SONHOS TORTOS: Deserto

Deserto

Ouça mesmo
Aquilo que não
existe numa
Imensidão,
Entre teu olhar
e o sentimento,
Que foge pelo ar.

Ouça o zumbido
Do deserto
À passeio
Que sopra longe
Brando e triste
Capaz de causar
espanto.

Existe uma gota
De esperança
Que pinga
nas horas latentes
da minha solidão
Entre o deserto,
E o teu coração.⁠⁠⁠⁠

About The Author: Allan Araújo

Allan Araújo

Anjo cruel com pitada eloquente. Escrevo para afagar o coração infartado em uma grande mistura de sentimentos. Verborrágico. Sigo metaforseando e perambulando.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *