“Atávico”: atriz e dramaturga lança livro sobre herança familiar

fernanda cunha

PIX: 007.486.114-01

Colabore com o jornalismo independente

A atriz, escritora e dramaturga Fernanda Cunha leva os leitores para a sala de sua casa  em “Atávico”. A autobiografia de poemas que marca a estreia de Fernanda no universo literário está agendada para a próxima quarta-feira, dia 10 de julho, às 19h, no Mahalila Café e Livros em Natal. 

 “Atávico” mergulha na complexidade das relações familiares ao explorar como a hereditariedade molda a identidade individual através de quatro capítulos dedicados ao avô, à avó, ao pai e à mãe. Fernanda elege esses personagens universais para revelar as camadas de emoção e experiência que compõem a trajetória de cada um na família.

“É o meu primeiro livro, sendo assim é um marco pessoal, um ponto de início no universo das letras, que é mais concreto que o mundo do teatro, que é sempre instantâneo. O teatro se faz no agora e sempre pela primeira vez, as letras, os livros se perpetuam no presente-futuro, enquanto forem lidos e circulados. A natureza dos livros é duradoura, então “Atávico” é a primeira vez que minha arte ganha uma matéria que supera o instante.” reflete Fernanda sobre a jornada múltipla no mundo das artes.

Assistida internacionalmente no 74º Festival de Cannes com o filme “Sideral (2021)” de Carlos Segundo e protagonista das obras “Não Nos Deixeis (2021)” de Davi Revoredo e “Quando as coisas se desmancham (2018)” de Aristeu Araújo, Fernanda também assinou as peças “A tragédia mais insignificante do mundo (2019)”, “Duas sombras diante do abismo (2021)” e “Infértil (2022)”. Atualmente estuda dramaturgia na SP Escola de Teatro. 

Em “Atávico”, Fernanda captura a essência das vivências marcadas pelo afeto, saudade, força e ternura, mas também lança luz sobre a influência dos traumas e das histórias transmitidas de geração em geração. “Atávico” convida o leitor para explorar as conexões emocionais que definem nossas identidades. “Elegi quatro caracteres mais universais da família (o avô, a avó, o pai e a mãe) para que outras pessoas pudessem se relacionar com a escrita, porque o que está em jogo nos poemas de “Atávico” é o modo de relação que esses caracteres podem imprimir nas nossas vidas.” explica Fernanda.

Realizado através da Lei Paulo Gustavo-Natal, a obra reflete um período de efervescência na literatura potiguar por conta do fôlego que o edital trouxe para a cultura da cidade. O projeto também contará com um audiolivro para garantir a acessibilidade de pessoas com dificuldades visuais aos poemas. “A Lei Paulo Gustavo foi essencial para transformar o sonho do primeiro livro em realidade, de modo que pude fazê-lo com profissionais que admiro muito e acredito no trabalho. A LPG democratiza a possibilidade de editoração e distribuição de livros e graças a esse recurso público eu pude financiar um livro com a qualidade que “Atávico” tem e com recurso de audiobook para pessoas com dificuldade de leitura.” enfatiza Fernanda.

“Átavico” é o primeiro livro de Fernanda Cunha. A obra foi coordenada por Mariana Hardi, com projeto gráfico e diagramação por Amanda Marques, e ilustração da capa por Caroline Santos. Regina Azevedo foi responsável pela revisão, enquanto Ana Luísa Medeiros e Wellington Feliciano cuidaram da acessibilidade. Ticiano D’amore foi responsável pela gravação, edição, mixagem e masterização do audiolivro, e a impressão ficou a cargo da Offset Gráfica. 

Lançamento do livro “Atávico” de Fernanda Cunha

Quando: 10 de julho de 2024

Onde: Mahalila Café e Livros, Natal, RN

Acesso: Gratuito – com venda de exemplares durante o evento

Patrocínio: Lei Paulo Gustavo, Prefeitura do Natal e Ministério da Cultura

Redação

Redação

Obrigado pela visita!

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos do mês