Por que precisamos de mais Insurgências Poéticas?


Arte transforma. Tem a habilidade da transgressão. Política, comportamento, ideologia… tudo cabe na arte, na poesia. E se mesclada a boas doses anarquistas, surge um coquetel poderoso.

O Insurgências Poéticas conseguiu essa fórmula, esse mix. Falta um gelinho maneiro para descer redondo, embora o travo também digira bacana para muitos.

Thiago Medeiros, um dos idealizadores do “Insurgências”

Houve umas quatro ou cinco edições do projeto. Assisti apenas a última, em homenagem a Civone Medeiros, com exposição de Rita Machado, performance de Rozeane Oliveira e shows de Laryssa Costa e Khrystal.

Impressiona o formato aglutinador do Insurgências, mas mais ainda o engajamento dos artistas à ideia e também o potencial para o projeto tomar proporções maiores.

Era uma quarta-feira à noite, em semana de prévias carnavalescas em cada esquina e em cada canto de Natal. O local, a Cidade Alta, nem de longe o point de outrora. E o Bardallos estava lotado.

O público era predominantemente jovem. Jovens idealistas. Mas havia também aqueles mais velhos de esperança rachada, de certo empolgados com a programação bem divulgada pela imprensa alternativa e tradicional, que também comprou a ideia.

Um projeto eminentemente poético. Um sarau incrementado. E sendo assim, aberto, anárquico, libertário, também afeito a outras manifestações, seja da arte, da pombagira ou dos loucos.

Então, se há abertura, por que não um mês dedicado aos músicos poetas? Por que não uma temporada voltada à poesia do teatro? E quando artes visuais nos gritam poesia? E o nosso pobre cinema também de arte? E depois tudo de novo e de novo e mais uma vez?

CRÍTICAS

Sempre cabe mais um tijolo, um acabamento na construção de qualquer projeto. Mesmo para uma casa novinha como o Insurgências Poéticas.

Cheguei ao Bardallos com show de Laryssa Costa já iniciado. Não sei o que rolou antes. Mas senti falta de uma apresentação do excelente trabalho da Rita Machado. Queria entender melhor aqueles traços, seu modo de produção.

Poeta Ana Mendes

Acho que a Rozeane poderia ser mais “explorada” também. Permear as poesias recitadas com seus passos – um exercício sedutor para acrescer à poesia, por exemplo.

E a homenagem merecia melhor organização, embora, como disse, a bagunça também sirva e talvez soe até mais charmosa à proposta.

De cá, sugeriria uma abertura com breve biografia da persona homenageada. Uma palavra da própria. E apresentação de sua arte das mais distintas formas, seja com esquetes teatrais, leitura de poesias, performances…

Em resumo, apenas uma sequência pré-definida e mais organizada. Anarquia não é bagunça. Que tal uma organização anarquista?

Ficam as sugestas e vamos se insurgir. Como disse no insta deste Papo, o Insurgências Poéticas finalizou a temporada veraneio, mas há os invernos da alma que também pedem poesia.

E por quê? Porque precisamos transgredir com mais amor e mais arte, sem temer.


FOTOS: BABUINHO SYSTEM

sergiovilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

CONFIRA TAMBÉM

COMENTE

Receba nossas melhores notícias por e-mail

FACEBOOK

Instagram

Espetáculo Gonzagando, pela Companhia de Dança da TAM, dirigido por Wabie Rose, no Arraia da Meninada, Cidade da Criança. Belíssimo! #culturapotiguar
Com o magro Tacito Costa para prestigiar o show de Sami Tarik no @bardallos. Começa às 21h. Só chegar. #musicapotiguar
Se você acha shows instrumentais tediosos eis o cara para desmistificar esse conceito. @sergiogroove não é só um gênio do contrabaixo, ele traz ao palco carisma, versatilidade para agradar gregos, troianos e atenienses, e o mais importante: divertimento. Ele diverte a plateia, seja com seu baixo, com seus joguetes vocais ou sua performance. E adivinha? Ele estará neste domingo no #somdamata acompanhado de uma seleção de músicos. Imperdível! #culturapotiguar #culturadorn #musicapotiguar
Em breve as estampas mais iradas do mercado, em camisas de excelente qualidade e o menor preço. Quer mais? Pois tem. Frete grátis para Natal! Sigam @cretivecamiseta e fiquem por dentro das novidades. #camisetasestampadas #culturapop #estampascriativas
Mirabô passando o som com o luxuoso acompanhamento de Rose Flor Caete. Início dos shows em instantes na Pinacoteca. Sami Tarik abre os trabalhos. Primeira edição do Mostra de Música Sete e Meia! #musicapotiguar
Fabio Rocha, vulgo @zecaxanga, é nosso Forrest Gump da música potiguar. E ele vai reunir oito bandas num festival no Ateliê Bar, próximo sábado. Baile imperdível e por isso tem textinho no nosso Papo Cultura sobre o evento e sobre os 18 anos de labuta desse cara. Merece! #musicapotiguar