escritores potiguares em cuba

Livro com dezenas de escritores potiguares será lançado nesta quinta

Sérgio Vilar25 de março de 2019Agenda, Literatura, , Image

literatura brasilisO lançamento de ‘Literatura Brasilis – Colleción Potiguar – Edição 2019’ acontecerá na Capitania das Artes, nesta quinta (28), às 19h. Os recursos levantados com a venda dos exemplares, série histórica e numerada, tiragem exclusiva de 200 unidades, serão destinados à cobertura das despesas editoriais e de tradução da obra.

O organizador do livro, Aluisio Azevedo Junior, comenta sobre esta esperada obra logo abaixo, fruto de um feito histórico à literatura potiguar, com uma viagem de quase 50 escritores potiguares a Cuba, há dois anos, também noticiada por este blog.

Por Aluisio Azevedo Junior

O livro “Literatura Brasilis – Colleción Potiguar – Edição 2019” se constituiu, especialmente, em roteiro para apresentação da nossa literatura na XXVIII Feira Internacional do Livro de Havana, Cuba. Leituras e recitações que se incluíram nos eventos organizados pela União dos Escritores e Artistas Cubanos – UNEAC, como parte da programação da Feira. A obra editada acabou por cumprir, ainda, o papel de registro da presença brasileira no evento literário.

Trata-se de uma coletânea bilíngue de 34 poemas e 4 contos. A tarefa de tradução para o idioma espanhol foi realizada pelo Professor Amaury Gêne. O trabalho editorial da Unilivreira contemplou a produção literária do Rio Grande do Norte, em sua contemporaneidade. Mas, também homenageou escritores precursores, como os clássicos José Bezerra Gomes e Jorge Fernandes.

Tempestade Sentimental
(Jorge Fernandes)

A noite anda batendo isqueiro
Para acender o cachimbo do trovão.
E como boa camarada dele
Acende, acende, humildemente, em vão!
Iscou… iscou… no espaço,
Iscou em vão!
O trovão virou as costas foi dormir,
A noite aquietou-se junto a ele
E calmamente foi dormir também.
As estrelas, com medo, apareceram
nas pontinhas dos pés de suas luzes.

No livro, encontraremos os autores Alfredo Neves, Aluísio Azevedo, Aluízio Mathias, Brunno Mariano, Carlos Alberto Josuá, Damião Gomes, João Andrade, José Ivam Pinheiro, Júnior Dalberto, Marcos Campos, Marcos Cavalcanti, Sandemberg Oliveira, Tereza Custódio.

Soneto para Havana
(Marcos Cavalcanti)

Passos sob passos conduzem-nos à Havana;
Pegadas verde-amarelas à tenda de Poty.
Literariamente bela fez-se a nossa caravana
Na ilha-fortaleza de poesias de José Martí.

Há olhares e segredos indevassáveis nas janelas,
Há muitas obras e obreiros manejando gruas,
No passo do Prado, hábeis pincéis colorem telas,
E os pêndulos dos guindastes suspendem luas.

Entre encontros e desencontros – Contreras!
Entre o mar imenso e a pequena ilha – trilhas!
Entre o pão e o astuto panadeiro – uma canção!

Ali, pendões heroicos se orgulham das bandeiras,
Na música todo um país revolucionário se estribilha
Solfejando ao mundo os acordes de sua revolução.

A nova geração de poetas foi representada por Gonzaga Neto, Gessyka Santos e Wescley Gama. Mescla de tradição com jovialidade. Exemplos de premiados escritores pertencentes a gerações distintas.

outra beleza é possível

e
a
pesar

do alarde estridente
(o canto das engrenagens)

Alguém
na Colômbia, ou no mar noturno do Caribe
(ou mesmo aos pés do Morro do Careca, em Ponta Negra)

Esse alguém pode estar pulsando uma idéia:
(e assim como um não atravessa
oceanos em bytes,
um sim pode transpassar ilhas
humanas – arquipélagos incontidos,
formando uma nova pangeia:

euvocêtodomundo).

(Wescley Gama)

A coletânea ainda traz textos poéticos dos cubanos José Martí, mártir da independência cubana; e Félix Contreras, pesquisador, estudioso da música caribenha. Conjunto harmonioso e irresistível. Um convite à boa leitura.

Los que Vienen al Nuevo Hogar
(Félix Contreras)

Pero es que no teníamos la alegria,
La manera de vivir.
Es que escupimos el vidrio de los ricos,
Es que derrocamos el otro lado de la estrella,
Es que si nosotros hemos ganado,
Qué diremos de lo que ganarán ustedes
Naciendo en forma cristalina, pura,
En las manos de trabajadores.

Dentre os colaboradores de Literatura Brasilis, os escritores Brunno Mariano Campos, Aluísio Azevedo e João Andrade participaram efetivamente das apresentações realizadas na Feira Internacional do Livro de Havana, no período de 07 a 17 de fevereiro de 2019.

Arrancaram-me a língua,
quebraram-me os dedos,
expulsaram-me de mim,
exilaram-me de nós.

Eles pensam que escrevo com as mãos,
eles acham que canto com a voz.

(João Andrade)

As professoras Alzeneide dos Reis, Elivânia Bezerra e Nadja Costa foram presenças especiais e colaboradoras. O tema “POR UM MUNDO SIN MUROS” alinhava as Leituras Compartidas, idealizadas por Pierre Bernet, com a mensagem pacifista, poética e resistente, tão essencial ao futuro da humanidade.

Banho de Sol
(Aluísio Azevedo Júnior)

Tambores me vinham
O tempo todo
Me perscrutavam a alma
De mundo sem ser
Tambores de imaginação
Solidários
Eles me levavam
Pela vida
E me batiam
Seus batuques descontrolados
De libertação
Meu espírito em contrapartida
Meu Deus, como pulsava
Percorrendo-me o calvário
Este peito aos golpes
Com pernas de multidão

Destaque-se a importância da feira literária cubana, com sede principal na Fortaleza de San Carlos de la Cabaña, que recepciona, anualmente, milhares de visitantes de todo o mundo. A participação brasileira e potiguar teve o apoio da Associação Cultural José Martí do Rio Grande do Norte, que intermediou contatos, agendamentos e forneceu orientações aos integrantes da comitiva.

Desta feita, a Embaixada Brasileira em Cuba e o Ministério da Cultura do Brasil se ausentaram das ações empreendidas. A falta eventual foi compensada pela atenção dos anfitriões Felix Contreras e Pierre Bernet, integrantes ilustres da UNEAC. Nos mesmos moldes de comitivas anteriores, todos os custos de passagens e hospedagem foram pagos pelos próprios integrantes do grupo voluntário.

Sobre o autor

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *