Listamos para você as 10 melhores músicas potiguares desde 1980

Se listas sempre geram discordâncias, que dizer de uma seleção de apenas dez de canções em um universo de quase 40 anos de produção musical. Mas tentamos. E a partir da opinião de seis conhecedores da música potiguar. Tem jornalista, músicos, produtor e pesquisadora, e uma sétima lista deste blogueiro intrometido.

São sete listas e a certeza de que a década de 80 realmente não morre nunca. A predominância de composições dessa época é absurda. Exceção para uma lista cheia de rocks do músico decano da banda The Automatics, Alexandre Alves, também co-autor do recente livro ‘100 discos do rock potiguar’.

Para selecionar as 10 canções mais marcantes desde 1980, além de Alexandre Alves, a maior pesquisadora da música potiguar, Leide Câmara; o jornalista, músico de bandas como GRM Blues, Eu Edu e os Caras e Os Grogs, Moisés de Lima; o músico e compositor Cleudo Freire; o produtor musical e também pesquisador José Dias; e o músico de bandas como Camarones Orquestra Guitarrística e Fetuttines, além de produtor musical, Anderson Foca.

Babal e Geraldo Azevedo

Estilos diferentes com listas também bem distintas, que dão maior abrangência ao arcabouço musical potiguar. De uma lista eminentemente roqueira de Alexandre Alves aos hits populares e de alcance nacional de Leide Câmara. Da lista oitentista de Cleudo e Zé Dias às mesclas de Anderson Foca e Moisés de Lima.

Babal aparece como compositor mais lembrado. Pedro Mendes e sua imortalizada Linda Baby não poderiam faltar. Surpresa talvez para Tertuliano Aires, compositor prestigiado no meio musical, mas pouco conhecido do grande público se não com o codinome de Cabrito, seu personagem pornofônico.

Canções da última década foram praticamente esquecidas. Talvez pela fragmentação generalizada da música autoral no tempo-hoje. Uma contradição visto a qualidade e o sucesso nacional e até mundial de alguns artistas potiguares. Mas, a música atual realmente tem passado sem a digestão necessária.

Ademais, outros excelentes compositores também ficaram fora. E para cometer o pecado do esquecimento, lembro alguns: Kiko Chagas, Valéria Oliveira, Alexandre Atmarama, Carlos Santa Rosa, Luisa Guedes, Carlos Zens, Ângela Castro, Júlio Lima, Cida Lobo, Yrahn Barreto, Wescley Gama, Lelé Alves, Maguinho DaSilva, Antônio Ronaldo, Wigder Valle, João Galvão…

Vamos às listas!

ALEXANDRE ALVES (cantor e compositor)

– À noite ninguém respeita os sinais (Florbela Espanca)
– Submerged (Calistoga)
– Imagem (Adriano Azambuja)
– I got a guitar (GRM Bluesband)
– Control (Bandini)
– Beijos de arame farpado (Montgomery)
– Motoca laser (Ameaça Subterrânea)
– Praia paia party time (Jubarte Ataca)
– Last (Chronic Missing)
– Sentado no arco-íris (Leno) – gravada em 1971, mas lançada em 1995

ANDERSON FOCA (produtor musical, músico e compositor)

– Helena (Chico Antônio)
– Areia e Mar (Aluízio “di Brito”) – interpretada pelo grupo Cantocalismo
– A Quem Interessar Possa (Mirabô)
– Fera Nova (Pedro Mendes)
– Cuidado com o que Você Consome (Gustavo Lamartine) – interpretada pelo General Junkie
– A Ciganinha (Carlos Alexandre e Aarão Bernardo)
– Gatos e Cães (João Saraiva) – interpretada pelo grupo Jane Fonda
– DK (Rômulo Tavares)
– Matando o Amor (Simona Talma e Luiz Gadelha) – interpretada por Talma&Gadelha
– Diferenças (Luiz Gadelha)

CLEUDO FREIRE (cantor e compositor)

– Linda Baby (Pedro Mendes)
– Alegres Meninos (Pedro Mendes)
– Avenida 10 (Babal) – interpretada por Geraldo Azevedo
– Dia Negro (Babal)
– Alicerce da Terra (Babal)
– Aponto Pro Futuro (Cleudo Freire)
– Vem (Cleudo Freire)
– Lua Cigana (Nelson Coelho, Cleudo Freire e Leo Ventura)
– Banana Reagae (Cleudo Freire, Rildo Lima, Francisco Bethoven)
– Bartô (Carito Cavalcanti)

JOSÉ DIAS (produtor musical)

– Esquina do Continente (Pedro Mendes)
– Lua Cigana (Cleudo Freire)
– Dia Negro (Babal)
– Avenida 10 (Babal)
– Ponta Negra (Babal e Ciro Pedroza)
– Tulipa Negra (Sueldo Soaress)
– Aqui é Meu Lugar (Manassés Campos)
– Natalia (Tertuliano Aires e Nagério)
– Zona Norte, Zona Sul (Ricardo Baya) – interpretada por Khrystal
– Amarelo Verde e Branco (Khrystal)

LEIDE CÂMARA (pesquisadora e imortal da ANL)

– Garotinha (Fernando Luiz e Iranilson)
– Se meu amor não chegar (hoje eu quebro essa mesa) (Lindolfo e Wilson Nascimento) – interpretada por Carlos André
– A Ciganinha (Carlos Alexandre e Aarão Bernardo)
– Feiticeira (Carlos Alexandre e Oswaldo Garcia)
– Aquela Nuvem (Gilliard)
– Forró da Coreia (Antônio Aguiar e Elino Julião)
– Ovo de Codorna (Severino Ramos) – interpretada por Luiz Gonzaga
– No toca fita do meu carro (Carlos André e Bartô Galeno)
– Casinha Branca (Marcelo, Gilson e Joran) – interpretada por Maria Bethânia e outros
– Seresteiro da Noite (José Fernandes) – interpretada por Amado Batista

MOISÉS DE LIMA (jornalista e músico)

– Linda Baby (Pedro Mendes)
– Alguém no Bar (Gustavo Lamartine) – interpretada pelo grupo Mad Dogs
– Potiguarina (Graco Medeiros, Geraldo Carvalho e Tertuliano Aires)
– Desafio (Romildo Soares e Geraldo Carvalho)
– Feira do Alecrim (Tertuliano Aires)
– Dia Negro (Babal)
– A quem interessar possa (Mirabô)
– Cantar (Galvão Filho)
– Ciências e Religiões (Leno)
– Tambor Brasil (Zorro)

SERGIO VILAR (jornalista)

– Avenida 10 (Babal)
– Dia Negro (Babal)
– Linda Baby (Pedro Mendes)
– Garotinha (Fernando Luiz e Iranilson)
– Conte Comigo (Zeca Brasil) – interpretada por Eliane
– Festa Rasta (Rildo Lima e Eduardo Taufic) – interpretada pelo grupo Alphorria
– Alguém no Bar (Gustavo Lamartine)
– Coisa de Preto (Khrystal e Tertuliano Aires)
– Aonde está meu outro par da sandália havaiana? (Paulo Souto) – interpretada pelo grupo DuSouto
– Matando o Amor (Simona Talma e Luiz Gadelha)

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

  • Reply Luiz Gadelha

    “Matando o amor ” é uma composição só de Simona Talma 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *