POETA DO DIA: Carmem Vasconcelos

Redação4 de abril de 2019Poesia, Image

LINHAS E VÃOS

A minha pequena amiga cresceu.,
tornou-se esposa e mãe
com açúcar e radiância.
Entre o destino e a arte
há um vão – observe –
como entre as linhas, mesmo as da mão.
A minha pequena amiga me escreve
linhas e vãos, em papel com adereço.
Amoleço. Do mar que habito eu invento
a seca praça da Sé, onde mora a sua casa.
Lá, o amor é porto para nenhuma nau.
A minha pequena amiga não navega.
Tem os pés no chão e um automóvel.

(Carmem Vasconcelos)

Sobre o autor

Redação

Obrigado pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *