POETA DA SEMANA: Vicente Vitoriano

O mossoroense Vicente Vitoriano é um dos mais reconhecidos críticos de arte do Estado potiguar. Arquiteto pela UFRN, especialista em ensino de arte pela UFPB, IFPA, IFRN/UFRN (quando ETFRN), e mestre e doutor em educação pela UFRN. É também pesquisador da história da arte e do ensino de arte no RN. Publicou “Os vértices do triângulo” (FJA, 1985) e “A falsa simetria” (Sebo Vermelho, 2002). Artista plástico, crítico e professor de arte, segue abaixo a vertente poeta de Vicente Vitoriano, nosso POETA DA SEMANA.

—————

MEMO

Para Luiz Virgílio

Noite adentro
madrugada a fora
nas ruas ácidas mossoroenses.

Minguantes minguando vazios de vazios
no cinza verde quase das algarobas.

Os amigos também sombrios
jaziam sob o asfalto novo
cobrindo futuros.
O poeta sozinho
partia para aonde
em trens inexistentes.

—————

Abro meu olho para o sonho e o sonho se acoberta
Canto para o sonho e meu olho desperta
O mundo me olha
sou o sonho do mundo
Minha forma é o mundo

—————

PREGUIÇA

Tenho preguiça de respirar
preguiça de ter preguiça.
Espreguiçar-se na espreguiçadeira
e olhar de lado para a natureza.

A preguiça mata
mas eu tenho preguiça de morrer.
Ela é mãe da pobreza
e eu sou rico só de preguiça.

Tenho preguiça de amanhecer
preguiça de estar.
Uso a preguiça como cobertor
e tenho preguiça de sonhar.

—————

ASSIM

quando as balas raspam
quando as caras mascaram-se
quando a música para
a poesia cala
ou fala trôpega
dúbia
com seus pés quebrados

—————

MINIMAL ORNITOLOGIA

na precariedade do ninho
três mínimos passarinhozinhos
tão menores que seus pais passarinhos
já tão pequenininhos

—————

ELEMENTAL

O esboço é obra
mas a obra é baça
Falsa premissa
no ar de cachaça

O escorço engana
o olho indigno
Inútil órgão
no mar de colírio

A linha é firme
mas o traço falha
A forma some
no fogo de palha

A cor desbota
a luz se apaga
Jaz o artista
na terra amarga

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

  • Ruben G Nunes
    Reply Ruben G Nunes

    Mago-velho Brau!… nem sabia que também é poeta das letras além do GrandePoeta que é na Arte da Pintura.
    Parabéns, manusho! Aquela tua “Preguiça” me deu vontade de pegar uma rede de sonhos&lembruxas e iniciar a
    uiskmeditation dessa sexta-de-pé-grande…. Abração
    ruben g nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *