O início do bairro Lagoa Nova e o embrião para a maior rede de TV do RN

Bem adiante da Quinze, à direita da pista que levava a Parnamirim, fora do perímetro urbano, surgiu uma presença marcante no lugar que deu nome ao bairro: uma torre transmissora das ondas sonoras da Rádio Cabugi, fundada, “em Natal”, pelo senador Georgino Avelino, em 19 de janeiro de 1954, margeava área seca da Lagoa Nova.

Naquelas imediações, lado esquerdo da pista, em terras pertencentes ao América Futebol Clube, existia a Granja Potilândia.

Havia anos, o América não disputava o campeonato promovido pela FND, a Federação Norte-riograndense de Desportos. Estava construindo nova sede à Avenida Rodrigues Alves, Tirol, e precisava de muito dinheiro para isso.

Para arrecadar fundos para essa construção, a diretoria do clube resolveu vender o terreno da granja, loteando-o. Em fevereiro de 1961, foram iniciadas as vendas de 283 lotes, aos poucos transformados em belas residências, o lugar absorvendo o nome da granja.

Considerada área fora do perímetro urbano, o grande empecilho para a expansão da cidade rumo sul era a água.

Apesar disso, utilizando água de poços tubulares, em 1967, três grandes frentes de trabalho estavam abertas nas proximidades dessas primeiras casas de Potilândia.

Do lado direito da estrada de Parnamirim, iniciavam-se obras de construção do que viria a ser o estádio Castelão, depois chamado Machadão, já demolido, onde hoje está a Arena das Dunas; do lado esquerdo e à frente, conjuntos residenciais eram construídos pelo IPASE e pelo SESC, respectivamente.

Inaugurado o Estádio Humberto de Alencar Castelo Branco, o Castelão, em 14 de junho de 1972, Potilândia já contava com duas mil residências e o bairro de Lagoa Nova começava a se expandir para oeste, buscando terras à direita da Avenida Prudente de Morais, em direção do que era chamado Carrasco, hoje bairro do Bom Pastor. Nesse lado do bairro, seriam construídos os conjuntos residenciais Lagoa Nova I e Lagoa Nova II.

Entre Lagoa Nova e Bom Pastor, com a chegada de equipamentos urbanos e outros conjuntos residenciais, dois outros bairros surgiam: Nossa Senhora de Nazaré e Dix-Sept Rosado.

Para adiante do bairro de Lagoa Nova nascente, logo surgiriam Capim Macio e Neópolis, ao longo da BR, e; Candelária, no prolongamento sul da Prudente de Morais.

Com a chegada à Lagoa Nova do Agnelão e do Campus Universitário, que começou a ser construído em 1972, à frente do conjunto do SESC, Natal, antes pequenina, começa a se tornar cidade grande, tomando um impulso nunca antes visto ou vivido em sua história.

Foi Lagoa Nova, com a sua Quinze, que ainda se mantém quase a mesma de 80 anos atrás, a fonte que, a partir dos anos 70, forneceu planos e direções ao crescimento incontido da cidade, quando, ali, exatamente onde secara a velha lagoa dita Nova, foi instalado o Centro Administrativo do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, em dezembro de 1974.

Uma Lagoa Nova, seca, fértil, alvissareira como as notícias de crescimento que chegavam à cidade via sua torre transmissora de ondas da velha Rádio Cabugi, onde hoje está instalada a TV de maior audiência do Estado, a Inter TV Cabugi.

About The Author: Eduardo Alexandre

Eduardo Alexandre

Jornalista, poeta e artista plástico.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *