Frase de Daniel Valente abre livro de uma das maiores autoridades religiosas do RN

Pároco da paróquia Nossa Senhora de Fátima em Parnamirim, vigário episcopal para as instituições sociais da Cidade de Natal e capelão dos Santos Mártires de Cunhaú e Uruaçu. Essas são algumas das funções desempenhadas pelo padre Antônio Murilo de Paiva, o que faz dele uma das maiores autoridades políticas e religiosas do Rio Grande do Norte.

Com 16 livros publicados, ele lança este ano 2018 “O Deserto e o Pão”, uma reflexão sobre acreditar que é possível vencer a opressão mesmo quando os meios “parecem” escassos. E tudo começa com a frase: “O brilho nos olhos do meu pai era como poesia para mim”, assinada pelo jovem poeta tangaraense, Daniel Valente.

Essas palavras foram escritas em 2012, quando Daniel morava em Tangará e se encontrava em Brasília, representando a cidade e o Estado na 9º Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Nessa época o padre Antônio Murilo presidia o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do RN e acompanhava a delegação potiguar durante o evento.

CIDADÃO TANGARAENSE

Daniel se emocionou ao ler a frase dita em homenagem ao seu pai, falecido em setembro de 2010. Nascido em Macaíba no dia 7 de novembro de 1995, Daniel Valente é o quinto dos seis filhos do casal falecido: Maria Francisca da Silva e Manoel Francisco da Silva Filho. Devido a profissão do pai, que era vaqueiro e trabalhava em fazendas, a família se mudava com frequência, o que fez com que Daniel morasse em várias cidades do Rio Grande do Norte e fosse abraçado pela cidade de Tangará, considerando-se assim, tão tangaraense quanto macaibense.

Mesmo atualmente morando em Parnamirim, passando a maior parte do tempo em Natal, devido os compromissos assumidos na área da literatura e viajando com frequência para outros lugares, Daniel tem se feito presente na cidade de Tangará, seja para visitar a família no Sítio Lagoa do Feijão, seja para participar de eventos como a Feira de Cultura da Escola Estadual João Ataíde, que lhe prestou uma homenagem em sua última edição.

Aos 22 anos, entre frases e textos publicados, Daniel segue dando continuidade aos projetos literários, entre eles o seu livro que será editado em breve pela editora portuguesa Chiado Editora e o Recital O Traço Valente, que tem como ideia central, fazer com que as pessoas reflitam o contexto sociopolítico em que vivem e já se apresentou em espaços importantes do nosso Estado, como por exemplo, no Festival Literário da Praia da Pipa, no Shopping Midway Mal, em diversas escolas públicas e privadas e também na estreia do projeto Quinta Cultural, que uniu a poesia de Daniel Valente a música da cantora Khrystal.

COM FERREIRA GULLAR

Abaixo, o poema Dentro de Vo(ser), selecionado para integrar a Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea Além da Terra Além do Céu, lançada em maio de 2017 pela Chiado Editora. O poema nasceu do encontro de Daniel Valente com o poeta Ferreira Gullar em 2015 no Rio de Janeiro, as palavras que lhe causaram o “espanto” necessário foram as da célebre frase (mas ainda desconhecida para Daniel) “a arte existe porque a vida não basta”.

Acredita-se que o “espanto” tenha sido tamanho, justamente, por sentir nascer a verdade de cada palavra ao sair da boca do seu criador para dar luz ao que sucede a existência do homem, a arte. Falecido em 2016, Ferreira Gullar era então considerado, o poeta brasileiro vivo mais importante da história.

Dentro de vo(ser)

Existe um ser dentro de você
Procurando se encontrar
Num teatro abandonado
No fundo do teu olhar.

Existe um ser dentro de você
Que você não conheceu
Mas o poeta pra ele
A poesia escreveu.

Existe um ser dentro de você
Desde que você nasceu
A tua voz pra ele é música
Que ele nunca esqueceu.

Existe um ser dentro de você
Enquanto o tempo desgasta
Saiba que arte existe
Porque a vida não basta.

About The Author: Redação

Redação

Obrigado pela visita!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *