Concertos da Sinfônica do RN no Teatro Riachuelo passarão a ser cobrados

O projeto Quartas Clássicas adentra o terceiro ano consecutivo de concertos executados pela Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte no suntuoso palco do Teatro Riachuelo.

São três anos de completo sucesso. Mesmo com repertório erudito e num meio de semana, a gratuidade dos ingressos subsidiados por empresas privadas lotam todas as edições mensais do projeto.

Linus Lerner

Claro, o próprio Teatro Riachuelo, erguido no templo mor do capitalismo – o shopping – não deixa de ser um atrativo. Pessoas frequentam para ver e serem vistos, independentemente da música.

Mas, fato é que lotar mais de 1500 assentos do Teatro em todas as edições, não é fácil. E o público, segundo o maestro da OSRN, Linus Lerner, é heterogêneo e mutante, sempre com novas pessoas e turistas.

No entanto, o sistema gratuito de distribuição de ingressos tem causado transtornos à produção e ao público. Muitos interessados não conseguem adquirir tamanha a rapidez com que se esgotam. E muitos que conseguem, não vão.

Um primeiro lote de senhas é disponibilizado mediante preenchimento de formulário e retirada do ingresso na Fundação José Augusto. O segundo lote é liberado no dia do concerto, a partir do meio dia, na bilheteria do Teatro. Cada CPF apresentado dá direito a um par de ingressos.

“Muitas vezes é anunciada a disponibilidade dos ingressos e em cinco minutos a pessoa entra no site e não encontra mais. Então, pretendemos cobrar o preço único de R$ 10, ainda em valores populares, para valorizar o ingresso e ajudar nos custos da Orquestra”.

Linus Lerner citou como argumento o enxerto de 27 músicos extras na Orquestra e a necessidade de recursos para pagar esses profissionais, além da pauta do Teatro e outros custos de produção.

PENDÊNCIA

A Orquestra ainda depende da continuidade do principal patrocinador do projeto, a Cosern. “Nossa ideia é definir essa senha a R$ 10, mesmo com a parceria da Cosern. Não acho que haja objeção da parte deles. A lei (Câmara Cascudo) permite essa cobrança. Mas, claro, caso eles rejeitem a ideia, nós acataremos”.

Com o patrocínio garantido para mais essa temporada, a intenção é negociar um percentual de ingressos cobrados. “Veja: se 150 pessoas ou 10% do total de assentos do Teatro pagar, já são 1.500 reais, que ajudam bastante nossa Orquestra”, reiterou o maestro.

De acordo com a assessoria de comunicação da Cosern, o resultado do edital lançado em dezembro para projetos culturais será divulgado neste mês de maio, sem data definida ainda. Nos últimos anos a Cosern tem patrocinado uma média de 22 projetos culturais por temporada, via Lei Câmara Cascudo do Governo do Estado.

Hoje, o projeto Quartas Clássicas conta com patrocínio também do Cemitério e Crematório Morada da Paz, também por meio da Lei Câmara Cascudo; da Unimed Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão da Prefeitura Municipal de Natal; além de apoio do Teatro Riachuelo, Restaurante Camarões, Poti e La Cachete. A realização do projeto é da Fundação José Augusto e da Mapa Realizações Culturais.

O próximo concerto acontece no próximo dia 31.

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *