Cia-Pão-Doce

Cia Pão Doce promove intercâmbio teatral no Alto Oeste

A Cia Pão Doce de Teatro, grupo da cidade de Mossoró, realizará durante as quintas-feiras do mês de outubro, a temporada virtual especial do espetáculo “A Casatória c’a Defunta”.

Serão ao todo três apresentações do espetáculo, que ocorrerão nos dias 15, 22 e 29 de outubro, a partir das 19h. Todas elas transmitidas pela plataforma do YouTube, através do canal da PARÊA TV.

Teatro do Alto Oeste Potiguar

Na programação, após cada espetáculo, acontecerá um bate papo super bacana com grupos convidados do Alto Oeste Potiguar. O primeiro grupo convidado será o Grupo Dançart, da cidade de Caraúbas, no dia 15 de outubro.

O segundo grupo será a Cia Arte e Riso, de Umarizal, no dia 22 de outubro. E no último encontro, o papo será com os artistas do grupo Upanemenses, da cidade de Upanema.

Oficina

Para finalizar a programação do mês de  outubro, a Cia Pão Doce de Teatro ainda promoverá a oficina “Teatro para Tempos de Isolamento”, no dia 30 de outubro, às 19h, por meio da plataforma do zoom.

Vagas limitadas. Para quem tiver interesse em participar, as inscrições são feitas pelo link a seguir. https://forms.gle/LpLmsQst11urweSW6

Esse projeto foi contemplado pelo Edital de Fomento a Cultura Potiguar 2019 do Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Uma realização da PARÊA Produções e da Cia Pão Doce de Teatro.

Casatória c’a Defunta

A Casatória c’a Defunta é um espetáculo teatral de rua, palco e espaços alternativos, que surgiu a partir de uma pesquisa desenvolvida nas zonas rurais do RN. O objetivo era descobrir a partir da arte, formas de debater sobre a vida e a morte segundo o imaginário popular.

Impulsionados por histórias de amor sertanejo, causos de vida e morte, brebotos de calçadas e tantos outros contos e pontos que enriquecem o folclore brasileiro, a Cia. Pão Doce utiliza causos que vão desde a poesia matuta, impregnada de humor, neologismos, sarcasmo, amor e ódio, até cantorias, contos de “malassombro”, piadas e textos de nordestinidade apurada.

O resultado são novas sensações e boas reflexões sobre a pós-vida, e sobre a cultura popular e sua preservação apresentados aos espectadores.

Utilizando de um texto delicado e metafórico, o autor Romero Oliveira retrata uma história de amor, amizade, respeito e equilíbrio entre os mundos real e espiritual, mostrando através da cena e da música, vida e morte como distintas e ao mesmo tempo equivalentes, navegando entre os ritmos populares do nordeste e canções autorais executadas ao vivo.


FOTO: George Vale

 

Sobre o autor

Redação

Obrigado pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *