com cada obra. Essa tem sido uma característica recorrente nos meus trabalhos”, comentou a artista ao Papo Cultura.

Renata Lisieux

Renata Lisieux já participou de exposições coletivas, a exemplo do projeto Janela Aberta, encampada pelo Sesc RN, e do projeto Ateliê a Céu Aberto, pelo IFRN Cidade Alta.

Já conquistou o segundo lugar na terceira edição do Salão de Desenho do CEBE ZN, este ano, o quarto lugar no Ateliê a Céu Aberto em 2016 e o terceiro lugar, neste mesmo projeto, em 2017.

Também em 2017, promoveu sua primeira exposição individual, intitulada Empatia, com grande aceitação do público e da crítica.

renata lisieux em empatia

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *