carnaubuais-Aluízio-Lacerda-historiador

Documentário conta história e revela valores culturais de Carnaubais

O documentário Carnaubais: Nossa gente, nossa história se propõe a contar a rica história do município que, em 18 de setembro de 1963, desmembrou-se de Assú.

Em 1974, uma enchente destruiu toda a cidade e a população ficou desabrigada. cumprindo-se a profecia atribuída a Frei Damião de que Carnaubais viraria uma cama de baleia.

Carnaubais tem em Santa Luzia sua padroeira e santa de devoção mesmo antes do município existir. Quando grande incêndio atingiu o carnaubal, um barão teria pedido a interseção da santa que mandou chuva em abundância e apagou o fogo. O barão construiu uma capela em agradecimento a Santa Luzia.

As gravações já foram realizadas no município e o documentário encontra-se em processo de montagem e edição, com previsão de lançamento para o final de março/2021 no canal da Z-CRIAR Produções no Youtube.

Para o proponente do projeto e diretor do documentário Zelito Coringa, é uma excelente oportunidade para contar a história da cidade que foi berço da cantora Núbia Lafayete e do líder sindical salineiro Manoel Torquato, que fundou o Sindicato do Garrancho (onde os trabalhadores, para encobrirem seus rastros, amarravam garranchos nas pernas).

O município abriga ainda hoje a maior reserva de carnaubeiras da América Latina.

“Queremos documentar a história de Carnaubais através dos relatos de seus moradores e de personagens do município que guardam a rica memória dos acontecimentos vividos e disponibilizar o documentário para as pessoas interessadas na história do município”, afirma Coringa, que acredita que a obra poderá contribuir de forma efetiva com o resgate da memória e da história do município.

Valores culturais

Além dos aspectos históricos que marcaram Carnaubais, o documentário registra a presença de vários artistas que residem no município e que fazem a cena cultural.

A presença dos violeiros Hominho Costa e José Jonhson, do músico Johnatan Lopo, da educadora e poetisa Aldinete Sales, da cantora Rafaela Souza que interpreta as músicas de Núbia Lafayete e dos jovens músicos João Vítor e Júnior, dentre outros, dão a perfeita dimensão do celeiro cultural e artístico que habita o município.

“Na condição de artista nascido em Carnaubais e produtor cultural, tenho me preocupado com o registro da memória do meu município. Como músico, sei da importância de ouvir a classe artística e mostrar nossos valores culturais. Nossa história é o que nos identifica e diz muito sobre quem fomos e quem somos”, destaca Zelito Coringa.

O produtor acredita que toda a sociedade carnaubaense se sentirá privilegiada por ver sua história na tela e sendo vista por pessoas de todos os lugares onde a rede mundial de computadores possa chegar.

Patrocínio

Durante as gravações foram tomados os cuidados sanitários necessários como sanitização dos equipamentos, uso de máscaras e distanciamento social em face a pandemia de Covid-19.

O documentário Carnaubais: Nossa gente, nossa história, está sendo realizado com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *