Shows, livro e performance celebram o Dia da Consciência Negra no Porão das Artes

O mês de novembro traz o Dia Nacional da Consciência Negra no próximo dia 20 (data da morte de Zumbi dos Palmares) e o Porão das Artes celebrará a data neste domingo com uma programação que inclui lançamento de livro e shows musicais. Será a partir das 16h, com acesso a R$ 10 no espaço mais convidativo de Pium.

Na programação, o lançamento do livro Gule Wankulu, do escritor e performer moçambicano Tsumbe Mussundza, E a trilha sonora do dia com show de Marília Negra Flor e Clara Pinheiro, duas vozes negras para embelezar o Terreiro do Porão. Literatura, performance e música numa tarde/noite de domingo.

Livro Gule Wankulu

O livro é uma ode à sua mãe Maliya, anciã em Moçambique que, aos olhos do autor, possui duas mãos: a da vida e a da morte, em uma relação de ancestralidades e memórias com a dança Gule Wankulu. Esta publicação atualiza questões que habitam seu corpo em um cruzamento entre as experiências de sua vida e as urgências do contexto sócio-afetivo-político, e o faz trazendo não somente informações, concepções e conceituações pertinentes mas, principalmente, inserindo o leitor em uma experiência “real” de imersão de um pensamento, com raciocínio e redação que o colocam em uma vivência descolonial no tratamento do tema dança.

O autor convoca figuras-chave como a sua mãe, por exemplo, que não só aparece de forma literal como também ‘fluida’, como agente de sobrevivência, plasmando-se na corpografia rural do artista em uma dinâmica de empatia e manifesto. A obra é também um percurso poético e reflexivo importante: a de dançar a vida.

Marília Negra Flor

Motumbaxé, Motumbá? É o show autoral da compositora, educadora e pesquisadora em danças negras Marília Negra Flor. Seu repertório apresenta ritmos populares afro-brasileiros, tendo grande influência na cultura afroreligiosa.

Ritmos como ijexá, maracatu de baque virado, coco de roda, coco de zambê e samba reggae se misturam a uma interpretação e sonoridade potiguar, com composições que afirmam e exaltam a negritude norte riograndense, suas crenças, danças e musicalidade. Estará acompanhada dos percussionistas Kleber Moreira e Ranah Duarte.

Clara Pinheiro

Clara Pinheiro, cantora e compositora, possui 11 anos de carreira, e iniciou a vida artística no teatro. A influência do blues e do soul é notória em seu trabalho.

Clara integra as bandas Orquestra Boca Seca, e Clara e a Noite. Foi com elas que se apresentou nos principais festivais do estado, realizou uma mini turnê por algumas cidades do interior do Nordeste (2010), além de uma temporada na Europa pela França, Bélgica e Portugal (2014).

Participou dos álbuns “Bang” de Simona Talma, no single Negra (2015); “Cobra Coral” de LuÍsa e os Alquimista, no single Veneno (2016); “Laborioso Vinho” de Igapó de Almas, no single Solidão Avulsa (2018).

Em 2017, junto com Simona Talma, apresentou o espetáculo “Pássaros Proibidos”, viabilizado através do FIC 2016 (uma homenagem à Gal Costa e Maria Bethânia), com sucesso de crítica e público.

Hoje, a artista e empresária dedica-se à gravação do primeiro álbum solo, onde propõe um mergulho em seu universo de mulher, mãe, negra e habitante de periferia, com previsão de lançamento para o primeiro trimestre de 2019.

SERVIÇO

Dia da Consciência Negra no Porão das Artes
Local: Porão das Artes (rua da Aurora, 138, próximo à caixa d’água de Pium)
Data: 18 de novembro 2018
Hora: 16h
Entrada: 10 reais


O Porão das Artes é um espaço que existe desde 2013 em comunhão com as mais diversas manifestações artísticas, culturais, educacionais e sociais, comandado pelo produtor cultural Nelson Rebouças. O espaço funciona como restaurante e locação para os mais diversos gêneros de eventos privados ou públicos. Contatos: (84) 9 9922-8188 (zap).

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *