SONHOS TORTOS: Fugitivos

Fugitivos

Ela entrou, a minha menina,
Chegou feliz feito um pássaro
Em uma mão uma flor que brilha,
Na boca uma música de rádio

Esta noite é a único do mundo
Cuja resposta ferirá nossos corações.
Onde de tão profunda angústia
pretendo em claros amanhecer!

Mas não – Minha juventude, não mais.
Adeus meu amor, feixe o doce que te dei.
Perfume-se, você menina, sempre em harmonia.
Felicidade se foi, passou – E dela eu fugi!

About The Author: Allan Araújo

Allan Araújo

Anjo cruel com pitada eloquente. Escrevo para afagar o coração infartado em uma grande mistura de sentimentos. Verborrágico. Sigo metaforseando e perambulando.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *