CURTINHAS: Lei municipal aberta, Clássicos Cinemark, vídeo de Hermenegildo…

LEI DJALMA MARANHÃO

Está aberto o período para apresentação dos projetos na Lei Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura. O prazo começou oficialmente segunda-feira (17) e vai até 17 de outubro. Na última quinta-feira (13) foram publicados no Diário Oficial do Município (DOM) os critérios para que os projetos sejam apresentados na Lei. Entre eles está o limite de 4 projetos por proponente, desde que a soma dos valores não ultrapasse o limite de 2% do valor total da Renúncia Fiscal. O programa de incentivo à cultura através de renúncia fiscal funciona na sede da Secretaria de Cultura (Secult/Funcarte), das 8h às 14h, de segunda à sexta. Informações: 3232-4956.

CLÁSSICOS CINEMARK

Os Clássicos Cinemark estão de volta. Depois de 12 temporadas de sucesso nos últimos quatro anos, o projeto abre sua 13ª edição neste mês de abril com uma novidade: os filmes que marcaram época terão exibição única na última terça-feira dos próximos três meses. Já no próximo dia 25 é a vez do drama “E o Vento Levou” (1939), vencedor de oito estatuetas do Oscar em 1940, incluindo a de Melhor Filme e a de Melhor Diretor. Para os amantes de ficção cientifica, o filme em cartaz no mês de maio é “2001: Uma Odisseia no Espaço” (1968) (FOTO), dirigido por Stanley Kubrick e vencedor do Oscar de Melhores Efeitos Especiais em 1969. E Junho traz uma programação especial para as crianças de todas as idades, o musical infantil “O Mágico de Oz” (1939), de Victor Fleming. Os ingressos podem ser adquiridos no site da Rede ou na bilheteria dos cinemas participantes. Os valores variam de R$ 4 a R$ 16.

HISTÓRIA DA LITERATURA OCIDENTAL

Gente, eu comprei o compêndio em quatro grossos volumes da ‘História da Literatura Ocidental’, de Otto Maria Carpeaux faz um bom tempo, por R$ 200, vindo pelo correio. Influência ainda de Rodrigo Levino, que havia comentado em sua coluna publicada no Jornal de Hoje. E agora você pode baixar tudo de graça clicando AQUI. Vale muito a pena. Edição do Senado Federal. Alguma coisa boa tinha que vir dali.

5 MOTIVOS PARA CURTIR ED MOTTA

Publicamos por aqui em primeira mão a edição do International Jazz Day com Ed Motta em Natal, no próximo dia 30 no estacionamento do Natal Shopping. E por que você precisa ir? 1) Porque Ed Motta é fodástico, artista único, sofisticado e nunca abriu as pernas pra grande mídia, por isso nunca foi tão glamourizado. 2) Porque Natal promove a maior festa de celebração da data no Brasil, que é comemorada em mais 185 países. 3) Porque além de Ed Motta tem também outra atração arretada: a SESI BIG BAND. 4) Porque a apresentação é gratuita. 5) Porque você precisa esquecer as baboseiras que ele disse uma vezinha só num show no exterior porque vale mesmo é seu  talento como músico. Ora, você ainda vota em político que fala muito mais besteira do que ele.

BARDALLOS E PORÃO DAS ARTES

Segue a programação definida dos dois bares mais ativos da cena cultural. No Bardallos, nesta quarta, tem mais uma edição do Insurgências Poéticas a partir das 19h com música de Romildo Soares, Mirabô, Rodolfo Amaral, e outros. Performance com Rozeane Oliveira e muita poesia. Ingresso: R$ 10. Na sexta tem o aniversário de Yrahn Barreto, às 21h. No Porão, na quinta, véspera de feriado, tem “Caboré Atomico” e Mazinho Viana & Regina Casa Forte com entrada franca. Na sexta, a partir das 15h, “Inconfidência Maneira”, com Cleudo Benarez Freire Pedro Mendes, Odaíres Cruz, Jailton Medeiros, Nelson Coelho, Sueldo Soaress, Mirabô Dantas, Carlos Bem, Erick von Sohsten e outros em confirmações. Encontro para celebrar o aniversário de Cleudo, Pedro e Odaíres. Entrada R$ 15 individual e R$ 25 casadinha. Domingo, às 16h, Clara Menezes se apresenta com seu pai e parceiro Ricardo Menezes e o percussionista Jailton Medeiros Torres. Entrada: R$ 10.

RASTEJO DE HUMBERTO HERMENEGILDO

O professor doutor em literatura, Humberto Hermenegildo, mais recente imortal da Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANL), vai lançar seu primeiro romance na próxima semana, dia 20 de abril, na própria ANL, a partir das 18h30. Rastejo é o nome do livro, editado pelo Caravela Selo Cultural e caracteriza-se como a história de um bancário, contada em primeira pessoa, na interação com pelo menos três personagens marcantes: o avô paterno, o pai e a mãe do narrador. Rastejo é um livro maturado, curtido pelo autor durante mais de 15 anos. Para se ter uma ideia, ele ganhou uma menção honrosa em 2000, no Concurso Literário Câmara Cascudo, da Fundação Capitania das Artes, da Prefeitura de Natal. Mas, de lá para cá, pelo menos 90% do livro foi modificado. Confira o vídeo do próprio autor falando de sua obra:

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *