PERFIS LITERÁRIOS: Edson Soares

Jornalista, escritor, cineasta, roteirista, editor e produtor cultural, Edson Soares nasceu em Serra Negra do Norte (RN), e começou a sua carreira bem jovem na cidade de Caicó, como locutor e repórter policial da Rádio Seridó. Vindo para Natal, trabalhou como repórter e redator de programas na TV Ponta Negra, além de escrever crônicas e artigos em jornais do Estado.

Também foi Diretor da TV Câmara Natal e exerceu as funções de Vice-Presidente da Funcarte. Numa temporada em Mossoró, na década de 1990, ele esteve à frente da editoria do tradicional jornal “O Mossoroense”.

Há algum tempo, Edson Soares tem se dedicado a planejar vários projetos para o cinema, participou de editais e concursos, e fez inúmeros trabalhos na área do audiovisual. Recentemente, conseguiu viabilizar o longa metragem “Nova Amsterdã” e também a minissérie denominada “Omicron”.

“Nova Amsterdã” conta uma história do tempo da dominação holandesa no Rio Grande do Norte, no século XVII. Compõem o elenco do filme grandes nomes do cinema nacional, como a consagrada atriz Joana Fomm e Paulo Cesar Pereio. Lançamento previsto durante o novo festival de cinema do Estado, o Cine Fest RN, em abril deste ano.

O segundo projeto de Edson Soares, a minissérie “Omicron” se inspira no conto “O Imortal”, de Machado de Assis, e trata da história de duas famílias que vivem no ano de 2080, fugidas do Nordeste devido a um meteoro, que causa grande devastação. Foi gravada em alta definição e terá 12 episódios.

As duas produções citadas têm recursos financiados pelo Fundo Setorial Audiovisual. Segundo Edson Soares, aproximadamente, R$ 1,5 milhão foi investido nesses empreendimentos.

Tendo conseguido produzir dois projetos significativos, o percurso do cineasta serra-negrense foi bastante longo. Em meio à descrença e a falta de recursos, o filme “Nova Amsterdã”, por exemplo, demorou vários anos para sair do papel.

“Diziam que eu era megalomaníaco. Mas acreditaram no meu roteiro e consegui a verba para a produção. Não foi diferente de ‘Omicron’, as pessoas diziam que eu era louco por querer uma série que se passa no futuro, mas consegui. Para conseguir fazer cinema é preciso sonhar grande” – afirma o cineasta.

Na área literária, Edson Soares também vem obtendo êxito.

São vários livros de sua autoria até o momento: “Temporada de sangue” (romance, 2015), “Confissões do sefardita errante” (romance, 2016), “O Fim que os deuses darão a mim ou a você” (romance, 2017), “Nova Amsterdam” (roteiro cinematográfico, 2016), “Amanhã há de ser outro dia” (em e-book), “Os últimos passos do enforcado”, inspirado no enforcamento de um escravo ocorrido em Natal, e descrito numa crônica de Câmara Cascudo. “Os últimos passos do enforcado” foi publicado pela Cja Edições em versão impressa.

“Temporada de sangue”, o primeiro romance escrito por ele, foi selecionado pelo FIC-2014, em seguida “Confissões do sefardita errante”, ganhou o Bolsa Literária do MINC-2014. O romance “Confissões do sefardita errante” foi premiado pelo Ministério da Cultura, em 2014, através da Bolsa de Fomento à Literatura, ficando em primeiro lugar na categoria “Criação Literária” na região Nordeste. Concorreu com mais de 200 outros romances. E em 2003, quando ainda tinha outro título e não estava acabado, “Confissões” recebeu uma menção honrosa do júri do Prêmio “Câmara Cascudo” da Funcarte.

Com seus romances e contos de grande apelo junto ao publico leitor, o escritor obteve vários prêmios e menções honrosas em concursos literários, inclusive recentemente, ficou entre os finalistas do premio Kindle de Literatura.

Outra curiosidade sobre esse polivalente artista: gravou um CD, bastante instigante, e com músicas autorais, no final da década de 1990. Atualmente Edson Soares está editando/ organizando o depoimento de Miriam de Souza, viúva do ex-radialista e político potiguar Carlos Alberto de Souza, para um livro que será publicado ainda este ano.

About The Author: Thiago Gonzaga

Thiago Gonzaga

Pesquisador da literatura potiguar e um amante dos livros.

Comentários

  • Reply Dancley Fernandes

    O RN deve agradecer ao pesquisador Thiago Gonzaga, por nos apresentar grandes personalidades do nosso estado, gostaria que os Natalenses desem mais valor aos nossos escritores, que já foi apresentado nessa coluna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *