Pititinga, a doce enseada do sossego

Pititinga! Provavelmente, a grande maioria dos potiguares nunca ouviu falar desse lugar. Imagina os turistas! Tranquilidade, sucesso, sol, mar, água fresca, lugar inóspito é a receita para fugir alguns dias da vida e deixar as horas passarem sem ter notícias da “terra civilizada”. É essa atmosfera que torna a praia de Pititinga um dos melhores lugares para relaxar, deixar a vida passar como se o amanhã demorasse os quatro dias de carnaval.

Foto: Alex Gurgel

Para quem quer fugir, ficar bem longe do estresse, a praia de Pititinga é o local ideal para se esconder de todo o caos urbano. Naquele beiço de mar, os únicos ruídos são das ondas do mar quebrando na praia. É o local certo pra quem quer tirar a cabeça fora do ar, se desligar de tudo e ficar curtindo o tempo passar calmamente.

É como se os nativos de Pititinga se esquecessem de que há relógio e hora marcada. E ali as pessoas fazem questão de manter o sossego. Mesmo durante o período carnavalesco é possível que se escute música de carnaval de algum carro que passa ligeiro, um barzinho na vizinhança, ou algum bêbado se equilibrando no passo do samba imaginário… e mais nada.

Pititinga é uma praia linda, a água quente, a areia branquinha, repleta de coqueiros na orla e o silêncio… ah o silêncio! Ficar uns dias na enseada é uma benção pra quem vive na confusão das grandes cidades, no estresse do cotidiano urbano.

Distante cerca de 60 km de Natal, pela BR 101, no Litoral Norte, Pititinga é uma tímida comunidade, que abriga, aproximadamente, mil habitantes, cuja economia se baseia na pesca artesanal e em programas de assistências sociais. A igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, construída na beira do mar, no início do século XX, é a única referência religiosa da cidade. A igreja evangélica ainda não chegou nesse paraíso.

About The Author: Alex Gurgel

Alex Gurgel

Fotógrafo e viajante

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *