CURTINHAS: Concurso de arte urbana, Andiara Freitas, sugestões pro Carnaval 2018

CONCURSO DE ARTE URBANA

A UnP abriu inscrições para o I Concurso de Arte Urbana e as seis melhores ideias serão executadas em um muro exclusivo na UnP. O período de inscrições segue até 21 de março. Os selecionados receberão tintas e sprays para darem vida aos seus projetos artísticos. A melhor arte (que será escolhida pelos jurados) ganhará uma viagem para São Paulo, o polo de Arte Urbana no Brasil, com tudo pago. Se bateu aquela curiosidade, olha os detalhes AQUI.

NOVO DISCO DE ANDIARA FREITAS

Artista que sempre abre espaço e divulgação para o samba potiguar, Andiara Freitas lança agora o seu próprio trabalho nesta quarta-feira. Seu segundo álbum “Todos os sambas” será apresentado no Teatro de Cultura Popular Chico Daniel, às 20h. Ingresso: R$ 10, no local. A moça estará mui bien acompanhada por Jubileu (direção musical e violão de 6 cordas), Arthur Canuto (violão de 7 cordas), Paulo Pereira (cavaquinho), Jane Eyre (flauta e sax), Aluizio Pereira (percussão), Toninho Melé (percussão) e Andrey Feitosa (percussão).

MARGARETH MENEZES

A baiana Margareth Menezes agradeceu a Natal ou à Prefeitura pelo alto cachê? Insisto: um único cachê desse pagaria mais 30 artistas locais. Que tal pelo menos diminuir o número de atrações nacionais próximo ano em vez de aumentar, e abrir mais espaço ao talento local? Duvido que surta diferença de público. Que venha Alceu pra Ponta Negra, mais um sambinha maneiro ao polo das Rocas, um porraloca pro domingo das Kengas, tipo Maria Alcina, um Monobloco pra Petrópolis e um Spok pra abertura no Atheneu. E que tal combinar Moraes Moreira pra Ponta Negra e pra Redinha? Com pacote de dois shows dá até para barganhar cachê mais barato. Nessa conta pula fora Elba, Margareth, Ricardo Chaves, Antonio Nóbrega, Cavaleiros do Forró e Grafith. Com essa grana somam mais uns 200 artistas locais na programação. Festa o dia inteiro. Ou chama uns 100 e investe o resto do dinda para incrementar a divulgação pífia que se repete a cada ano (exatamente por falta de investimento). Faz o teste, Cadu Alves. O carnaval de Natal foi reerguido, sim. Méritos indiscutíveis da sua administração (bote na conta também o trabalho de divulgação pela Secretaria de Turismo do Estado). Mas dá pra economizar e diminuir o ranço com a classe musical potiguar.

About The Author: Sérgio Vilar

Sérgio Vilar

Jornalista com alma de boteco ao som de Belchior

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *